notícias

Na pandemia, Italiano se adapta e investe em melhorias

Grupo Italiano, que é composto por dois restaurantes, panificadora e casa de eventos, alterou os espaços para continuar atendendo e ao mesmo tempo promove reformas em suas estruturas
Restaurante Italiano da XV de Julho está em reformas. Imagem Najuá
Lenon Diego Gauron/supervisão Jussara Harmuch

Agnaldo Menon, sócio proprietário de empreendimentos no ramo de restaurante, panificadora, entretenimento e eventos, que levam a marca Italiano em Irati, falou em entrevista à Rádio Najuá sobre as medidas que estão sendo tomadas para manter o atendimento nesse período de isolamento social para conter a transmissão do coronavírus.

“A gente transferiu o restaurante [da rua XV de julho] para onde era o centro de eventos por ser um espaço mais amplo, onde permitiu fazermos o distanciamento social entre as mesas e tomar todas as medidas que precisam ser adotadas para o restaurante funcionar num espaço maior. Shows, baladas e até mesmo eventos sociais como casamentos, festas de 15 anos e eventos corporativos estão em um setor que paralisou”, destaca.

Ainda sem previsão para o retorno das atividades de entretenimento, que por natureza levam à aglomeração, Agnaldo conta que houve uma mudança drástica. “Eu acho que está acontecendo de uma maneira diferente. Esses dias a gente presenciou um casamento virtual, mas o presencial, com todo aquele trabalho, esse eu acho que está parado. O pessoal está cancelando ou remarcando. Então houve uma mudança drástica no cenário”.

Ele falou sobre as novas orientações daqui para frente. “A gente vai ver quais são as recomendações relacionadas aos eventos, tentar se adaptar e fazer e seguir da melhor forma as recomendações e restrições para que o evento possa acontecer”, avalia.
É o novo. A gente vai ter que se adaptar até tudo isso passar
Na avaliação do empresário, o comércio noturno foi o que mais sentiu o isolamento social. Por sua vez, os restaurantes que servem almoço têm conseguido se manter com certa tranquilidade. “Aqui embaixo [no restaurante da rua XV de Julho] o que afetou foi a questão da noite, onde o pessoal vinha para tomar um chope, um sorvete e passar um tempo e hoje não existe mais. Na parte do dia, no almoço, o pessoal está vindo para almoçar no buffet por quilo. Na parte da churrascaria [na rua 19 de Dezembro] também foi um pouco afetado na parte do funcionamento, mas tem a parte boa, por ser buffet por quilo, o pessoal pode escolher o que comer e isso equilibrou o movimento”, finalizou.