notícias

Amcespar emite nota sobre servidores que receberam Auxílio Emergencial


Entidade pediu cautela e atenção, para que não ocorram divulgações errôneas e imprecisas acerca do assunto

Amcespar pede cautela e atenção na divulgação de informações a respeito dos funcionários que receberam Auxílio Emergencial de R$ 600 indevidamente. Foto: Divulgação Amcespar
Da Redação, com informações da Amcespar e do TCE-PR

Após a divulgação por parte do Tribunal de Contas do Estado do Paraná (TCE-PR) de que 10.648 servidores públicos de 388 municípios paranaenses receberam o Auxílio Emergencial do Governo Federal de maneira irregular, a Associação dos Municípios do Centro-Sul do Paraná (Amcespar), que representa dez cidades (Irati, Inácio Martins, Mallet, Rio Azul, Rebouças, Fernandes Pinheiro, Teixeira Soares, Imbituva, Guamiranga e Prudentópolis) divulgou uma nota para esclarecer os fatos. No documento, a entidade pede que haja “cautela e atenção, para que não ocorram divulgações errôneas e imprecisas acerca do assunto”.

A Amcespar esclarece que grande parte dos servidores beneficiados com o auxílio financeiro não fez cadastro no aplicativo Caixa Auxílio Emergencial, utilizado para obtenção do benefício. A entidade lembra que alguns pagamentos foram efetuados automaticamente por conta da inscrição de algumas pessoas no Cadastro Único (CadÚnico) do Governo Federal e no Bolsa Família. 
Ou seja, por esta razão, muitos servidores sequer possuíam conhecimento de eventual aprovação do benefício em seu nome”, diz um trecho da nota.
Por este motivo, a Amcespar pede que haja cautela e responsabilidade na divulgação de informações relativas a este assunto, “para devido respeito ao trabalho digno de centenas de pessoas que dedicam suas vidas ao funcionalismo público, e também diante das ofensas publicadas em redes sociais que buscam atingir este público-alvo”, frisa a entidade.

Salientamos que estamos orientando os gestores municipais para NOTIFICAREM todos os servidores que receberam tais recursos, para possibilitar que os mesmos corrijam tal erro e informem à CGU (Controladoria Geral da União) sobre irregularidades ocorridas por inclusão indevida nos cadastros, e, ou mesmo, por fraudes através do uso de nomes. E aproveitamos para ALERTAR que aqueles que agiram de má fé serão alvos de sindicâncias e ou ações judiciais pelos órgãos competentes, recaindo sobre tais casos toda a força da Justiça e o rigor da lei.
A Amcespar informa que os fatos já estão sendo levantados pelas autoridades competentes, responsáveis pela averiguação da regularidade da aprovação e recebimentos do Auxílio Emergencial.

Segundo o TCE-PR, mais de R$ 7,3 milhões foram pagos para servidores públicos de 388 cidades de forma ilegal. Somente em Irati, 37 pessoas, sendo 30 aposentadas e 7 funcionários da ativa, receberam os recursos indevidamente.

Nota emitida pela AMCESPAR informa que os fatos já estão sendo levantados pelas autoridades competentes. Foto: Divulgação AMCESPAR