notícias

Irati altera horário do toque de recolher para 22h

Bares e restaurantes poderão funcionar até 22h. Os serviços de delivery não serão afetados

Foto da área comercial de Irati. Foto: Rádio Najuá

Um novo decreto alterou o horário do toque de recolher em Irati para às 22h. O decreto foi publicado na terça-feira (17) e já está em vigor a partir desta quarta-feira (18).

Com o novo decreto, apenas estabelecimentos com serviços essenciais, como postos de gasolina e farmácias, poderão funcionar depois desse horário. Outros estabelecimentos, como bares e restaurantes, não poderão estar abertos após às 22h. No entanto, os serviços de delivery não serão afetados.

De acordo com o prefeito Jorge Derbli, a decisão de diminuir o horário do toque de recolher ocorre porque há aglomerações em um período com aumento de casos de Covid-19. “Nós temos muita aglomeração à noite. O pessoal se reunindo nos barzinhos e isso, infelizmente, temos que tomar uma iniciativa”, disse Derbli.

A falta de vagas para tratamento de pacientes com coronavírus também é uma das razões para a diminuição do horário. “Nós tivemos ontem mais um óbito do Covid. Chegamos a 14 óbitos. A enfermaria nossa do Covid são quatro leitos de UTI. Estamos com os quatro lotados. Tem uma pessoa de outro município e três de Irati. Temos também na enfermaria, nos oito leitos da enfermaria, estão lotados. Tem quatro de Irati, quatro de outros municípios. A capacidade da nossa Santa Casa hoje é zero para atender as pessoas. Já foram transferidos alguns pacientes para outras cidades. Então temos esse problema”, revela o prefeito. 

Quer receber notícias locais?

Alteração nos atendimentos

O aumento dos casos também tem alterado os locais de atendimento das pessoas com sintomas da doença. O posto François Abib, no bairro Joaquim Zarpellon, será fechado porque há casos suspeitos de funcionários. Enquanto isso, os atendimentos realizados no ginásio Fortunato Colaço Vaz, ao lado da igreja Nossa Senhora do Perpetuo Socorro, serão transferidos para o Centro da Juventude. “Nós temos uma situação naquele ginásio, que é muito quente para as pessoas que ficam esperando e para os médicos e enfermeiros. Nós estamos mudando para o Centro da Juventude. O Centro da Juventude está sem atividade, é um ambiente climatizado, é amplo, tem bastante espaço, como no ginásio de esportes. Acredito que depois de quinta-feira, 19, já estaremos funcionando essa unidade sentinela no Centro da Juventude aonde vai dar mais conforto e para quem trabalha, os enfermeiros, médicos”, disse. 

Com a transferência, o horário de atendimento no Centro da Juventude será estendido até às 20h.

Aumento de casos

O número de pessoas diagnosticadas com coronavírus subiu consideravelmente em novembro. Em oito meses de pandemia, Irati tinha tido 400 casos ao todo. Mas em menos de 30 dias, o número total subiu para 1316 até a tarde desta quarta-feira, 18. 

Segundo Derbli, o número de pessoas contaminadas a cada dia aumenta. “Nós tínhamos uma média no início de novembro, no dia 2 de novembro, estávamos com uma média de oito pessoas contaminadas por dia. No dia 16 de novembro, pela média que fazemos nos últimos dias, estamos com 66 pessoas contaminadas diariamente”, disse. 

Com isso, uma das dificuldades que as equipes da saúde pública têm enfrentando é de acompanhar se as pessoas contaminadas estão cumprindo o isolamento, evitando mais contaminações. “A pessoa contaminada, quando é positivo, tem que ficar em casa. Mas não estão obedecendo. Você vai lá, faz o teste, deu positivo, fica 14 dias em casa em observação. Mas se fica um, dois dias e no quarto dia, as pessoas relaxam e saem. Nós não podemos fiscalizar simultaneamente essas 500 pessoas com Covid [que estão em isolamento domiciliar]. Não tem como. Mesmo que colocasse toda a prefeitura, as pessoas dão um jeitinho. Ou vai no mercado, vai na farmácia, ou sai para fora, ou vai para o parque. As pessoas têm que se conscientizar. Deu positivo, tem que ficar isolado”, alerta. 

