notícias

Casa de Passagem Indígena permanecerá fechada em junho

Secretária de Assistência Social Sybil Dietrich diz que indígenas somente poderão voltar a Irati após segunda ordem


Paulo Henrique Sava

Casa de Passagem Indígena fica na Avenida Perimetral João Stoklos, em Irati. Foto: Rodrigo Zub
A Casa de Passagem Indígena de Irati permanecerá fechada durante todo o mês de junho. A informação foi confirmada pela Secretária de Assistência Social, Sybil Dietrich.

Ela relata que, no início da pandemia conversou com o cacique da aldeia caingangue Terra do Ivaí, no município de Manoel Ribas, com a Secretaria Especial de Saúde Indígena (SESAI) do Ministério da Saúde e com a Fundação Nacional do Índio (FUNAI). A princípio, decidiu-se pela permanência em Irati dos cerca de 15 indígenas que frequentavam a Casa de Passagem em março, para evitar contato com outros da tribo que apresentaram sintomas de gripe.
Eles ficaram aqui, e tivemos todos os cuidados: eles ficavam isolados na casa, recebiam alimentação, e tinham todos os cuidados. Como nós estávamos suprindo a alimentação, eles não poderiam circular pela região, como recomendado na época, para venda dos seus artesanatos, mas eles ficaram produzindo e estocando para depois poder vender. No mês passado, eles próprios pediram para voltar para a aldeia. 

Diante do pedido, um novo contato foi feito com o cacique e a FUNAI, que autorizaram o deslocamento dos indígenas. De acordo com Sybil, eles estão impedidos de circular. mas a situação é estudada a cada semana.
Agora eles terão que permanecer lá até segunda ordem, até uma nova conversa entre o município e os órgãos para evitar esta circulação. Acredito que até o final de junho não terá volta deles.
No entanto, a secretária não soube informar se algum grupo teria retornado neste tempo, nem se eles teriam voltado a ocupar as obras abandonadas do Centro Cultural Denise Stoklos, local de onde foram transferidos. 

Nossa reportagem esteve lá e encontrou a obra vazia, porém aberta. Uma pessoa, que reside nas proximidades e não quis se identificar, disse ter visto o local ser ocupado por moradores de rua.

Diante da informação, a secretária disse que entrará em contato com o Governo do Estado, responsável pela obra, para solicitar a vedação do acesso.


Obras abandonadas do Centro Cultural Denise Stoklos continuam desocupadas. Foto: Paulo Henrique Sava