notícias

Retomada de competições esportivas depende da redução de casos de coronavírus

Campeonatos estão suspensos em Irati desde o mês de março no início da pandemia e não tem expectativa de retorno
Competições de futsal que estavam em andamento foram paralisadas no mês de março. Foto: Foco Esportivo/Osmair Turko
No dia 28 de agosto, a prefeitura de Irati publicou uma portaria liberando a prática esportiva em locais particulares. Porém, a determinação manteve a suspensão da realização de competições no município. Atualmente, a secretaria de Esportes e Lazer aguarda a liberação da secretaria Municipal de Saúde para que esses campeonatos sejam retomados.

Em entrevista à Najuá, o secretário Antônio Celso de Souza, o “Xoxolo”, disse que o esporte, assim como os setores de turismo e de eventos, também foi afetado pela pandemia. Mesmo assim, ele aguarda com expectativa pela retomada das atividades. Uma das possibilidades é que uma competição a nível regional seja organizada no mês que vem. Entretanto, o secretário ressalta que a volta dos campeonatos regionais somente será possível se o número de casos de coronavírus no estado continuar reduzindo. “Como está caindo o número de infectados no Paraná e no Brasil, esperamos que o vírus vá embora. A gente tinha um calendário bastante intenso dentro da regional de esportes e foi cancelado todos os jogos oficiais. A expectativa nossa é que até outubro a gente consiga fazer alguma atividade regional”, afirma Xoxolo.

Em Irati, algumas competições que estavam em andamento foram suspensas no mês de março, como a Copa Irati de Futsal, a Copa Wisa de Futsal Feminino e o Campeonato Master de Futebol. Xoxolo relata que em virtude dessa situação, a secretaria precisa analisar a viabilidade de datas para organizar competições ainda neste ano, já que o calendário esportivo deve ser finalizado até 20 de dezembro.
A gente conversou com o [enfermeiro] Agostinho [Basso] e, se o número de contágio se manter baixo, seguindo os protocolos, futuramente a gente vai tentar terminar os nossos campeonatos, disse o secretário.
Ele também comentou sobre competições tradicionais do calendário esportivo iratiense, que podem não ser realizadas neste ano mesmo que as atividades sejam liberadas. “A gente também não conseguiu realizar o Interbairros, além do [Campeonato] Varzeano, Rural, fora os Jogos Juventude e os Jogos Abertos. De salão, a gente tinha também o Cascudão e a Copa Zanoni com aproximadamente 900 atletas. Já o Campeonato Varzeano tem duração de cinco meses. A gente vai ter que pôr no papel para ver a questão das datas e ver o que dá para fazer quando tiver novos decretos. É um campeonato que movimenta muita gente. Nós movimentávamos cerca de 2 a 3 mil pessoas por semana. Então a gente fica bem esperançosos para que haja uma vacina, para que futuramente possamos recuperar os atletas de jogos”, destaca.


No dia que foi publicada a portaria liberando a realização de atividades esportivas em arenas particulares, o coordenador do Centro de Operações Especiais e Fiscalização (COEF), Agostinho Basso, explicou que isso só foi possível porque as empresas poderão se responsabilizar pela aplicação das medidas de controle ao Covid-19 em seus espaços, o que não ocorre em locais públicos. O enfermeiro justificou que este é um dos motivos pelos quais os campeonatos municipais continuam suspensos. Agostinho afirmou que o município não teria condições de fiscalizar a aplicação das medidas em todas as praças esportivas e nem de testar todos os atletas antes dos jogos. O coordenador do COEF citou como exemplo alguns clubes do futebol brasileiro profissional, que possuem departamento médico para acompanhar os atletas diariamente e também dinheiro suficiente para realizar testes para detecção da infecção.

Xoxolo incentiva os atletas e pessoas que praticam esportes para se manterem ativos, mas sem esquecer dos cuidados básicos contra o coronavírus.
As pessoas estão ansiosas para realizar as atividades, mas a gente só vai fazer quando tiver segurança e o aval da Secretaria de Saúde. Então todos que puderem fazer uma atividade, por exemplo, academia, façam, se cuidando. Nesse momento é preciso cuidar da vida, que é o mais importante e futuramente, tenho certeza que todos os esportistas vão voltar a jogar e representar o município, orienta. 
Texto: Lenon Diego Gauron, com supervisão de Rodrigo Zub e reportagem de Ademar Bettes e Tadeu Stefaniak