O prefeito também comenta que o aumento expressivo de casos ocorreu por causa do último feriado prolongado, no dia 2 de novembro. “Foi um feriadão prolongado, as pessoas viajaram, foram para a praia, foram para outras cidades visita parentes, foram até outros cemitérios, fora do município”, relata. 

O relaxamento do isolamento social também fez com que mais pessoas circulassem, principalmente jovens. Dos casos confirmados em Irati, o maior número de registros ocorreu entre jovens de 20 a 29 anos com 313 contaminados. Ao contrário do que muitas pessoas pensam, os casos positivos também reúnem crianças. Sessenta e duas crianças entre 0 a 5 anos foram diagnosticadas com a doença. Mais 22 crianças foram infectadas entre 6 e 9 anos. Nos adolescentes, a doença também apareceu: mais de 100 casos são de adolescentes entre 10 a 19 anos.

Contudo, pessoas mais velhas continuam sendo uma preocupação. 149 casos foram registrados em pessoas entre 50 e 59 anos. “As pessoas mais idosas têm mais medo do Covid, então se cuidam mais. Agora o jovem, de 20 a 29, é um número impressionante como tem gente contaminada em Irati”, disse o prefeito. 

Fechamento de comércio

Derbli reiterou que não pretende fechar o comércio, mesmo que o Centro de Operações Especiais e de Fiscalização (COEF) recomende um aumento nas restrições. “Não quero fechar estabelecimento nenhum. E não vou fechar. A não ser que tenhamos uma epidemia que fuja de todos os controles, e aí teríamos que tomar medidas mais enérgicas. Mas não quero fechar nenhum estabelecimento, o menor que seja, quanto ao maior”, disse. 

Entretanto, o prefeito alertou que esta semana será um momento de teste para verificar se haverá colaboração para a diminuição de casos. A prefeitura deverá realizar uma blitz com fiscalizações surpresas nos estabelecimentos de Irati nesta semana. “Essa blitz vai andar pela cidade inteira, em vários pontos da cidade. Na primeira abordagem que tiver, a blitz vai fazer uma questão orientativa. Se ver que está tudo em ordem, vai embora. Se tem aglomeração, vai passar essa recomendação para os estabelecimentos para que se adequem e depois com certeza, terá uma segunda visita. Daremos essa chance porque não queremos multar nessa situação que está, as pessoas estão com situação financeira complicada”, explica. 

Por isso, ele pediu para que os donos de estabelecimentos estejam atentos às regras existentes. “Pedimos nos bares, por exemplo, onde as pessoas se aglomeram, e agora pode funcionar somente até às 10h da noite, para que usem máscara. Na entrada do bar uma mesinha com álcool em gel. A pessoa de máscara, se for tomar, tira a máscara e depois coloca novamente para continuar conversando. As academias, que o pessoal gosta muito e tem por costume, os donos de academia que cada exercício que é feito no equipamento, após a pessoa parar de fazer o exercício, que vá lá com álcool, que passe, higienize, descontamine o ambiente para outra pessoa vir fazer. São medidas simples que deixam o estabelecimento aberto”, explica. 

Os supermercados são outro tipo de estabelecimento que demandam cuidados. “No início da pandemia, vimos que realmente estava sendo obedecido, o pessoal estava cuidando. Tinha fichas. A capacidade do mercado é de 100 pessoas, é distribuído 100 fichas. Entrava 100 pessoas. Saia dez pessoas, entrava dez. Saia 15, entrava 15. Havia um controle mais rigoroso. Vimos que houve um relaxamento geral da população em alguns casos, muitos poucos ainda continuam com algumas exceções a manter esse controle”, relata.