notícias

Forças de segurança incineram 11,5 toneladas de maconha em Irati

Mais de 10 toneladas de maconha que foram destruídas faziam parte de uma única apreensão realizada na BR-277, em Irati, em agosto
Drogas foram incineradas no forno de uma serraria em Irati. Foto: PRF/Divulgação
Mais de 11 toneladas de maconha foram incineradas no forno de uma serraria em Irati na manhã de quinta-feira, 10. As drogas foram apreendidas pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) e outras equipes de segurança da região. 

O trabalho de escolta e incineração de 11.500 kg de entorpecentes contou com a participação da Polícia Civil, PRF, Polícia Rodoviária Estadual (PRE), Polícia Militar  e Guarda Municipal. A destruição das drogas foi autorizada pela justiça.

Boa parte dos materiais incinerados faziam parte de uma única apreensão realizada pela PRF no dia 30 de agosto em Irati. Na ocasião, os agentes localizaram as substâncias ilícitas em um caminhão bitrem abordado na BR-277. As drogas estavam por baixo de uma camada superficial de milho. O condutor, de 44 anos, que reside em Passo Fundo/RS, disse que não tinha conhecimento que estava transportando entorpecentes. Ele afirmou que havia retirado o caminhão de uma fazenda em Ponta Porã/MS com destino a uma fábrica de ração em Arroio do Meio/RS.


No dia da apreensão, o motorista foi conduzido para a Delegacia de Irati para prestar esclarecimentos sobre o fato. O bitrem com 10.387 kg de maconha foi escoltado até o pátio do 1º Batalhão de Polícia Militar de Ponta Grossa, onde permaneceu até a manhã desta quinta-feira, 10, quando foi escoltado até Irati para que a droga fosse incinerada. Essa foi a maior apreensão de maconha na região dos Campos Gerais. O recorde anterior era de duas toneladas. Em função da grande quantidade de drogas foi necessário utilizar um trator para auxiliar na pesagem e carregamento. Conforme a PRF, os destinatários das drogas estavam identificados com figuras de desenho animado e com as palavras PR, Curitiba, Santa Catarina, Barcelona e Rio de Janeiro.

Fotos: PRF e PM