notícias

Projeto Arteiros Paraná incentiva jovens a estudarem durante a pandemia

Em parceria com o Núcleo Regional de Educação (NRE) de Irati, grupo produz vídeos, memes e emojis com legendas para incentivar colegas a participarem das aulas à distância do programa Aula Paraná

Alunos participantes do Projeto "Arteiros Paraná". Foto: Divulgação Facebook

Paulo Henrique Sava


O Núcleo Regional de Educação (NRE) de Irati resolveu inovar e fazer algo criativo para incentivar os alunos da rede estadual de ensino a estudarem durante a pandemia. Em parceria com um grupo de jovens, foi criado o projeto "Arteiros Paraná", que conta com a participação de 5 estudantes do colégio estadual Antônio Xavier da Silveira e da Escola Nossa Senhora das Graças.

O projeto, iniciado há apenas uma semana, tem sido responsável pelo envio de memes, vídeos e emojis com legendas para incentivar os colegas pelas redes sociais a estudar.

Maria Eduarda Pedroso, a Duda, de 16 anos, estudante do 2º ano do Ensino Médio do Colégio Estadual Antônio Xavier da Silveira, conta que o NRE entrou em contato com os jovens para que eles participassem do projeto.
Eles entraram em contato conosco porque acreditam no nosso potencial de comunicação com outros jovens para motivá-los neste período de aulas remotas.
O projeto conta com apoio da equipe de ensino de educação básica do NRE, que incentiva os jovens na criação do material a ser publicado.
Temos o incentivo do NRE, que nos apoia. Na verdade, o projeto é pequeno porque queremos preservar nossas ideias, que já são muitas, e não torná-lo confuso.
Grupo produz memes, emojis e vídeos engraçados para incentivar os colegas a estudarem durante a pandemia. Foto: Divulgação Instagram

Duda conta que as ideias de cada integrante são partilhadas com o grupo. Todos opinam sobre o material a ser produzido e postado. Ela ressalta que o primeiro passo foi pensar em como melhorar a comunicação com os alunos e incentivá-los a acessar os conteúdos do Aula Paraná durante a pandemia. Para isso, o grupo utiliza ferramentas como o Instagram, o Facebook e o Twitter. Outros materiais também serão entregues para os alunos que retiram as atividades nas escolas e não têm acesso à internet.
Postamos fotos memes e tik toks (vídeos engraçados produzidos pelo aplicativo Tik Tok) e algumas montagens feitas por nós mesmos. Estas postagens têm o objetivo de lembrar o aluno que ele precisa responder o chamado e mandar as atividades no dia certo. Ainda temos muitas ideias a serem colocadas em prática, como paródias de música, recitais de poesia e diferentes maneiras de estudar. Estamos trabalhando melhor nisso para sair tudo como planejado. Também queremos alcançar o pessoal que busca as atividades na escola e não tem internet. Faremos algumas folhas ou coisas para enviar junto com as atividades, incentivando e apoiando para que ele não pare de fazê-las, porque vai valer a pena todo o esforço no final. 
O grupo produz vídeos engraçados, memes e emojis com legendas, despertando a atenção dos estudantes para a elaboração das atividades. A repercussão do projeto foi rápida, o que agradou os integrantes.
Em menos de 24 horas já tínhamos mais de 100 seguidores no Instagram. A média de curtidas por postagem é de 40 a 50 e de visualizações, quando postamos vídeos, é de 150 a 200. Estamos ficando muito felizes com os resultados, o pessoal sempre manda mensagem parabenizando pelo projeto, e gostamos quando as pessoas ajudam a divulgar no Instagram. Nós sempre fazemos bingos e templates, o pessoal reposta nos stories e marca a gente. Está sendo bem legal e tendo muito apoio dos alunos, que é o principal.
No twitter, é possível encontrar o grupo através do @arteirospr, no instagram pelo @arteirosparana e no Facebook na página do NRE de Irati. Duda diz que os jovens estão bastante empolgados com o projeto.
Todos estão muito felizes e honrados por fazer parte deste projeto, que vai ajudar muita gente. É muita animação e empolgação, o grupo está a mil e queremos chegar cada vez mais longe.
Grupo se reúne de forma online para discutir sobre as ideias e o material a ser produzido. Foto: Divulgação Facebook


