notícias

Vereador mais jovem que se elegeu avalia que população quer mudança e inovação

Em entrevista à Najuá, Cezar Batatinha disse que representa juventude e que objetivo é unir forças com demais vereadores

Cezar Batatinha foi eleito com 719 votos. Foto: Divulgação

Alcides Cezar Pinto, o “Cezar Batatinha”, do PSD, de 23 anos, foi o vereador mais jovem que se elegeu em Irati. Com 719 votos, ele obteve uma das dez vagas na Câmara Municipal na legislatura 2021-2024.

Cezar avalia que o resultado da eleição mostra que a população desejava mudança no cenário político. Em Irati, apenas três vereadores se reelegeram. São eles: Nei Cabral e Hélio de Mello (ambos do PV) e Wilson Karas (PSDB). Com isso, a renovação foi de 70%. “As pessoas querem mudança e inovação. Eu fui prova disso. Porque na minha primeira candidatura tive uma votação expressiva de 719 votos. Isso quer dizer que as pessoas querem mudança e inovação. Elas querem algo novo”, avalia. 

Acompanhe o áudio desta reportagem no fim do texto

O vereador eleito fala como será sua atuação no legislativo municipal. “Eu quero priorizar as necessidades de Irati em busca de resultados para saúde, educação, oportunidade para trabalho e também qualidade de vida. Eu quero priorizar e defender a população iratiense e a forma que eu farei isso é caminhando junto com as pessoas, fortalecendo alianças que terão apenas um objetivo: o bem para a nossa cidade”, relata.  

Cezar disse que durante a campanha conheceu a realidade da população iratiense. “Foi uma campanha muito cansativa, mas ao mesmo tempo uma campanha muito satisfatória, onde eu conheci muitas pessoas e conheci a realidade de muitas pessoas que não tinha conhecimento. A sede pela mudança foi o que me despertou a vontade de ingressar na política tendo em vista que hoje acredito que precisamos unir nossas forças para somar mais para a nossa sociedade”. 

Quer receber notícias locais?

Ele afirma que a ideia é unir forças com os vereadores eleitos. Ele também comentou sobre a importância de a Câmara voltar a ter uma mulher. Teresinha Miranda Veres, a Tere da ANAPCI, foi eleita para desempenhar o cargo de vereadora. Desde a legislatura 2001-2004, a cidade não contava com uma representante do sexo feminino. As últimas mulheres que estiveram na Câmara Municipal foram Maria Zuleika Onesko e Otília Setnarski. “Nós temos, por exemplo, a Tere, que representa a garra e a força da mulher. Temos também pessoas que já são experientes e tem eu que represento a juventude, represento ideais novos e pensamentos que unindo todas essas forças podemos somar para a nossa sociedade”. 

Funcionário da empresa Acome de Irati, o vereador eleito relata os locais que já trabalhou e a origem do apelido Batatinha. “Desde os dez anos vendia batatinha lá no Jardim Planalto, no bairro onde eu moro. Com 12 anos comecei a entregar panfleto na cidade, onde fiquei muito conhecido nos bairros e no centro também. Com 16 anos foi para a Anila, depois Neval e por último veio a oportunidade de entrar para a Acome, onde estou trabalhando até hoje. Meu apelido batatinha veio quando eu tinha nove, dez anos. Meu vizinho ele vendia batatinha quando chegava na volta no retorno da viagem eu ajudava a preparar a carga do dia seguinte. Com isso, eu ganhava um pouco de dinheiro e até ganhava uma sacola de batata para levar embora. Com isso, pessoal começou a chamar e apelidar de batatinha. Quando você não gosta o apelido pega. Então foi dessa maneira que surgiu o batatinha”, afirma.  

Os vereadores eleitos em Irati foram: Nei Cabral com 1.029 votos, Teresinha Miranda Veres (Tere da ANAPCI) (PSC) com 967 votos, Hélio de Mello com 918 votos, Nato Kffuri (PSDB) com 863 votos, Nego Jacumasso (PSD) com 850 votos, Ailton Laroca (PV) com 763 votos, Cezar Batatinha 719 votos, José Ronaldo Ferreira (Ronaldão do Povo) (PSDB) 707 votos, Wilson Karas (PSDB) 702 votos e Amauri Cesar Jacumasso (Cezão Jacumasso) (MDB) 555 votos. 

Texto de Rodrigo Zub