Publicidade Topo

notícias

Unidade sentinela reforça monitoramento de pacientes com sintomas de Covid-19

Espaço instalado dentro do Pronto Atendimento da Vila São João é responsável pela coleta de material para análise laboratorial em pessoas que buscam atendimento de saúde com sintomas respiratórios e também em pacientes com quadros mais graves de doenças respiratórias

Lenon Diego Gauron

Unidade Sentinela funciona em uma sala no Pronto Atendimento da Vila São João. Foto: Divulgação
Em entrevista à reportagem da Rádio Najuá, a chefe do setor de Vigilância Epidemiológica da 4ª Regional de Saúde, Cleusimara Tumasz, esclareceu dúvidas sobre o programa sentinela. O espaço instalado dentro do Pronto Atendimento da Vila São João é responsável pela coleta de material para análise laboratorial em pessoas que buscam atendimento de saúde com sintomas respiratórios e também em pacientes com quadros mais graves de doenças respiratórias.

Confira o áudio da reportagem no fim do texto

Cleusimara comentou como são feitos os exames e acompanhamentos em pacientes que apresentam suspeita de infecção do novo coronavírus (Covid-19). “Todas as síndromes gripais, desde o início da pandemia do Covid-19, são notificadas e monitoradas por todos os municípios. Então, todo o paciente que tenha chegado à uma unidade de saúde com sintoma gripal, com uma sensação febril, acompanhado de tosse ou dor de garganta ou coriza, enfim, esses sintomas gripais leves, deve ser monitorado”, destacou.

Na unidade sentinela de Irati é realizado o exame RT-PCR, que faz a detecção direta do vírus em secreção respiratória para diagnóstico da infecção aguda sintomática. Este exame é recomendado para pessoas que possuam sintoma da Covid-19, com duração entre três e sete dias. "São coletadas cinco amostras de material para fazer o exame de PCR por semana em pacientes com sintoma gripal que são passíveis de ser monitorados em suas residências. Todos os dados desse paciente são coletados e existe um monitoramento através de telefone e até com algumas visitas para o acompanhamento da evolução desses quadros leves. É um programa que existe desde 2009, que foi implantado durante a pandemia de H1N1 [influenza], onde Irati ainda não fazia parte, mas agora, a fim de acompanhar o vírus causador do Covid-19, Irati passou a ter uma unidade sentinela", esclarece Cleusimara.

Os casos leves ou moderados de coronavírus apresentam febre, tosse seca, dor de cabeça e cansaço. Eles se somam com os pacientes que não apresentam sintomas, representando a maioria dos casos registrados. "A gente tem que lembrar sempre que a doença pelo coronavírus tem alguns casos que são assintomáticos e alguns com sintomas leves. 80 % se enquadram nesse perfil, pois é uma síndrome respiratória aguda que pode ser confundida com uma série de outras doenças respiratórias comuns, principalmente agora, com a entrada do outono e inverno. Então toda síndrome gripal deve ser acompanhada", afirma a chefe do setor de Vigilância Epidemiológica da 4ª Regional de Saúde.
A recomendação do Ministério da Saúde é que, em caso de suspeita de coronavírus, o paciente fique em casa e só procure um hospital se o problema se agravar. "A recomendação é de isolamento domiciliar por 14 dias, inclusive dos seus contatos domiciliares. São adotadas todas as medidas de precaução para minimizar as chances de infecção por um possível agente infeccioso", orientou Cleusimara.


Ela esclarece que não são feitas coletas em todos os casos dos pacientes com sintomas leves nas unidades sentinelas, mas que em situações graves é coletado material e feito o acompanhamento. "Todos os casos de síndrome gripal, que tenham sinal de agravamento, que tenham dificuldade respiratória e saturação de oxigênio baixo, que necessitem ser hospitalizados, são coletados 100% dos casos amostras para PCR. Todos esses dados fazem parte dos nossos notificados e dos nossos dados estatísticos”, explica.