notícias

Cresce a quantidade de entregas a domicílio em Irati

Motoboys entrevistados por nossa reportagem dizem que têm adotado todas as medidas para evitar a disseminação do coronavírus

Gerson Luís Chochuk Júnior trabalha como motoboy há 06 meses. Foto: Arquivo pessoal
Paulo Henrique Sava
Em meio a pandemia de coronavírus, os hábitos de consumo da população mudaram. Muitas pessoas aderiram à modalidade de entrega a domicílio (delivery) para adquirir alimentos, medicamentos e outros produtos. Com isto, a quantidade de entregas realizadas pelos motoboys cresceu em Irati. Entretanto, a maioria deles trabalha de forma autônoma, não possui cadastro como Microempreendedor Individual (MEI) e atua neste ramo para complementar a renda familiar.

É o caso de Bryan William de Oliveira. Ele, que está há 9 meses nesta área,conta que recebe, em média, R$6 por entrega. O valor pode variar de acordo com a distância percorrida. O entregador diz que muitos consumidores e empresas aderiram à modalidade para evitar aglomerações.
Como eu trabalho na entrega de lanches e o pessoal quer evitar a aglomeração, optam pela modalidade delivery pedindo por aplicativo ou pelo WhatsApp.
Como medidas de prevenção, não podem faltar o uso de máscaras, o álcool em gel e o distanciamento, sem o contato com o cliente, conforme Bryan.
O uso de máscara não pode faltar, passo álcool em gel toda hora e sem contato com o cliente.
O motoboy João Lucas Turczyn dos Anjos trabalha há 2 anos e 4 meses no ramo. Ele também utiliza as entregas como um trabalho extra, já que tem emprego fixo em uma empresa de embalagens e doces de Irati. O entregador diz que a renda varia muito, de acordo com o dia da semana. Ele recebe de R$ 6 a R$ 10 por entrega, dependendo de cada empresa que solicita seus serviços.
Depende, começo de semana é sempre mais parado, dá para tirar uns R$40, 50 ou 60, mas no final de semana bom que você trabalhe na sexta e no sábado, porque no domingo eu não trabalho, dá para ganhar um pouco mais de R$100.
Em relação às medidas, o entregador diz que utiliza álcool em gel com frequência, evita o contato com o cliente e sempre pede para as próprias pessoas inserirem os cartões na maquininha, quando utilizada. Ele também diz que toma todos os cuidados necessários no trânsito, evitando ultrapassagens perigosas, parando em esquinas quando necessário e tendo paciência na condução da motocicleta pelas ruas da cidade.

Gerson Luís Chochuk Júnior trabalha como motoboy há 06 meses. Ele diz que, por conta da pandemia, percebeu um aumento no número de pedidos feitos pelo delivery e que tem adotado todas as medidas de segurança.
Uso máscara e álcool gel o tempo todo, mantenho o distanciamento social e não retiro o capacete.