Publicidade Topo

notícias

Marcos Antônio Gonçalves fala de suas propostas para Irati

Candidato do Avante à prefeitura de Irati falou de temas como agricultura, geração de empregos, meio ambiente, obras, turismo e educação

Marcos Antonio Gonçalves concorre à prefeitura de Irati pelo Avante. Foto: Jussara Harmuch

O candidato a prefeito de Irati, Marcos Antônio Gonçalves (Avante), participou da série de entrevistas realizadas no programa “Meio Dia em Notícias” com os postulantes do Executivo municipal.

Durante a entrevista, os candidatos têm a oportunidade de explorar os temas abordados no debate realizado no início de outubro, promovido pela Najuá e Hoje Centro-Sul. Participam das entrevistas o convidado William Hilgemberg e a diretora da Najuá, Jussara Harmuch. 

Nesta entrevista, o candidato comentou temas ligados à agricultura, geração de empregos, meio ambiente, obras, turismo e educação.

Ouça o áudio completo da entrevista no fim do texto

Agricultura

O candidato afirmou que a agricultura deverá ser uma das suas prioridades. “Nossa economia se baseia muito na agricultura. Claro, tem a cidade também que ajuda muito na economia, mas se baseia na agricultura”, disse.

Segundo Marcos, um dos meios para ajudar este setor é melhorar as estradas do interior, especialmente até o Itapará. “Eu sei que a prefeitura não tem um orçamento tão alto ao ponto de conseguir asfaltar até lá [Itapará]. Teremos que recorrer ao Estado, temos que recorrer a Brasília, mas podemos manter as estradas do interior melhores. Eu tenho ido para o interior muito, o pessoal tem reclamado muito, tem muito lugar abandonado, muito lugar sem pontes. Está complicado. Estive essa semana no lado de Itapará e, em muitos lugares, o pessoal está até não reclamando, mas a maioria continua reclamando. Então, quero ver se desenvolvo isso aí”, afirmou o candidato. 

Marcos disse que quer se reunir com lideranças da agricultura e discutir melhorias. “Vamos tentar desenvolver Irati até Itapará. Não podemos ficar com a cidade parada como está, do lado da BR 277 só, desenvolvendo só esse canto do município. Tem que pensar no município inteiro de Irati”, comentou.

Quer receber notícias locais?

Educação

Na educação, ele disse que deverá investir especialmente na alimentação dos alunos. “Eu ouvi muita reclamação da merenda escolar. O que eu tenho visto com o pessoal, eles estão recebendo a merenda escolar, mas tem o pessoal mais pobre da parte de Irati que, até com essa pandemia, está sendo distribuído algumas cestas básicas, está sendo distribuído alguma coisa, mas vamos ter que melhorar muito a alimentação das crianças. Quero pegar hortas comunitárias, quero pegar os agricultores, vamos tentar fazer isso. Quero tentar melhorar”, relatou.

Marcos também disse que há possibilidade de aumentar o salário de servidores. “A prefeitura de Irati tem orçamento. Bem administrado, conseguimos até aumentar os salários dos funcionários. Sei que tem dívidas também. Quero saber porque a prefeitura de Irati tem dívidas? Eu quero saber o que está acontecendo. Eu faria uma pequena auditoria ou uma grande auditoria lá dentro. Mas isso será para o futuro. Espero que a população confie em mim e vote para a gente dar um jeito de melhorar a situação de Irati”, disse.

Geração de empregos

De acordo com o candidato, a proposta é investir em trazer grandes empresas para gerar empregos e depois investir nas pequenas empresas. “Eu tenho uma empresa que trabalha comigo, que eu trabalho com casas pré-fabricadas. O que está acontecendo? Ela quer colocar uma empresa de energia solar e eu estou negociando qual cidade vai ser. Se vai ser aqui ou Itapoá. Queria trazer para cá. Vai gerar 600 empregos direto. Você sabe que indireto vai gerar muito mais. Aí as pequenas empresas vão se aproveitar desse lado. Entrando mais dinheiro na cidade, que vai ser injetado mais dinheiro. As lojas, as pequenas empresas, os pequenos comércios, restaurantes, lanchonetes também vão se aproveitar desse novo momento que a cidade vai ter. Só que eu sei que a prefeitura anda bloqueando. Não está vindo empresas para cá e ninguém está correndo atrás para desenvolver Irati”, contou.

