notícias

Escolas particulares utilizam tecnologia para manter vínculo com alunos

Instituições mantém vínculo com estudantes através de aulas e atividades online
Escola Dom Bosco adotou sistema online para manter vínculo com alunos. Foto: Paulo Henrique Sava
Paulo Henrique Sava
A pandemia do coronavírus fez com que as aulas em toda a rede pública e particular de ensino fossem paralisadas no final de março. Desde então, as escolas têm enviado atividades para os alunos realizarem em casa, com o apoio dos pais, os professores precisaram se adaptar ao uso de tecnologias, como computadores, tablets e celulares.

Para não perderem alunos, as escolas particulares também aderiram ao atendimento online. O Dom Bosco de Irati adquiriu uma plataforma da empresa Pearson para que as crianças tenham acesso às aulas e atividades. A plataforma permite que os professores interajam com os alunos e registrem a presença nas aulas junto à coordenação da instituição, conforme explica o diretor Roberto Navarro.
Compramos esta plataforma e todos os nossos alunos, desde o infantil até o 9º ano, participam com aulas online, mas não o online de você ter a imagem e não ter o apoio, todos os nossos professores dão aulas diariamente para os nossos alunos. O que é ministrado no dia de hoje é encaminhado para a coordenação amanhã. A coordenadora pedagógica da escola tem contato diariamente com os professores e recebe o que foi ministrado. Isto acaba dando uma segurança muito boa para os nossos parceiros, que são os pais das crianças que estudam aqui no Dom Bosco.
O acesso pode ser feito através do site da empresa via computador, tablet ou celular. Não há necessidade de baixar qualquer aplicativo. O professor acredita que esta medida manteve a confiança dos pais no trabalho da escola.

Isto facilitou e a confiança dos pais possibilitou que hoje nós estivéssemos tranquilos no aprendizado das nossas crianças. Isto porque, tendo um bom grupo de professores como nós temos e uma direção que vive da educação, eu na universidade e minha esposa tendo especialização em educação, conseguimos trazer o melhor dentro deste momento, o que tenho certeza que é feito dentro do Dom Bosco.
A escola Dom Bosco já elaborou um protocolo detalhando como seria o cronograma para recebimento das crianças. O documento foi encaminhado para a Prefeitura, mas até agora não houve resposta.
A ideia é que nós possamos conversar com a Prefeitura Municipal e verificarmos a possibilidade de retornarmos em conformidade com a solicitação que nós já fizemos, ou seja, com todas as ações realizadas em benefício e com segurança para as crianças. 
Como argumento para reabertura, Navarro questiona onde os pais que trabalham estão deixando seus filhos o dia todo.
Se mercado, lanchonetes, bares e lojas abrem, onde estão as crianças, se os pais trabalham de manhã e à tarde? Eu acho que elas poderiam estar na escola.
Já a coordenadora pedagógica de outro estabelecimento particular, o Colégio São Pedro Canísio, Patrícia Moravieski, ressalta que, desde o dia 25 de março, a instituição vem realizando aulas remotas.
Foi uma experiência nova, mas a equipe foi se capacitando e se aprimorando a cada dia. Enviamos uma pesquisa de opinião aos pais para entendermos melhor como foi a experiência com a atividade remota, o que nos auxiliou a programar a forma mais realista e objetiva para a continuidade das atividades. Os pais têm desempenhado um papel extraordinário no acompanhamento de seus filhos. As famílias que apresentam dificuldades técnicas ou que precisam de orientação sobre o desempenho ou a frequência dos filhos são atendidas no colégio. Temos feito isto diariamente com muita satisfação, pois acreditamos que a parceria família-escola deve ser uma realidade e não ficar só na teoria.
Foram poucos os alunos que pediram transferência para escola pública, mesmo aqueles cujas famílias se mudaram, decidiram continuar seus estudos online pela confiança na instituição, conta Patrícia.
Tivemos poucas transferências. Algumas famílias mudaram de cidade, mas continuaram conosco pelo fato de as aulas serem online, o que possibilitou esta escolha. Temos alunos que mudaram de estado, mas os pais optaram por mantê-los matriculados em nosso colégio devido à confiança que têm em nossa instituição de ensino. 
Segundo Patrícia, a Secretaria de Estado da Educação (SEED) informou que está elaborando um protocolo de volta às aulas presenciais juntamente com os municípios, de forma escalonada e híbrida. Há a possibilidade de que o retorno ocorra no fim de setembro. No entanto, isto somente será concretizado se houver aprovação da Secretaria de Estado da Saúde (SESA). Patrícia garante que a escola está atenta a estas informações e preparada para receber os alunos dentro das normas estabelecidas.
Este protocolo prevê como deverá ser a higienização do ambiente, fala da necessidade da triagem da temperatura corporal diariamente e sobre o ensino híbrido, que será adotado pelo colégio e por escolas do Brasil todo como uma forma de evitar aglomerações de alunos, uma vez que haverá revezamento deles. O importante é que aqueles que ficarem em casa receberão as aulas em tempo real.
Mesmo morando em outras cidades ou estados, alunos mantiveram vínculo com o Colégio São Pedro Canísio. Foto: Reprodução Facebook

O Novo Colégio São Vicente, que tinha previsão de iniciar atividades este ano, adiou a inauguração para 2021. Entretanto, a direção da instituição aguarda, com cautela, uma definição da secretaria estadual. O assessor pedagógico da Sociedade Educacional Irati, gestora do colégio, Edélcio José Stroparo, garante que a escola já está preparada para receber os alunos.
Existe toda uma preparação do prédio, com acessibilidade, rampas, elevadores, salas amplas e bem arejadas e banheiros adequados. Haverá toda uma preparação pedagógica, com menos alunos em cada sala, distanciamento, as devidas medidas sanitárias, álcool gel e todas as recomendações para que os alunos e professores possam ter segurança para o desenvolvimento das suas atividades. É preciso muita responsabilidade em relação a isto. Aguardamos este momento para que as coisas possam se definir e tudo volte à normalidade. 
Novo Colégio São Vicente deve iniciar atividades em 2021. Foto: Edélcio José Stroparo