notícias

Vereador e Enfermeira se manifestam sobre incidente registrado em fiscalização

Vigilância Epidemiológica de Guamiranga verificava denúncia de uma possível festa na localidade de Guamirim, o que contraria normas de combate ao coronavírus. Vereador Cesar Lava teria agredido um funcionário. Parlamentar nega o fato

Karin Franco, com reportagem de Rodrigo Zub


Imagem da Praça em frente a Paróquia Menino Jesus, em Guamiranga. Foto: Ely Fernandes
Funcionários da Vigilância Epidemiológica de Guamiranga tiveram um desentendimento com o vereador do município, Cesar Paulo Lava, durante uma fiscalização realizada no domingo, 17, segundo boletim da Polícia Militar. No documento, um dos funcionários alega que foi agredido, fato negado pelo parlamentar.

De acordo com a PM, a equipe da Vigilância recebeu uma denúncia de que aconteceria uma festa de aniversário em uma residência, localizada em Guamirim, interior de Guamiranga. A aglomeração de pessoas contraria as normas de combate ao coronavírus.

A equipe se deslocou até o local, que é de propriedade de familiares do vereador. No local, a equipe verificou com a cunhada do vereador de que a festa havia sido cancelada. Neste momento, ela foi orientada e solicitada para assinar um termo.



Segundo o boletim, é neste momento que o desentendimento entre a equipe e o vereador ocorreu. Cesar, que estava na propriedade, teria se exaltado e perguntado quem havia feito a denúncia. Ele também teria dito aos funcionários do município que estavam em uma propriedade privada e não poderiam estar ali.

Os servidores entraram no carro estacionado em frente à residência, porém o vereador teria ido atrás, não deixando eles saírem. No boletim, os funcionários registraram que Cesar teria desferido um soco no braço de um dos agentes e agarrado o volante do carro.

Após esse momento, a equipe conseguiu sair da propriedade e aguardou a Polícia Militar do lado de fora. Todos os envolvidos foram conduzidos para a delegacia, onde foi assinado o Termo Circunstanciado. Laudos foram realizados nos envolvidos.

A audiência está marcada para 2 de julho.

Vereador Cesar Paulo Lava está em seu 3º terceiro mandato na Câmara de Guamiranga. Foto: Digi Color/Câmara de Guamiranga/Divulgação

Vereador nega agressão

O vereador de Guamiranga, Cesar Paulo Lava, esteve na Rádio Najuá para esclarecer o fato. Ele nega que houve agressão e alega que a funcionária da Vigilância Sanitária estava sem máscara.
 “Não houve agressão nenhuma, nada. Temos vídeo, temos áudio. Ela mesma confessou que estava sem máscara, tem vídeo que filmou ela sem máscara”, disse Cesar.

Ele ainda esclareceu que há mais casas de familiares na propriedade e disse que foi seu irmão que se recusou a assinar o termo, já que não havia festa. Quem estava de aniversário era a sobrinha do vereador, que é filha do seu irmão.

Confira o áudio do relato do vereador




Funcionária pede que o vídeo seja divulgado

A responsável pelo setor de Vigilância Epidemiológica, Neurice Rodrigues da Silva, estava na ação de fiscalização. Ela reitera que houve agressão e pediu que o vereador apresente o vídeo que possui. Ela também disse que a Vigilância em Saúde deve fiscalizar todas as denúncias realizadas, inclusive das pessoas que não se identificam.“Não podemos divulgar o nome do denunciante. O papel é averiguar se a denúncia é verdadeira ou não. Independente da situação, a primeira estratégia é a de orientação. É recomendação. O objetivo é evitar qualquer tipo de dano para a saúde das pessoas. Em circunstâncias de infrações leves, trabalhamos com a sensibilização do denunciado, objetivando o entendimento e acatamento das orientações.

Neurice também deu sua versão sobre o incidente. “Se tem fotos que estava nesta situação, que estava sem máscara, se tem filmagem, é só ele apresentar”, disse.

Ouça também a versão da enfermeira