notícias

IFPR explica atividades não presenciais

Alguns pais e alunos do Instituto Federal do Paraná (IFPR) procuraram a Najuá para reclamar da forma como o ensino vem sido conduzido pela instituição e da falta de acompanhamento dos professores
IFPR de Irati fica na rua Pedro Koppe, na Vila São João. Foto: IFPR/Arquivo
Paulo Sava/edição Jussara Harmuch

Diante da paralisação das atividades escolares por conta da pandemia do coronavírus, as instituições estaduais e federais de ensino adotaram o sistema de aulas à distância (EaD) para que os alunos não fiquem sem conteúdo neste período. Alguns pais e alunos do Instituto Federal do Paraná (IFPR), procuraram a Najuá para reclamar da forma como o ensino vem sido conduzido e da falta de acompanhamento dos professores.

Procuramos a diretora do campus Irati do IFPR, Ana Rádis, que destacou o ritmo diferente para cada conteúdo e que cada professor trabalha com as ferramentas mais adequadas ao conteúdo aplicado.
A diretora reforça que o acompanhamento dos professores vem sendo feito. No entanto, a equipe pedagógica do IFPR informou que alguns alunos deixaram de realizar algumas atividades. Os estudantes não estão se conectando devidamente às disciplinas.
Temos o objetivo muito forte de manter o vínculo com estes estudantes, para que eles tenham ritmo de estudos, já que muitos deles estão se preparando para provas importantes como o ENEM, por exemplo. Nós queremos manter este vínculo e fazer com que os estudantes continuem com ritmo de estudos. 
Ana solicita que os pais entrem em contato com a equipe pedagógica para que sejam feitos os devidos ajustes no ritmo de estudos dos alunos e que eles tenham acesso a todos os conteúdos possíveis.
De acordo com a diretora, as atividades do instituto são enviadas aos estudantes semanalmente. Eles recebem vídeo aulas, textos, ou encontros virtuais. Testes através da resolução de questionários são aplicados com o objetivo de fixar os conteúdos.
A instituição justifica que é preciso considerar as mudanças no cenário atual, com os jovens assumindo tarefas como cuidar dos irmãos ou auxiliar os pais nos afazeres domésticos, a equipe pedagógica decidiu não “exagerar” no conteúdo e na carga horária destes estudantes, principalmente do Ensino Médio e do Ensino Superior.
Não temos realizado atividades com todas as disciplinas para não sobrecarregar estes estudantes. No Ensino Superior, também estamos tendo este cuidado. A ideia é que o estudante mantenha este vínculo com a instituição e não se sinta sobrecarregado com ações a mais para realizar neste momento tão difícil
A plataforma utilizada para distribuição das atividades e realização das aulas é o Google Classroom, a mesma utilizada pela Secretaria Estadual de Educação (SEED) para o programa Aula Paraná. O IFPR já utiliza a plataforma há mais tempo, sendo que alguns professores fazem uso da ferramenta há pelo menos 3 anos como forma complementar e de reforço de conteúdo para os estudantes. Este sistema é necessário para que os alunos tenham acesso a salas de aula virtuais.
Os estudantes recebem um código de acesso para as turmas. Dentro delas, eles ficam cadastrados na plataforma, onde fica armazenado todo o conteúdo já trabalhado. Temos feito um trabalho no sentido de deixar o conteúdo disponível para que o aluno, no momento em que ele consiga acessar, possa assistir uma aula que o professor tenha gravado, que possa realizar uma tarefa solicitada, enfim é uma plataforma em que o conteúdo fica disponível, seja em vídeo, texto ou algum site que o professor queira mostrar para os estudantes em relação ao assunto que ele queira trabalhar.
A diretora ressalta que as atividades não presenciais não são obrigatórias. Os códigos de acesso à plataforma estão disponíveis no site e nas redes sociais do IFPR. A equipe pedagógica repassou os códigos para pais de alunos que não conseguiram acessar via internet. Está sendo providenciado um edital de acesso digital para os estudantes que não têm disponibilidade de internet. Para isto, a instituição aguarda a liberação de recursos do Governo Federal. A ideia é fornecer internet via pacote de dados 4G e computadores para estes jovens. A equipe do Instituto já fez um levantamento dos alunos que têm esta necessidade. Eles terão acesso ao edital e poderão se candidatar para receber os equipamentos.

Neste levantamento foi incluída uma porcentagem a mais de alunos que podem necessitar deste auxílio digital, de forma que ninguém fique sem receber conteúdo. Apesar deste esforço online, haverá necessidade de reposição de aulas.
Estávamos estudando e verificando a possibilidade de retorno, mas quando percebemos que isto não aconteceria tão brevemente, optamos por fazer estas atividades. Teremos que fazer reposição de carga horária, pois nem todas as disciplinas estão sendo trabalhadas e temos cursos e área técnica muito específicas. As propostas não presenciais não contemplam todos os conteúdos e por isto faremos atividades de reposição no retorno.
O Ministério da Educação (MEC) e o Conselho Nacional de Educação (CNE) deliberaram que não há mais necessidade do cumprimento mínimo de 200 dias letivos pelas escolas e instituições de ensino. No entanto, precisa cumprir as cargas horárias dos cursos. As atividades não presenciais poderão ser consideradas como parte da carga horária. Quando se une a área técnica com o Ensino Médio, este limite pode chegar a 1400 horas por ano.

Ana entende que não há possibilidade de manter o mesmo ritmo das aulas presenciais no material produzido e enviado via internet. Ela diz ter esperança que a pandemia termine e que o retorno às aulas aconteça o mais breve.
Queremos voltar o quanto antes, mas no retorno, queremos ver todo mundo dentro do IFPR bem, saudável, e que possamos manter as nossas atividades.
Para mais informações ou reclamações, o contato com o IFPR pode ser feito através do telefone (42) 98867-3897. O contato pode ser feito via ligação ou WhatsApp. O Instituto não está realizando atendimento presencial.