notícias

Prefeitura de Fernandes Pinheiro flexibiliza funcionamento do comércio e de templos religiosos

JARDIM DA PAZ
Decreto publicado nesta sexta-feira, 24, estabelece normas para funcionamento de serviços não-essenciais no município


Igrejas e templos religiosos de Fernandes Pinheiro foram autorizados a retomar presença de público, desde que sigam normas restritivas e de higiene. Na foto, a Igreja Matriz São Sebastião. Foto: Divulgação Prefeitura de Fernandes Pinheiro


Paulo Henrique Sava

A prefeitura de Fernandes Pinheiro publicou nesta sexta-feira, 24, um decreto autorizando a flexibilização do funcionamento de setores não-essenciais do comércio e de atividades religiosas no município. No entanto, as empresas deverão seguir uma série de normas para funcionamento.

Medidas

O decreto estabelece que cada empresa estabeleça uma distância mínima de dois metros entre as pessoas, inclusive em filas externas aos estabelecimentos. Superfícies que as pessoas tocam com frequência (maçanetas, cadeiras, portas, acesso a elevadores, trincas das portas, bancadas, esteiras, carrinhos de compras, balanças, teclados, corrimões, apoios em geral e afins), devem ser higienizadas preferencialmente com álcool gel 70% ou hipoclorito de sódio 0,1% (água sanitária) ou outro desinfetante indicado para este fim, observado o procedimento operacional padrão definido pelas autoridades sanitárias.

As empresas ainda também realizar a limpeza das máquinas de cartão de crédito e débito logo após cada utilização. Deve ser utilizado álcool gel 70% ou outro desinfetante indicado para este fim, desde que seja observado o procedimento padrão definido pelas autoridades sanitárias.

Os estabelecimentos devem abolir o uso de bebedouros de água para funcionários e clientes e sugere-se que sejam fornecidas garrafas térmicas para os trabalhadores. As empresas devem disponibilizar álcool gel 70% para as pessoas em todos os caixas, na entrada dos estabelecimentos ou em lugares estratégicos. O material deverá ser disponibilizado também nos sanitários, que devem conter sabonete líquido e papel toalha.

O decreto estabelece também que as empresas devem manter os locais de circulação e áreas comuns como os sistemas de filtros e dutos de ar condicionado limpos e com janelas abertas ou qualquer outra abertura, contribuindo para renovação do ar. 

Os trabalhadores devem ter pausas que garantam tempo para lavagem completa das mãos com água corrente e sabão durante a jornada de trabalho. Eles devem obrigatoriamente utilizar máscaras durante o expediente.

Os estabelecimentos devem ter afixadas em locais visíveis aos consumidores e usuários informações sanitárias sobre higienização e cuidados para prevenção do coronavírus (Covid-19).

Quando tossirem ou espirrarem, os funcionários e clientes devem ser orientados a cobrir a boca com o braço ou lenço descartável. Além disso, as empresas devem adotar políticas para reduzir o número de clientes limitando o fluxo a 40% da capacidade total do estabelecimento, como forma de evitar a aglomeração de pessoas. 

Estabelecimentos que vendem frutas, verduras e legumes em gôndolas também devem disponibilizar local para que os clientes higienizem as mãos.

Equipamentos como fones de ouvido, mesas e telefones não devem ser compartilhados pelos funcionários. Além disso, eles devem evitar contato físico entre si e com os clientes. Caberá aos trabalhadores organizarem a entrada e saída de pessoas, de modo a evitar o contato físico entre elas. 
A distância entre os clientes e o caixa deve ser de, no mínimo, dois metros. 

A prefeita Cleonice Schuck esclarece que todas estas recomendações devem ser seguidas, de acordo com a orientação do Ministério Público. Ela diz que a flexibilização ocorrerá até que outras orientações sejam dadas pelo Estado ou pelo MP.

“As empresas poderão trabalhar dentro das normas que estão explícitas no decreto, com álcool gel e uso de máscaras. Seguimos as normas que o MP nos orienta e pedimos a colaboração da nossa população, pois a prevenção continua sendo o melhor remédio. Caso haja algum caso de suspeita, devemos repensar o decreto”, frisou. 

“Pedimos a compreensão de toda a população e os cuidados necessários para que possamos passar esta fase com muita tranquilidade e dar continuidade às nossas vidas, ao nosso cotidiano de acordo com os nossos costumes, buscando este fortalecimento espiritual e comunitário de que precisamos”, complementou. 



Igrejas e templos

Igrejas e templos deverão dar preferência às atividades religiosas de aconselhamento individual ou à utilização de meios virtuais, evitando aglomerações de fiéis, preferencialmente para os grupos de risco. 

Caso as igrejas decidam fazer as celebrações religiosas de cultos e missas com a presença de público, deve-se exigir a utilização de máscaras pelos fieis. Além disso, os templos deverão disponibilizar álcool em gel para todas as pessoas, higienizar os ambientes onde forem desenvolvidas as atividades antes e depois das reuniões, sobretudo nos locais e objetos que forem tocados pelas pessoas e manter distância mínima de dois metros entre cada frequentador, exceto núcleos familiares.

A ocupação dos templos deve ser de, no máximo, 40% da capacidade e cada celebração deve ter duração máxima de uma hora. Deve-se também evitar contato físico entre os fieis, como abraços e apertos de mãos.

Profissionais da Secretaria Municipal de Saúde e da Vigilância Sanitária poderão fazer visitas às igrejas e templos em qualquer momento. Eles farão orientações para observância das regras de distanciamento e de outras medidas sanitárias necessárias, devendo as instituições religiosas seguir fielmente suas recomendações. 

Cleonice se reuniu com o padre Leonel Stanski, da Paróquia São Sebastião, e com pastores das igrejas evangélicas. No encontro, foram esclarecidas todas as dúvidas sobre as medidas a serem adotadas pelas igrejas.   

“Esclarecemos todas as dúvidas e chegamos a um consenso sobre a melhor forma de trabalhar, com muita prevenção, e darmos este atendimento do qual a nossa população precisa. Este fortalecimento espiritual é necessário neste momento de incerteza e preocupação. Ao mesmo tempo, estamos aliviados por ainda não termos nenhum caso de coronavírus na nossa região. Com certeza, esta prevenção, estes cuidados que toda a população tem tomado estão ajudando bastante”, finalizou. 

Uso de máscaras por toda a população

O decreto ainda recomenda o uso de máscaras por todos os munícipes sempre que precisarem sair de casa para movimentações urbanas ou se dirigirem a locais frequentados por outras pessoas.