notícias

Homem atira nos pneus do carro do vizinho

Autor dos disparos assinou Termo Circunstanciado. Espingarda de pressão foi apreendida pela PM

Homem acertou dois tiros de espingarda de pressão nos pneus do carro do seu vizinho. Foto: Divulgação PM

Um homem atirou nos pneus do carro do seu vizinho. A ocorrência foi registrada na sexta-feira, 6, na Rua Artur Neiverth. O autor foi abordado pela Polícia Militar e levado até a sede do 3º Pelotão. Ele assinou o Termo Circunstanciado. A espingarda de pressão usada pelo morador foi apreendida.

Em Rebouças, um homem foi preso por tráfico de drogas. De acordo com a PM, uma denúncia anônima dava conta de que na rua Barão do Rio Branco, uma pessoa estaria entregando os entorpecentes de maneira fracionada. 

Policiais foram até o endereço repassado e abordaram o homem. Em busca pessoal foram encontradas quatro buchas de crack que estavam escondidas dentro da aba do boné que ele usava. Após a identificação, a PM constatou que o autor já tinha outros registros de ocorrências relacionadas ao tráfico, inclusive com denúncias que foram feitas pelo Disque 181 (Narcodenúncia). O homem foi detido e encaminhado para a Delegacia. 

Quer receber notícias locais?

Em outra ocorrência, a PM foi informada de que havia ocorrido um incêndio ambiental na localidade de Saltinho. Um morador relatou aos policiais que seu vizinho estava queimando alguns galhos de pinus. Porém, o fogo invadiu a propriedade vizinha e atingiu alguns pés de eucalipto e madeiras secas que já haviam sido cortadas. A equipe do Bombeiro Comunitário foi acionada e controlou as chamas.

Mais tarde, em outra ocorrência em Rebouças, a PM recebeu a informação de que um homem estaria agredindo sua esposa na residência do casal, na Rua Ricardo Seidel. Moradores próximos informaram que as agressões vinham ocorrendo desde quinta-feira, 5, e que ambos estariam embriagados. A vítima apresentava sinais de embriaguez e havia sofrido algumas lesões. Os dois foram encaminhados ao Hospital Dona Darcy Vargas para que fosse registrado o laudo de lesões corporais. Em seguida, eles foram levados para a delegacia. No entanto, a vítima desistiu de representar criminalmente. Ela alegou que os ferimentos haviam sido causados por uma queda.