notícias

Asfalto será substituído em trechos da BR-277 em Irati e região

Obras serão intensificadas a partir de quinta-feira, 15, podendo causar lentidão nos trechos entre Palmeira e Irati, Irati e Prudentópolis e na Serra da Esperança

Obras devem ser finalizadas até o fim de 2020. Foto: Assessoria da Caminhos do Paraná

A Caminhos do Paraná vai intensificar o trabalho de troca de asfalto em trechos da BR-277 a partir de quinta-feira, 15. Os serviços serão realizados entre Palmeira e Irati, Irati e Prudentópolis e na Serra da Esperança, em Guarapuava. Segundo informações da assessoria de imprensa da concessionária, as obras devem ser finalizadas até o fim de 2020. 

O engenheiro responsável pelas obras, André Metzger da Silva, relata qual é o objetivo da substituição do pavimento. “Ao remover o asfalto desgastado e adicionar uma nova camada, é possível eliminar eventuais fissuras e irregularidades e garantir o conforto e a segurança que há muitos anos são a marca registrada da Caminhos do Paraná”, afirma André.

O responsável pelo controle de qualidade do pavimento, Lucas Fernandes, diz que o asfalto novo é polimerizado, ou seja, modificado com polímeros. “A tecnologia aumenta a elasticidade e resistência à água e ao tráfego, fazendo com que o asfalto dure mais e mantenha a segurança por mais tempo”, explica Lucas.

Quer receber notícias locais?

O trecho total que será recuperado é de 64 quilômetros e 200 metros. Os serviços serão realizados entre os quilômetros 203 + 700 metros e 212 + 900 metros entre Palmeira e Irati, km 253 e 280 entre Irati e Prudentópolis e 310 + 600 metros e 338 + 600 em Guarapuava. Com isso, as intervenções compreendem nove quilômetros e 200 metros no trecho entre Palmeira e Irati, 27 quilômetros entre Irati e Prudentópolis e 28 quilômetros em Guarapuava. 

A concessionária alerta que o tráfego de veículos seguirá no sistema pare e siga nos locais das obras. Por isso, poderá ocorrer lentidão em alguns pontos. “Recomendamos que, sobretudo neste período, as viagens sejam planejadas de forma a dispor de um tempo extra, já que o sistema pare e siga pode atrasar o percurso”, relata André.