notícias

Quantidade de pacientes não é condição para receber recursos da Covid, diz secretária

Morador enviou mensagem à Najuá para questionar se o município de Fernandes Pinheiro estaria recebendo dinheiro por paciente registrado como caso de coronavírus
Unidade de Saúde de Fernandes Pinheiro. Foto: Arquivo Najuá
Paulo Henrique Sava

A secretária de saúde de Fernandes Pinheiro, Emanuelle de Mattos, afirmou nesta terça-feira, 28, que o número de pacientes não é condição para que o município receba recursos para o combate à pandemia de Covid-19. A declaração foi dada em resposta a um cidadão que entrou em contato com a Najuá para informar que procurou a Unidade de Saúde da sede com sua mulher no domingo, 26. Ele reclamou que teriam tentado levar sua esposa, que tinha um ferimento no rosto, para ser atendida na ala exclusiva para pacientes com coronavírus, e, só depois da intervenção de outro profissional, ela recebeu atendimento em outro local.

O morador questionou se o município estaria recebendo recursos de acordo com a quantidade de pacientes registrados como caso de Covid-19, dando a entender que o atendimento de sua esposa seria computado como tal para aumentar a verba. Emanuelle disse que todos os casos suspeitos ou confirmados são atendidos, mas que não há necessidade de registrar pacientes com a doença para que o município receba recursos.
Todos os atendimentos são feitos pelo município, não tem nada que justifique a necessidade de apontarmos um caso suspeito ou confirmado de Covid-19.

A secretária detalhou como funciona o atendimento na Unidade de Saúde da sede do município. No período da noite e nos finais de semana, apenas um prédio permanece aberto. Uma ala é utilizada para atender pessoas com sintomas gripais e respiratórios e casos suspeitos de Covid-19. As demais são encaminhadas para outro setor.

Ela esclareceu que as duas alas são atendidas por equipes de enfermagem diferentes. No entanto, apenas um médico é escalado por horário para prestar serviço na unidade, tomando todas as precauções necessárias. Além disso, não há compartilhamento de equipamentos, vestimentas e utensílios entre os dois setores. Não existe nenhum tipo de contaminação no local, uma vez que todas as medidas de desinfecção estabelecidas pelas notas técnicas da Secretaria de Estado da Saúde (SESA) e do Ministério da Saúde são adotadas.
Podem ficar tranquilos que os atendimentos são separados, e mesmo que haja algum tipo de necessidade, adotamos todas as medidas de cuidado para que não haja nenhum tipo de contaminação.
Em caso de necessidade, a população deve procurar as unidades de saúde em seus horários normais de atendimento. Na localidade de Angaí e na sede, os postos ficam abertos de segunda a sexta-feira das 8h às 17 horas. A unidade central atende também em regime de plantão das 17h às 22 horas durante a semana. Aos sábados e domingos, o horário vai das 8h às 17 horas.
Vamos tentar priorizar e buscar o atendimento nos horários normais. Se for necessário nos finais de semana e à noite, tentar procurar em horário que há atendimento de plantão. 
Para mais informações, os pacientes podem entrar em contato pelos telefones (42) 3459-1153, 3459-1384 (sede) ou 3459-5053 (Angaí). A Vigilância Epidemiológica do município atende pelo WhatsApp (42) 99855-6861.