Opinião dos participantes 

A estudante Bruna Mayara das Graças Teixeira, de 15 anos, aluna do 1º ano do Curso de Formação de Docentes do Colégio Antônio Xavier da Silveira, relata que, para ela, participar do projeto traz uma grande satisfação e muita alegria.
Eu fico muito feliz porque, a cada dia que passa, surgem novas ideias de conteúdo para vocês, sendo vídeos, memes e muita coisa legal. Para mim, ser uma ‘arteira’ é uma honra, pois sinto que estou aqui ajudando, incentivando e também alegrando. Neste tempo de quarentena, tudo mudou, e é normal que todos fiquemos um pouco mais desanimados e tristes. Mas nós, do Arteiros, estamos aqui para ajudar, animar e o principal, dar o maior apoio a você, aluno da Rede Estadual do Paraná. 
Thiago Lopes, de 13 anos, estudante do 8º ano do Ensino Fundamental da Escola Estadual Nossa Senhora das Graças, avalia que o projeto ajudou a melhorar a motivação não somente dos demais alunos, mas também dos próprios integrantes do grupo para os estudos.
Eu me sinto importante levando ajuda, entretenimento, mais felicidade e empolgação aos alunos que estão tendo aula remota por causa do coronavírus, fazendo com que eles se sintam mais empenhados. Eu também estou me sentido mais empenhado com os memes, vídeos e outras coisas que nós postamos.
Luiz Henrique Svereda da Rosa, de 13 anos, estudante do 9º ano do Ensino Fundamental do Colégio Xavier, diz se sentir honrado por fazer parte do projeto.
Eu me sinto privilegiado e honrado ao mesmo tempo por poder fazer parte deste grupo. Quando me convidaram foi uma felicidade, pois acho muito legal este projeto. 
Para a estudante Louizi Carneiro Menon, de 13 anos, do 9º ano da Escola Nossa Senhora das Graças, participar do projeto representa um reconhecimento pelo seu empenho e aplicação dentro da sala de aula.
Eu fiquei muito feliz por todo o meu trabalho e empenho terem sido reconhecidos pelo NRE. Eu me dei bem com os meus parceiros e com os representantes de outras escolas e acho que este projeto vai ajudar muitos alunos neste momento de aulas remotas. Estamos aqui para tentar ajudar os alunos de uma forma mais criativa e colorida. Isto é para que eles tenham mais vontade de se aplicar aos estudos. É uma coisa que me deixa muito feliz porque adoro fazer com que os outros se inspirem em mim e na gente, principalmente para se direcionarem aos estudos. Eu sou muito grata por fazer parte deste projeto incrível do NRE de Irati. 
Participação do NRE de Irati

Késia de Fátima Zubreski, técnica pedagógica do NRE, conta que o projeto foi criado como uma estratégia de apoio para que os jovens possam ajudar, informar e trazer ideias criativas em apoio aos seus colegas neste momento de distanciamento.

O NRE acompanha as criações do grupo e avalia se elas estão no contexto educativo. Por ser um grupo de apoio, as ideias precisam estar em sintonia com os parâmetros da educação.
Nós também compartilhamos as ideias deles através das nossas redes, mas eles também têm a liberdade de criar estes espaços de compartilhamento, onde têm acesso aos seus seguidores e a outros estudantes que possam também seguir. Percebemos que isto tomou uma proporção tamanha que não somente jovens estudantes estão participando, mas também profissionais da educação e pessoas de toda a sociedade estão curtindo”.
Ideias de outros estudantes sobre o que tem sido feito em escolas da rede pública também são compartilhadas pelo grupo.
Desta forma, valorizamos os trabalhos dos estudantes e as práticas pedagógicas que estão dando certo, e ainda estimulamos o protagonismo juvenil, de maneira que todos se sintam ouvidos e reconhecidos, incluindo toda forma de participação dos estudantes.
O chefe do NRE de Irati, Marcelo Fabrício Chociai Komar, ressalta que o projeto vem ajudando a expandir os conhecimentos repassados pelas aulas à distância. Por conta da motivação, outras instituições de ensino passaram a interagir com o grupo.
É um projeto inovador que veio para dar apoio e suporte a esta situação que vivemos do Covid-19, com as aulas realizadas à distância, e com a profundidade e a sabedoria dos nossos alunos. Eles são os protagonistas desta aprendizagem, com apoio dos seus professores e das direções das suas escolas, construindo este conhecimento, que não nos pertence, é puro, límpido e está tão presente nas nossas crianças. Eles podem interagir e diversificar seu conhecimento e, acima de tudo, trazer esperança em um momento tão difícil”. 
Após ouvir a reportagem no programa Meio Dia em Notícias deste sábado, 27, a professora Eloísa Van Der Neut Moraes, do Colégio Estadual Duque de Caxias, entrou em contato com o NRE de Irati e disse que irá incentivar os seus alunos a também participarem enviando ideias.

Professora do Colégio Duque de Caxias parabeniza equipe do NRE pela iniciativa e diz que incentivará seus alunos a contribuírem com o projeto. Foto: Divulgação WhatsApp