notícias

Ex-secretário de Esportes reconhece que vazamento de áudio ajudou na sua saída da pasta

Xoxolo disse que a saída já era planejada, mas que vazamento de áudio do seu irmão, o ex-presidente do DEM, José Valdecir de Souza, pesou na decisão final de sair. O ex-coordenador Moisés Neves assumiu a pasta 

Antonio Celso de Souza (Xoxolo) deixou o comando da secretaria de Esportes na semana passada. Foto: Facebook/Arquivo Pessoal

O ex-secretário de Esportes e Lazer de Irati, Antonio Celso de Souza (Xoxolo), pediu exoneração da pasta na última semana. Em entrevista no programa Show de Bola, ele contou os motivos da sua saída e reconheceu que o vazamento de um áudio do seu irmão, o empresário José Valdecir de Souza, ex-presidente do DEM de Irati, teve peso na decisão final.

No áudio vazado no WhatsApp, Valdecir pedia que o prefeito Jorge Derbli repassasse duas secretarias para o seu partido, sendo uma delas do Esporte, e fazia outras solicitações em virtude da coligação com o PSDB, legenda do candidato à reeleição. O vazamento fez com que Valdecir pedisse o desligamento da presidência do DEM. O empresário foi procurado por nossa reportagem para se manifestar sobre o caso, mas preferiu não comentar a respeito do fato.

De acordo com Xoxolo, a repercussão do áudio pesou na decisão de sair. “Eu fiquei a semana inteira pensando. Muitas pessoas amigas que me mandaram mensagens, conversamos, mas também tem as pessoas que são maldosas. E tudo isso faz a gente refletir de tudo isso que passa e conhecendo o prefeito do jeito que ele é, sistemático, rígido, ele quer que as coisas aconteçam do jeito correto. Acredito que também, na conversa que tive com ele, estava bem chateado. Não posso falar por ele, mas um pouco mais bravo do que o normal. Eu me senti no direito de pedir [a exoneração]”, disse. 

Apesar disso, o ex-secretário explica que a saída era algo pensado desde o ano passado, mas que os planos haviam sido interrompidos com a pandemia do coronavírus. “Ano passado já tinha uma vontade de tocar a minha empresa que montei, e estava trabalhando nesse sentido. Já tinha agendado algumas visitas neste ano e alguns espaços da região, na capital, na cidade de São Paulo, descendo até Santos. Um trabalho de conhecimento para poder trabalhar com que a gente pensava fazer. Veio a pandemia e tivemos que recuar. Já não tinha intenção de ser candidato, já falava faz tempo, porque quando fui candidato e fui vereador, por exemplo, eu fiz a minha parte”, conta. 

Quer receber notícias locais?

Xoxolo reconhece que sentiu alívio após pedir a exoneração. “Com certeza, eu fiquei bem mais aliviado porque temos o pensamento de crescimento pessoal e isso é notório. Conhecendo ele do jeito que a gente conhece e lutando, ele teve algumas conquistas que são mérito da luta dele também [do Valcedir], até dessa questão da pavimentação que chegou ali na região do Pinho de Baixo”, afirma o ex-secretário. 

Sobre a situação do seu irmão, Xoxolo disse que não julgará o fato. “Eu quero dizer que tudo pode acontecer, mas também não posso julgar ninguém, não sou eu que vou julgar alguém. As pessoas que se promovem em cima desse tipo de coisa, de repente, não conseguem subir pela sua própria força, e vão usar disso aqui. Mas eu fico bem tranquilo porque o que eu pude fazer e trazer nesse período que estava lá, eu consegui”, disse. 

Trajetória

O ex-secretário também relembrou a sua trajetória política como vereador. No Legislativo, destacou o trabalho durante as enchentes de 2014.  “Nós tínhamos que correr atrás de recursos porque a cidade precisava, passou por dificuldades, por enchentes, em 2014. Nós conseguimos trazer recursos de fora para ajudar a cidade, principalmente na questão das enchentes na época. Eu fui presidente da Comissão de Enchentes por dois anos, era uma comissão que criamos devido aos trabalhos, fizemos audiência pública, mais de 300 pessoas que perderam, na época, muita coisa, incluindo no centro da cidade. E conseguimos resolver, incluindo o canal hídrico que ajudou o nosso comércio”, lembra. 

Ele ainda destacou os trabalhos na Secretaria de Esportes e Lazer de Irati. “Quando fui para a Secretaria de Esportes, tínhamos em mente de fazer, reestruturar, trabalhar e conquistar. Fomos fazendo dentro da nossa possibilidade e também conseguimos. Conseguimos trazer vários recursos de emendas e Ministérios para trazer para a cidade e é visto isso na cidade”, relata. 

Xoxolo ainda destaca uma das principais ações na pasta. “Fico feliz de concluir o estádio da Vila São João, junto com as parcerias e o prefeito que aceitou e colocamos a emenda do Roman [deputado federal Evandro Roman]. Foram R$ 400 mil”, disse. 

Novo secretário

O ex-coordenador Moisés Neves foi nomeado como secretário municipal de Esportes e Lazer na quarta-feira (30). Moisés tem 36 anos, é graduado em Educação Física (Licenciatura e Bacharelado) pela Universidade Estadual do Centro-Oeste (Unicentro) campus Irati, com Pós-Graduação em Medicina do Esporte pela mesma instituição, e Pós-Graduação em curso na área de Gestão Pública do Esporte pela Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG). Ele já estava lotado na Secretaria de Esportes desde 2017, como coordenador de diversas atividades esportivas. Mas iniciou na pasta na gestão 2008 – 2012 como estagiário, trabalhando também como Auxiliar Técnico da equipe de Teixeira Soares na Série Prata do Campeonato Paranaense de Futsal. Hoje atua profissionalmente na área de Ginástica Laboral.