notícias

Grupo Ivasko lança mais uma edição do X-Solidário

Parte dos recursos arrecadados serão repassados para implantação de Departamento de Preparação de Medicamentos na unidade do Erasto Gaertner, em Irati
Lançamento da campanha X-Solidário de 2020 foi realizada de forma on-line durante o programa Meio Dia em Notícias de quinta-feira. Foto: Juarez Oliveira
A campanha X-Solidário entra em mais uma edição. Realizada pelo Grupo Ivasko, a campanha promove a arrecadação de valores a entidades por meio da venda de lanches. O lançamento foi realizado na quinta-feira (3) em uma live promovida durante o programa “Meio Dia em Notícias” da Super Najuá (Confira a entrevista completa no fim do texto).

A novidade deste ano é que parte dos recursos arrecadados serão revertidos para a implantação de um Departamento de Preparação de Medicamentos na Unidade Avançada do Hospital Erasto Gaertner em Irati.

Outra novidade é a participação da Santa Casa de Saúde de Irati que também será beneficiada com parte dos recursos. “Sabemos das dificuldades e do momento que vivemos na pandemia, por isso também de se somar à Santa Casa que sabemos que está passando por grandes dificuldades e precisamos dar uma assistência emergencial à Santa Casa. Entendemos que é muito importante e que o momento exige”, explica Edna Ivasko, representante do grupo Ivasko. Para Zeka Ivasko, o momento é de olhar para quem dá assistência à saúde. “Temos que lembrar um pouco que há pessoas com problemas maiores, que são os problemas de saúde”, disse.


O valor do lanche será de R$10 e poderá ser adquirido nos supermercados Ivasko ou em parceiros localizados em municípios da região. Os lanches também estão sendo vendidos pelas integrantes da Rede Feminina de Combate ao Câncer e da Associação do Núcleo de Apoio ao Portador de Câncer de Irati (ANAPCI. “Nossas voluntárias estão à disposição para participarmos e vendermos o sanduíche em prol das nossas instituições”, afirmou a presidente da Rede Feminina de Combate ao Câncer, Ieda Waydzik. A Associação de Amigos da Santa Casa também ajudará na venda.

Quem não quiser levar o lanche, mas quer colaborar, pode adquirir a ficha do sanduíche e marcar como doação. Como neste ano não há a possibilidade de doação dos sanduíches em escolas, por causa da pandemia, todo o valor doado nesta modalidade será revertido para a campanha. Anteriormente, o custo dos ingredientes do sanduíche doado era descontado.

Outra novidade é a possibilidade de doação por transferência em conta bancária. “Nos nossos materiais e nas redes sociais nós vamos ter um QR Code e a pessoa pode acessar o QR Code, que vai dar acesso à uma conta que foi aberta especificamente para a campanha”, disse Edna. A doação mínima será de R$ 10, valor do lanche. Para mais de uma doação, o valor precisa ser múltiplo de dez.

Os dados da conta serão divulgados nas redes sociais do Grupo Ivasko que deverá contar com várias ações para a divulgação da campanha. “Devido a todo esse momento, a tudo que estamos passando hoje, nós entendemos que podíamos expandir essa campanha, deixar ela maior através das redes sociais”, explica Israel Macedo, responsável pelo Marketing do Grupo Ivasko.

A renda líquida arrecadada com os sanduíches será revertida em três partes: 40% para Santa Casa, 40% para a Unidade do Erasto em Irati e 20% para ANAPCI.

Segundo o administrador da Santa Casa de Irati, Sidnei Barankiewicz, o hospital usará os recursos para a compra de material cirúrgico. A Santa Casa é a única da região a fazer 100 cirurgias eletivas e 150 cirurgias de emergência e urgência por mês.  “Esse instrumental cirúrgico ele tem um tempo que tem que passar por uma lavagem, uma esterilização, em alguns procedimentos eles tem que estar esperando esse processo, então para que possamos otimizar mais o tempo dentro do Centro Cirúrgico - de repente até estar ampliando o número de cirurgia para região - o investimento esse ano será em compra de instrumentais cirúrgicos”, conta. A estimativa que sejam comprados R$ 40 mil em materiais.

Na ANAPCI, os recursos deverão ajudar na compra das cestas básicas. “É uma inciativa muito louvável de ajudar todos os nossos pacientes, então vamos distribuir. Nós distribuímos alimentos em forma de cesta básica, os protetores solares, então isso vai ajudar a nossa instituição”, relata a presidente da ANAPCI, Denise Dietrich.

O superintendente do hospital Erasto Gartner, Adriano Lago, destaca que a criação de um Departamento de Preparação de Medicamentos fará com que a unidade de Irati possa fazer a manipulação de qualquer medicamento.

Isso deverá ajudar nos tratamentos feitos na unidade. Atualmente, um carro precisa ir à Curitiba para trazer os medicamentos para tratamentos. “Vamos evitar o tempo de deslocamento, que hoje as quimioterapias e tratamentos chegam em torno de 11h da manhã e agora [com o Departamento] a partir das 6, 7h da manhã já iniciar a manipulação.  Isso faz com que atenda com mais segurança porque não vamos ter a etapa do transporte, conseguimos atender mais pacientes, porque no tempo de deslocamento até Irati, nós já estaremos produzindo medicamentos. E vamos diminuir o custo porque vamos reduzir o número de viagem. O tempo de trabalho de motorista, pedágio, desgaste do carro, combustível. E mais do que isso, se um paciente não consegue ir fazer sua agenda, o medicamento que mandamos para Irati é desperdiçado porque não sabemos que ele não estará lá, assim quando ele chega na instituição nós já pode preparar o medicamento dele”, relata.

A expectativa é que a implantação tenha um custo de R$ 200 mil. Para agilizar a entrega, o Grupo Ivasko autorizou o uso de parte do valor arrecadado na campanha passada para a construção no hospital Erasto Gartner. Este valor e mais o valor arrecadado deverá pagar o investimento do departamento.

Prestes a completar três anos em Irati, a unidade tem realizado 600 atendimentos por mês e 50 primeiras avaliações por mês. Os dados foram revelados pelo superintendente que informou que 100% dos tratamentos começam em até 20 dias, e destes, 67% começam em até dez dias. O máximo de tempo preconizado para o começo do tratamento de câncer é de 60 dias.

Recentemente, uma parceria entre o Erasto, a Prefeitura de Irati e uma indústria farmacêutica internacional possibilitará que o diagnóstico de câncer seja mais rápido, por meio de um rastreamento de câncer de mama e de pele.

Agentes comunitários deverão ajudar no rastreamento. “Junto com os atendimentos que eles fazem à população, nós vamos rodar de maneira eletrônica, um questionário muito simples. É um questionário médico, validado pela comunidade científica. A partir destas respostas, nós, de uma maneira organizada e eletrônica, vamos organizar cada pessoa se ela precisa passar por uma consulta, por uma avaliação, uma recomendação. Com isso vamos trabalhar fortemente para ter diagnóstico precoce”, explica Adriano.

Texto de Karin Franco, com reportagem de Paulo Sava