notícias

Rio Azul zera número de casos suspeitos de coronavírus

Três pessoas que apresentaram sintomas suspeitos e tiveram amostras de sangue coletadas nesta semana apresentaram resultado negativo no exame

Da Redação


Boletim de Covid-19 divulgado pela secretaria de Saúde de Rio Azul nesta sexta-feira, 22. Foto: Divulgação


Rio Azul zerou o número de casos suspeitos de coronavírus (Covid-19) nesta sexta-feira, 22. Três pessoas que tiveram amostras de sangue coletadas nesta semana apresentaram resultado negativo no exame laboratorial. A cidade já teve 16 testes que descartaram a contaminação e possui 13 pessoas monitoradas.

A Enfermeira do setor de Epidemiologia de Rio Azul, Guaraciane Gembaroski Calliari, afirmou ao jornalista Clayton Burgath durante entrevista na manhã de hoje, 22, que as pessoas monitoradas são aquelas que consultam em uma unidade de saúde ou no hospital São Francisco de Assis com sintomas gripais.


“O setor de Vigilância Epidemiológica faz a parte desse monitoramento onde a gente está ligando diariamente. Em casos que a pessoa está bem, o monitoramento passa a 48 horas. Esse monitoramento não é feito de casa em casa. A gente está ligando para essas pessoas, monitorando o estado de saúde se apresenta algum sintoma. Pessoas que procuraram a unidade básica ou hospital são isolados. Esse monitoramento acontece para a pessoa que procurou e também para os seus familiares, quem mora naquele domicílio, então aquela família fica isolada”, informa.

Guaraciane diz que qualquer pessoa que apresentar problemas respiratórios deve permanecer em casa. Porém, o morador só deve procurar uma unidade de saúde se os sintomas se agravarem. “[Sentindo] Qualquer sintoma respiratório permaneça em casa. Se não está bem, os sintomas estão se agravando, piora do quadro, febre que não cessa, falta de ar, essa pessoa entra em contato com a secretaria de Saúde e a gente orienta se vai no hospital ou se procura um posto de saúde. Evitar de sair. As vezes a mãe no desespero está saindo com essa criança e as vezes está se tornando até pior esse fato. Fica em casa, repouso, se alimenta bem, se hidrata, se não apresentar melhora aí sim deve procurar a unidade básica e em último caso o hospital”, relata.

A Enfermeira também reforça o pedido para as pessoas evitarem de circular sem necessidade. “Evitem fazer festas, aglomerações, participar de confraternizações, não é o momento. Quem pode ficar isolado que fique. A gente entende que as pessoas precisam sair para o trabalho, mas tomem as medidas de cuidado uso de máscara, álcool, evitar aglomerações, mas quem pode permaneça em casa, evite essas saídas isso pensando no coletivo e não no individual. Se você sai para fazer uma confraternização tem que lembrar que você tem pai, mãe, tem avô, criança pequena, então fica em casa, esse não é o momento de ficar saindo”.