notícias

Governo Estadual abre consulta popular sobre reformas e ampliação do Colégio Florestal

Iratienses tem até o dia 16 de agosto para participar da consulta popular on-line
Colégio Florestal de Irati fica na Avenida Paraná, número 1000. Foto: SEED/Arquivo
O Centro Estadual Florestal de Educação Profissional Presidente Costa e Silva (Colégio Florestal de Irati) foi pré-selecionado para participar de uma consulta popular que está sendo realizada pela Secretaria de Estado da Educação e do Esporte do Paraná (SEED-PR).
O objetivo é que os paranaenses possam participar da consulta popular oferendo informações sobre as ações do projeto Educação para o Futuro, que possui financiamento parcial do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). O projeto conta com a reforma e ampliação de 150 escolas já existentes, além da construção de cinco novos estabelecimentos de ensino.
Em Irati, o Colégio Florestal foi pré-selecionado para receber a ampliação e reforma de quatro salas de aula, sala de aula no viveiro, laboratórios de marcenaria, carpintaria e tecnologia, sala dos professores, almoxarifado, reforma da cozinha e melhoria do padrão de entrada da energia.

Como a liberação dos recursos depende da aprovação de trâmites burocráticos, ainda não há um prazo para início das obras, nem o valor exato direcionado para o projeto. Antes dessas definições é preciso realizar a consulta popular para demonstrar a viabilidade social e ambiental das ações. “O Banco Mundial vai avaliar as respostas desses formulários que serão preenchidos. Se realmente venha a calhar com a necessidade da sociedade essas melhorias no colégio, aí vamos passar para um processo de seleção das principais obras”, explica o professor Igor Zampier.

A ampliação do Colégio Florestal também ajudará nos planos futuros de expansão de cursos. “Essa é a primeira indicação para que possamos programar para futuros novos cursos e ampliação dos cursos que temos”, conta.

Ainda no Núcleo Regional de Educação de Irati, o Colégio Estadual Alberto de Carvalho, de Prudentópolis, também participa da consulta popular. A consulta popular está sendo realizada para que a população local indique os impactos ambientais e sociais que os projetos farão em cada cidade. “Lá são questões que perguntam sobre a importância e os impactos sociais e ambientais que as reformas e construções previstas para o colégio podem ajudar a fortalecer a nossa educação profissional”, destaca a diretora, Mariane Pierin Gemin.

Os cidadãos terão que acessar a página da SEED-PR e preencher um questionário on-line. “As questões que essa consulta pública faz não faz menção específica ao Colégio Florestal. Por isso, é importante as pessoas se identificarem como da cidade de Irati. É pela cidade que eles farão o link com o colégio”, explica a diretora.

Clique aqui para acessar o site da SEED/PR com mais informações sobre o projeto. Para acessar o questionário e responder, clique aqui. A consulta ficará disponível até 16 agosto.

Segundo o professor, os impactos ambientais da obra serão mínimos. Porém, a importância social será significativa para a região. “Como ela é uma obra interna, o nosso colégio é um pouco diferenciado dos outros colégios. Nós temos quase 200 hectares de terreno, nós acreditamos que esse impacto que possa ter de construção negativa, onde vai transitar caminhões, por ventura, barulho. Isso nós isolamos no colégio por ser isolado. Nossa vizinhança fica a uma distância bem segura, então acredito que nesse aspecto nós não teremos problemas algum. Em contrapartida, no alcance social que isso terá, tanto na Vila São João quanto no município de Irati e outros vizinhos, nós temos um ponto positivo, uma vez que alcançamos mais de 35 municípios em alunos que já estão matriculados no nosso colégio”, relata Igor.

Ele ainda destaca que esse é um momento de unir quem passou pela instituição. “Agora é a prova que temos se todos aquelas pessoas que passaram por aqui e todas aquelas famílias que tiveram um aluno que tiveram a formação ou que tenham emprego hoje que participem da nossa escola ainda. Essa resposta da sociedade vem com que respaldamos todos os 47 anos de Colégio Florestal que já tem”, disse.

Pandemia

A diretora do Colégio Florestal também comentou como está sendo o ensino durante a pandemia. “A grande dificuldade foi a transição muito rápida de um modelo presencial para um modelo on-line. Isso é claro que teve toda uma reorganização pedagógica e administrativa para que pudéssemos aprender a dominar todos esses recursos e dar todo o suporte para os alunos”, explica.

Os alunos que possuem acesso à internet estão conseguindo ter as aulas por meio remoto, mesmo estando em outros estados. A única dificuldade tem sido a autodisciplina de acompanhar as aulas on-line. Já para quem não possui acesso à internet, o Colégio Florestal disponibiliza o material impresso a cada 15 dias. O aluno precisa ir até a instituição para ter acesso ao material.