notícias

Alvaro Fabiano de Oliveira diz que vice-prefeito deve dividir tarefas com prefeito

Em entrevista à Najuá, o candidato do Avante comentou sobre como será sua atuação como vice-prefeito e propostas para Irati

Alvaro Fabiano de Oliveira é candidato a vice-prefeito do Avante. O partido concorre com chapa pura tendo como candidato a prefeito Marcos Antonio Gonçalves. Foto: Jussara Harmuch

O candidato a vice-prefeito de Irati, Alvaro Fabiano de Oliveira (Avante), participou da série de entrevistas com os vice-prefeitos promovida pela Rádio Najuá, onde comentou sobre como será sua atuação na prefeitura e falou sobre as propostas para a próxima gestão.

As entrevistas com os candidatos a vice-prefeitos são realizadas em conjunto. As regras foram enviadas com antecedência, assim como as perguntas, que foram as mesmas para todos. O tempo para resposta é de até três minutos. Nas considerações finais, os candidatos têm dois minutos. Nesta entrevista, o candidato a vice-prefeito de Irati, Caetano do Leite (PTC), também comentou suas propostas. Acompanhe como foi essa entrevista clicando aqui

Ouça o áudio da entrevista com Alvaro no fim do texto

Atuação como vice-prefeito

Para o candidato, a atuação do vice-prefeito deverá ser de forma igualitária. “Acho que vice-prefeito, ele deve trabalhar tanto quanto o prefeito na prefeitura e também junto aos bairros da cidade, no interior, porque o vice-prefeito é responsável por 50% dos votos e 50% dos votos do prefeito. Porque um prefeito não se elege sem o seu vice e também o vice não se elege sem o prefeito”, disse.

Segundo Alvaro, o trabalho do vice-prefeito pode gerar economias. “O vice-prefeito tem que trabalhar de igual modo ao prefeito e, às vezes, ocupando uma função que lá na prefeitura é posto um cargo comissionado ali, que o vice-prefeito podia estar trabalhando ali, naquele lugar. Aquele dinheiro do cargo comissionado será economizado para outras coisas. Ele não pode ganhar para ser como um boneco de enfeite na prefeitura. Não pode ser assim”, comentou.

Quer receber notícias locais?

Gastos com pessoal

O candidato destacou que é preciso diminuir os cargos comissionados. “Nós temos bastante cargo comissionado na prefeitura. É só entrar no Portal da Transparência e ver o salário do pessoal, é pouca gente com cargo comissionado, às vezes ganhando muito e muita gente concursada, às vezes ganhando pouco. Não vai para frente”, disse.

Alvaro ainda disse que é preciso reequilibrar as contas. “Se você equilibra essas contas, você põe tudo no lugar. A prefeitura conseguindo colocar isso lugar novamente, o município vai girando, vai girando, devagarzinho vai entrar nos eixos e começa a funcionar novamente o município”, relata.

O candidato a vice-prefeito do Avante também ressalta que cada pessoa precisa ser respeitada e que as ações da prefeitura também devem seguir esse pensamento. “Não desfazendo do serviço de ninguém porque todo mundo é importante. Cada pessoa é importante para o município funcionar. Cada pessoa é uma peça principal no município. Cada pessoa que trabalha, cada pessoa que está ali na rua, está andando, cada pessoa é uma peça fundamental para o desenvolvimento do município. Porém, cada pessoa tem que ser valorizado como ser humano. Quando nós colocamos a pessoa com cargo comissionado, às vezes, com valores mais alto do que o necessário, nós estamos prejudicando aquela pessoa que precisa ir no médico, aquela pessoa que vai na farmácia, às vezes, tem que pagar um remédio mais caro, aquela pessoa que paga mais caro o material escolar, aquela pessoa que pagar mais caro no posto de gasolina, porque estamos tirando dinheiro público colocando em uma coisa que não é tão necessária”, explicou.

Pós-pandemia

Para o período de pós-pandemia, o candidato destacou que é preciso união de todos para enfrentar este momento. “A hora que isso acabar, que Deus queira que seja logo, a prefeitura não vai conseguir sair sozinho. Ela vai precisar do apoio da população. A prefeitura, a população e a Câmara de Vereadores trabalhando juntos, os três juntos, com uma engrenagem que vai começa, devagarzinho, começa caminhar devagarinho e novamente a economia, a saúde, a educação, ela volta a funcionar. Mas se a prefeitura puxar para um lado, a Câmara puxar para o outro e o povo puxar para outro não dá certo. Nada dá certo quando cada um puxa para um lado. A principal chave disso é o povo porque o povo é o poder. A prefeitura tem que entrar em acordo com o povo e a Câmara tem que entrar em acordo com o povo”, disse.

Alvaro também disse que é preciso investimento na economia local. “A prefeitura acreditando no comércio da região, acreditando nos empreendedores, nos microempresários e a prefeitura dando suporte. Em contrapartida, tentar trazer empresas, o pessoal trabalhando vai girando”, conta.

Arrecadação municipal

O candidato destaca que o município precisa gerir melhor os recursos. “O município tem uma arrecadação boa, mas às vezes ela é mal distribuída”, disse.

No entanto, ele acredita que no momento que a prefeitura investir na economia local, haverá retorno para a população. “A prefeitura acreditando no MEI, no profissional liberal, no empresário, acreditando no microempresário, dando esse suporte, quanto mais ele dá suporte, mais o povo trabalha, mais tem ânimo, mas o povo se alegra e assim vai incrementando cada vez a economia do município. Porque todo mundo trabalhando, todo mundo feliz, o negócio dá certo. Agora se o povo está revoltado com a prefeitura que está puxando para lá, não vai não dá certo”, explica.