notícias

União da Vitória confirma terceiro caso de Covid-19

Município já tem dois pacientes curados, segundo secretaria de Saúde. Mais 11 moradores estão sendo investigados após apresentarem sintomas suspeitos da doença

Rodrigo Zub


Boletim da Secretaria de Saúde de União da Vitória. Foto: Divulgação

O município de União da Vitória, na região Sul do Estado, confirmou o terceiro caso de coronavírus na tarde desta segunda-feira, 13. Conforme informações apuradas pela reportagem do portal Vvale, o paciente foi contaminado durante uma viagem que fez para a região Sudeste do País e possui entre 30 e 40 anos. Ele está em isolamento social e passa bem.

A secretaria de Saúde de União da Vitória não revelou se a pessoa infectada é homem ou mulher. Em seu boletim, a pasta enfatizou que a divulgação de qualquer dado sobre a identidade do paciente é proibida.

O exame dele foi coletado na semana passada na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de União da Vitória. O resultado positivo do teste foi confirmado nesta segunda-feira, 13, no boletim da Secretaria de Estado da Saúde (SESA).

Conforme dados da secretaria de Saúde de União da Vitória, o município tem três casos confirmados de Covid-19. Porém, duas pessoas já foram curadas. Trinta e quatro pessoas que realizaram exame não foram infectadas e 11 casos suspeitos continuam sendo investigados. De acordo com o boletim da SESA, União da Vitória tem 54 casos descartados e cinco em investigação. Os números estaduais representam pessoas que tiveram amostras coletadas e processadas pelo Laboratório Central do Paraná (Lacen/PR) e laboratórios privados habilitados no Estado.

A 6ª Regional de União da Vitória ainda investiga dois casos suspeitos em Bituruna. Noventa testes descartaram a contaminação, sendo 54 em União da Vitória, 11 em São Mateus do Sul, oito em Cruz Machado, seis em Bituruna e General Carneiro, dois em Paula Freitas e Porto Vitória e um em Antonio Olinto.



4ª Regional zera número de casos suspeitos no boletim da SESA

Na 4ª Regional de Saúde de Irati, o número de casos descartados subiu de 62 para 63. O morador de Mallet que estava sendo investigado apresentou resultado do exame negativo. Com isso, a 4ª Regional, que é única no Estado sem casos confirmados de Covid-19, zerou a lista de pacientes suspeitos. Foram descartados três casos de Fernandes Pinheiro, um de Guamiranga e Teixeira Soares, oito de Imbituva, sete de Rebouças e Rio Azul, dois de Inácio Martins e Mallet e 32 de Irati.

O boletim de coronavírus divulgado pela secretaria de Saúde de Irati indica 106 casos notificados de Covid-19. São 69 casos descartados por critério clínico-epidemiológico e 33 por critério laboratorial. Neste último caso, as pessoas realizaram o teste, que apresentou resultado negativo. Quatro casos seguem em investigação aguardando resultado do exame.

Situação dos casos suspeitos de coronavírus em Irati. Município ainda não registrou casos da doença. Foto: Divulgação

Guarapuava tem 120 pessoas monitoradas em isolamento domiciliar

Em Guarapuava, que pertence a 5ª Regional, a secretaria Municipal de Saúde divulgou que haviam 76 casos descartados com resultado negativo do exame, quatro moradores em investigação aguardando resultado do exame, 120 pessoas sendo monitoradas em isolamento domiciliar, 107 liberadas do isolamento domiciliar e uma infectada até às 18 h de segunda-feira, 13.

No boletim da SESA, Guarapuava 123 casos descartados e somente um em investigação. Mais três municípios da 5ª Regional registram casos suspeitos: Candói (3), Pitanga (2) e Laranjeiras do Sul (1). Já os pacientes que realizaram testes e não foram infectados somam 12 em Pinhão e Pitanga, dez em Prudentópolis, seis em Nova Laranjeiras, quatro em Palmital e Virmond, três em Candói, dois em Cantagalo e Marquinho, um em Turvo, Rio Bonito do Iguaçu, Porto Barreiro, Laranjal, Foz do Jordão e Campina do Simão.

Ponta Grossa e região

A 3ª Regional continua com nove casos confirmados de Covid-19: cinco pacientes de Ponta Grossa e dois de Castro e Palmeira. Entre os casos em investigação são dez em Ponta Grossa e dois em Palmeira. Os outros testes tiveram resultado negativo, sendo quatro em Arapoti, cinco em Carambeí, 34 em Castro, um Ipiranga, seis em Ivaí, três Jaguariaíva, dez em Palmeira, sete em Piraí do Sul, um em Porto Amazonas e quatro em Sengés.

Paraná tem 768 casos e 33 mortes

No Paraná já foram registrados 768 casos e 33 mortes em razão do coronavírus. São duas a mais em relação ao boletim de domingo, 12. As vítimas são de Arapongas e Maringá. Nas últimas 24 horas foram contabilizados mais 19 casos no Estado. As cidades de Bandeirantes, Quitandinha, Fazenda Rio Grande, União da Vitória, Paranavaí, Jataizinho e Assis Chateaubriand confirmaram uma pessoa infectada. Em Londrina, foram quatro novas confirmações da doença. Cinco novos casos da Covid-19 foram confirmados em Apucarana e outros três em Foz do Iguaçu.

O boletim da SESA tem algumas observações. Três casos confirmados em Curitiba foram transferidos, sendo dois para São José dos Pinhais e um para Colombo. Um caso confirmado de Londrina foi transferido para o município de Marumbi. Já o paciente que morreu em decorrência da doença em Paiçandu era morador de Maringá. De acordo com as investigações, foi confirmado que os pacientes residiam em municípios diferentes de onde foram notificados inicialmente.

O boletim aponta que 411 suspeitas do novo coronavírus estão sob investigação e que, dos 768 casos confirmados, 12 são de pacientes que não moram no estado. Uma delas morreu em Natal/RN.

De acordo com a SESA, o número de pacientes internados com coronavírus é de 126: 75 deles em Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) e outros 51 são atendidos em leitos. Até agora, 80 dos 399 municípios paranaenses já registrou pelo menos um caso da doença. As mortes foram registradas em Curitiba (6), Maringá (5), Londrina (4), Paranaguá e Cascavel (2), Campo Largo Campina da Lagoa, Cianorte, Santa Fé, Arapongas e Primeiro de Maio (1).

Em todo o Estado já foram curados 237 pacientes (107 somente em Curitiba e o restante nos outros municípios). De acordo com a SESA, são considerados recuperados aqueles pacientes que tiveram o diagnóstico confirmado por algum laboratório credenciado, receberam tratamento e agora já não apresentam mais os sinais da doença. Como critério, a secretaria trabalha com um prazo mínimo de 14 dias entre o início e o fim dos sintomas para confirmar a recuperação.