notícias

Número de casos de Covid-19 sobe 550% em Irati

Segundo coordenador do COEF, Agostinho Basso, cidade registrou oito surtos quando ocorrem três casos ou mais em um mesmo ambiente familiar ou de trabalho

Plataforma Ecovid-19 atualiza dados em tempo real. Até a noite de quinta-feira, 5, Irati já havia registrado 551 casos de coronavírus. Foto: Divulgação

O crescimento do número de casos de coronavírus em Irati atingiu 550% nos últimos dias. Nesta quinta-feira, 5, a cidade contabiliza 551 moradores diagnosticados com a infecção desde o início da pandemia. Duas pessoas estão internadas, sendo uma em leito de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e uma em enfermaria. 427 pacientes se recuperaram da doença.

Entre os infectados, 108 moradores permanecem em isolamento domiciliar. Mais 155 pessoas aguardam resultado do exame laboratorial. Doze iratienses morreram por complicações causadas pela Covid-19.

Em vídeo divulgado hoje, 5, o coordenador do Centro de Operações Especiais e Fiscalização (COEF), enfermeiro Agostinho Basso, disse que a média nos 14 dias anteriores era de 2,4 casos por dia. Com isso, o município havia registrado 17 casos de coronavírus em duas semanas. Nos últimos sete dias, que corresponde ao período de 28 de outubro até 3 de novembro, a média móvel subiu para 12,4 casos por dia, totalizando 93 pessoas diagnosticadas com a doença.

Segundo Agostinho, o aumento do número de casos de Covid-19 está relacionado a oito surtos que foram registrados na cidade. O enfermeiro explica o que é um surto. “Surto é a ocorrência de três casos ou mais num determinado estabelecimento, numa empresa, numa indústria, numa escola, numa igreja, numa instituição seja ela qual for ou num domicílio. Desses oito surtos, três já estão em fase final decrescendo e quase acabando o número desses casos que geram contato direto que são familiares, pessoas que trabalham, ou seja, quando acontece um surto um caso pode contaminar outros membros da escola, do trabalho, da instituição ou um membro de sua família. Isso se chama contato direto que nós temos que ligar e ir atrás, serviço de epidemiologia faz isso”, afirma Agostinho. 

Quer receber notícias locais?

De acordo com ele, três laboratórios de Irati estão habilitados para realizar os exames de Covid, tanto através do método RT-PCR ou de sorologia. O coordenador do COEF explica como os exames funcionam. “Os três laboratórios de Irati estão fazendo exame para Covid desde o PCR, que é o exame do Swab nasal e oral, também a sorologia que é o exame através do sangue. Isso faz com que muita gente que está suspeito ou por conta própria acaba procurando esses laboratórios. O que antes era feito apenas pelo Lacen [Laboratório Central do Estado do Paraná] agora é feito aqui em Irati com mais facilidade. Os laboratórios dando positivo acabam notificando a Vigilância Sanitária que acaba desencadeando aquele processo de investigação de busca de casos, notificação e o desenrolar dos casos”, relata o coordenador do COEF.

Agostinho ressalta a importância de serem respeitados os quatro cuidados básicos para evitar o contágio de Covid-19. Um deles é o uso de máscara. O enfermeiro diz que tem percebido que a população está usando o equipamento de proteção somente nas ruas centrais da cidade e pede que o cuidado seja estendido em todos os bairros e localidades. As outras medidas sanitárias são utilizar álcool gel, lavagem rotineira das mãos e distanciamento social. “Estamos recebendo denúncias de estabelecimentos que não tem mais álcool gel. O cliente tem o direito de exigir e o comércio tem o direito de colocar à disposição na porta”, enfatiza Agostinho.

Agostinho ainda salienta que o COEF é composto por pessoas técnicas da área de saúde, que se reúnem constantemente para tomar as decisões pensando em preservar a vida, além da manutenção do emprego e renda no município. O coordenador disse que os integrantes do COEF se reuniram na terça, 3, e quarta-feira, 4, para discutir o aumento de casos de Covid-19. Na ocasião, eles repassaram recomendações que podem ser tomadas pela administração municipal se o número de pessoas diagnosticadas com a doença continuar subindo. “O COEF recomendou várias condutas e ações que nós protocolamos na prefeitura pedindo encarecidamente para que venham a ser tomadas essas medidas. Porque nós nos preocupamos tanto com a saúde que significa vidas, significa pessoas saudáveis junto com seus familiares e também se preocupamos com a manutenção da renda e do emprego. O Poder público e as autoridades sanitárias estão fazendo a parte deles. Nós vamos fazer o possível e além para que possa passar bem por essa crise, essa situação. Não adianta nada, nós fazermos a nossa parte se nós não tivermos o retorno, o respaldo e a resposta e a corresponsabilidade que vem do cidadão. Porque nós podemos fazer muita coisa, mas nós não podemos estar ao lado de cada cidadão conduzindo ele dia a dia”.