Publicidade Topo

notícias

Claudete Basen renuncia ao cargo de vice-prefeita na coligação Movimenta Irati

Professora tomou decisão após ocorrer dissidência partidária entre os integrantes do PT, que registrou chapa pura e também coligação com o PC do B do candidato, professor João

Claudete Basen gravou um vídeo para comunicar seu pedido de renúncia ao cargo de vice-prefeita na coligação "Movimenta Irati. Foto: Divulgação

A professora Claudete Basen, que é filiada ao Partido dos Trabalhadores (PT), apresentou uma carta de renúncia a sua candidatura a vice-prefeita na coligação Movimenta Irati formada pelo PT e PC do B, que foi disponibilizada para a imprensa e publicada nas redes sociais (Facebook, Youtube e Instagram) na tarde de quarta-feira, 21.

No documento, Claudete lamentou o fato da executiva municipal do partido não ter aprovado a coligação do PT com o PC do B e ter lançado chapa pura para concorrer nas eleições. Com isso, ocorreu a dissidência partidária. “Reafirmamos a esperança no respeito às decisões democráticas, pois novamente registramos que consideramos o ato contra a coligação PC do B-PT, não apenas um ato antidemocrático por parte de algumas pessoas da executiva municipal do partido, que não aceitaram o resultado da primeira convenção, mas também um ato machista e sexista, pois tais indivíduos fizeram de tudo para impedir a candidatura de uma mulher pelo partido”, diz um trecho da carta de renúncia assinada por Claudete.

A polêmica começou no dia 5 de setembro quando aconteceu a primeira convenção municipal do PT. Neste dia foram apresentadas duas propostas. Uma delas para a coligação com PC do B tendo como vice a própria Claudete ou chapa pura com os nomes de Osvaldo Zaboroski e professor Adevino. Claudete considera que a decisão coletiva não foi respeitada, pois a proposta de coligação obteve 12 votos contra quatro da chapa pura, além de duas abstenções. Porém, a executiva municipal do PT considera como válida a convenção realizada no dia 12 de setembro, onde foi definida as candidaturas de Zaboroski e Adevino como candidatos a prefeito e vice-prefeito, respectivamente. Essa deliberação foi aprovada com quatro votos favoráveis e nenhum contrário.

Quer receber notícias locais?

Conforme Claudete, a decisão de realizar uma nova convenção contrariou a própria orientação da executiva estadual do PT.  “Desta forma, conforme determina a lei eleitoral, ainda no dia seguinte, a ata da convenção foi registrada no sistema de candidaturas (Candex). A partir de então travou-se uma batalha interna no partido, pois parte da executiva municipal não aceitou as decisões democraticamente tomadas na convenção, recusaram-se a fornecer as atas para o registro manual da convenção, sendo registrada diretamente no Candex, com base nos rascunhos. O presidente do diretório municipal do PT, convocou outra convenção, contrariando inclusive a executiva estadual do partido, que em e-mail encaminhado diretamente ao senhor Adevino, orientou que não havia necessidade de realizar outra convenção, pois já haviam referendado a decisão tomada na convenção do dia 5 de setembro. Mesmo assim, realizaram nova convenção, com participação apenas de nove pessoas, e conforme a ata registrada no Candex, destes nove presentes, ‘votaram os membros da Comissão Executiva, em número de quatro, presentes. Apurou-se quatro votos sim; votos não (00), nenhum, para aprovação da chapa majoritária”, disse a professora na carta de renúncia. 

Claudete questiona o fato das pessoas que votaram na primeira convenção não terem sido convocadas ou convidadas para participarem do novo encontro realizado no dia 12. “Porém, vale ressaltar que os filiados que na convenção do dia 5 de setembro votaram pela Coligação com o PC do B, não foram convocados e/ou convidados para a “nova convenção”, e ainda se observa que quem votou, foram apenas os membros da comissão executiva do partido. Importante ressaltar que a propositura da minha candidatura se deu em virtude da aprovação do coletivo, e foi referendada pela Executiva Estadual, conforme mencionado em ata de convenção e num ato de total desespero e autoritarismo, não aceitando a decisão do coletivo, parte da executiva municipal do partido, começou a propagar fatos inverídicos, com objetivo de desestruturar a linda campanha que Movimenta Irati 65 têm construído”. 

Na carta, Claudete também explica que foi apresentado um pedido de impugnação da coligação Movimenta Irati, que está em tramitação na justiça eleitoral em virtude da dissidência partidária, pois foram apresentados dois nomes para concorrer ao mesmo cargo, ou seja, representando o mesmo partido. “Em casos de dissidência, cabe ao Juízo Eleitoral a análise, instrução do processo e as decisões proferidas ao caso. Desde então estamos em contato constante com o jurídico da nossa campanha, procurando sempre a melhor solução, que facilmente seria resolvida se os resultados do processo democrático fossem respeitados. Sabe-se, as eleições ocorrerão em data de 15 de novembro de 2020 e até o presente momento, não houve julgamento final sobre a situação, bem como não há previsão de quando ocorrerá. Diante disso, foi convocada uma reunião com os membros da Coligação Movimenta Irati 65, para a apresentação da atual situação processual, bem como dos riscos à campanha. As pessoas presentes fizeram algumas considerações e exposições sobre a pauta, respeitando o processo democrático. Em ato de verdadeira democracia, mesmo com sentimento de total injustiça em virtude da atual conjuntura, houve a decisão coletiva de declínio de candidatura, que se deu única e exclusivamente por conta do atual processo em tramitação junto à 34ª Zona Eleitoral, buscando minimizar possíveis prejuízos à campanha. É pensando no coletivo e no melhor para Irati que eu, Claudete Basen, informo meu declínio indicando que retiro minha candidatura do cargo de vice-prefeita na coligação Movimenta Irati 65 (PCdoB/PT), mas deixo registrado que essa decisão foi tomada apenas por força maior e que estarei junto com o grupo Movimenta Irati 65, dando todo meu apoio, em tudo que se fizer necessário”, relatou. 

Após a desistência de Claudete Basen, o PC do B protocolou o pedido de registro de candidatura do agricultor Leoni Ribas, como novo candidato a vice-prefeito da coligação Movimenta Irati. O pedido aguarda julgamento da justiça eleitoral. Leoni exerceu o cargo de secretário de Agropecuária, Abastecimento e Segurança Alimentar durante a gestão do ex-prefeito Odilon Burgath.

Em decisão liminar, o juiz eleitoral Fernando Eugênio Martins De Paula Santos Lima, decidiu que o espaço do horário eleitoral fosse destinado ao PT chapa pura, que tem como candidato a prefeito Osvaldo Zaboroski e a vice, o professor Adevino Leite da Silva. Desta forma, atualmente o PC do B não tem espaço no horário eleitoral do rádio.