Segundo Marcos, as empresas grandes ajudarão a desenvolver o município. “Eu tenho que trazer empresas grandes para cá. Nós temos que gerar empregos. Mas empregos serão gerados só se tivermos grandes empresas aqui. Só as grandes vão manter os pequenos. Eu não vou conseguir comprar o produto de uma pessoa que vende o mesmo produto na outra esquina. Isso não funciona. Por isso Irati está neste formato. Parada. Fechada”, disse.

Turismo

Para o candidato, é preciso pensar no interior antes de investir no turismo. “Eu estou sabendo que tem uma rota que o pessoal quer fazer no interior, mas se tiver chovendo, como fazemos os turistas ir para lá? Como eles vão conhecer? Eu gosto daquela igreja no Itapará, sempre vou lá, toda festa estou lá. Mas é complicado você chegar até lá, já fui com chuva para lá, é muito complicado. Eu quero ver como a gente vai desenvolver”, disse.

O candidato explica que é preciso melhorar as estradas rurais. “O projeto seria desenvolver turismo, primeiramente, desenvolver no interior. Vamos ter que desenvolver todas as estradas do interior. Eu sonho com isso, como eu falo, eu gostaria de asfaltar Irati até o Itapará. E claro Itapará ligando até Inácio Martins, e até a BR 277. Mas isso é um sonho. Vários candidatos teriam que fazer por vários anos, mas poderia começar isso”, disse.

Ele ainda apontou alguns problemas da área. “E temos a Santa, e como falei, eu queria que alguém me explicasse um pouco mais onde tem o turismo iratiense. A Casa da Cultura está fechada. Está tudo abandonado. Eu não sei. Tenho que entrar dentro da prefeitura para tentar resolver isso aí. Só lá dentro vou conseguir dimensionar o que vamos ter que fazer”, comentou.

Meio ambiente

Na área do meio ambiente, o candidato falou um pouco sobre como vê a situação da prevenção das enchentes no centro de Irati. “O rio [Rio das Antas] terá que ser mantido, sempre dragado, funcionando. Os loteamentos não temos controle, então o que vai acontecer? Cada pessoa vai fazer o que ela quiser no terreno dela. Comprou o terreno dela, ela é dona. Se ela quiser concretar o terreno inteiro, ela concreta o terreno inteiro. Não há uma lei. Eu não vou poder proibir isso aí. Mas estamos sabendo que a cidade de Irati tudo desce para o centro. Nós moramos embaixo da nossa colina, o que acontece? Tudo vem para o centro da cidade, não está passando no nosso rio. Temos problemas sim, todo o rio ali, está todo com casas, a gente teria que ver ali, mas não vai ter como tirar essas pessoas dali também, são moradores antigos”, explicou.

Por isso, sua proposta é melhorar a fiscalização. “Eu estou vendo que está tendo desmatação, mas o pessoal está conseguindo liberações para desmatar, também estão dentro da lei. Não tem muita coisa sendo feito fora da lei em Irati. Eu quero manter o centro da cidade limpo, sem problemas à população para não ficar nervosa quando cai uma tempestade mais alta e manter o rio ali dragado. Isso vai ser fácil de manter. Só preciso de ajuda da população para ele se tornar limpo, para não se tornar turvo. A parada de jogar esgoto dentro desse rio, que está sendo jogado, a prefeitura não tem ido ver isso. Não sei se tem fiscalização fazendo isso, mas eu vejo canos de banheiros sendo jogados lá dentro. Eu queria saber quem trabalha na prefeitura nessa área. Eu vi até sofás dentro do rio. Quem está gerenciando essa parte? Eu acho que na prefeitura não tem ninguém fazendo isso. Só que eu controlaria melhor isso aí, até com multas para quem jogar lixo dentro do rio”, disse.

Ele ainda comentou que tem projeto de arborização para a área. “Eu tenho um projeto para manter a limpeza do rio ali e arborização por volta dele. Só que isso vai depender, como eu falei, estar dentro da prefeitura para a gente poder desenvolver”, relatou.