notícias

Panka Mix vê produção aumentar nos meses da pandemia

Indústria de concreto não foi "cimentada" na pandemia do coronavírus
Tiago Panka é sócio administrador da Panka Mix. Foto: Najuá
Jussara Harmuch

Instalada há mais de dois anos no Condomínio Industrial da BR 277, em Irati, a Panka Mix viu a demanda crescer com a Covid-19. Os três dias de paralisação decretados pela prefeitura no início das medidas de isolamento para controle da pandemia não foram o bastante para abalar os negócios no setor, conta o sócio administrador da empresa, Tiago Panka.
A indústria parou por poucos dias e daí o governo municipal voltou atrás, ainda bem. No nosso ramo as pessoas trabalham bem espaçadas e foram tomadas as cautelas necessárias.
Comparado ao início do ano, abril e maio foram meses mais produtivos. Devido à expansão do negócio com a aquisição de equipamentos e contratação de funcionários, ainda no primeiro ano da empresa, não se teve tempo para estabelecer parâmetros de comparação com 2019. 
Houve até aumento considerável em abril e maio mais produtivo e em junho uma leve queda que creditamos mais à chuva, não tem a ver com a pandemia. 
Tiago conta que a principal procura por cimento em Irati e Região vem do particular, construção de casas e pequenas obras de reformas, que aumentaram com as pessoas mais em casa por conta da pandemia. São poucos os grandes projetos e alguns dos prédios iniciados estão com as obras paralisadas desde antes da Covid.
Quantos aos prédios hoje tem em construção na cidade? Se tiver dois ou três é muito, acima de quatro pavimentos e estão com as obras paradas antes da pandemia. Tem o moinho novo da Moageira que está fazendo uma obra de grande porte e as pavimentações que demandam grande volume de concreto, Irati a São Mateus e no Pinho.
O grupo Panka, que engloba a indústria de cimento e lojas de materiais de construção e autopeças, tem mais de 100 funcionários, cerca de 20 estão no parque fabril. A parte que mais sofre com paralisações é o comércio.
Se parar vai ter um retrocesso muito grande, se parar, até retomar demora muito. No grupo inteiro vai demorar um ou dois anos para retomar e se parar novamente agora, vai demorar mais ainda. Tomara que não pare, que continue com os devidos cuidados.
O empresário é contra medidas que limitem o tempo de abertura do comércio. Na visão dele, haverá maior concentração dentro dos espaços.
Com a redução do horário no comércio reduz o horário útil de circulação e consequentemente tem acúmulo maior de pessoas dentro dos estabelecimentos.
Infraestrutura
Empresários que se instalam no condomínio recebem autorização para ocupar a área pelo tempo que for, desde que mantenham a empresa em atividade e com geração de empregos. Mas a maioria sofre com a infraestrutura do local, em especial com a falta de pavimentação no acesso e pedrisco nas áreas de movimentação. O trânsito de equipamentos pesados no pátio da Panka Mix é intenso e o dia todo. De um lado carretas trazem cargas de areia, pedras e cimento, usados na composição do concreto. De outro, saem caminhões betoneiras carregados com o concreto para ser entregue nas construções. Em dias de chuva, o barro forma atoleiros, uma cilada para os motoristas.
O parque fabril é muito pequeno, os dois, são poucas indústrias. Falta esgoto e pavimentação, infraestrutura adequada para trazer mais indústrias para a região. Em dias de chuva não consigo trafegar com carretas. Que indústria vai querer vira para cá? E mais indústrias geraria mais impostos e mais empregos para a região.
Mistura que resulta em concreto
O concreto é composto basicamente por material agregado, cimento e água. O segredo para um produto firme, de qualidade está na fórmula. Areia e pedra são pesadas em balanças de precisão e levadas por trilhos até a betoneira onde são misturadas ao cimento e a água. Tudo isso deve ser feito junto e no momento da entrega. O caminhão betoneira vai processando a mistura dos componentes durante o caminho até a obra. O tempo mínimo é de 5 minutos. A quantidade certa desta mistura é definida por um sistema automatizado, cuidadosamente programado por Tiago, que é engenheiro civil. Mas a prova de que o concreto tem qualidade é tirada com o teste em laboratório nas amostras coletadas. Estes corpos de provas, como se chamam, são submersos em água por 28 dias e depois submetidos à compressão. Assista vídeo no final do texto.
Material agregado, composto de areia e pedras é levado ao caminhão betoneira onde é misturado ao cimento no percurso da entrega. Falta de infraestrutura no condomínio industrial dificulta o trânsito dos equipamentos pesados. Foto Najuá
Sistema automatizado controla a mistura dos componentes que forma o concreto. Foto Najuá.
Corpos de prova  são levados ao laboratório e ficam submersos em água por 28 dias. Foto Najuá.