notícias

Municípios da 4ª Regional recebem testes rápidos para Covid-19 na próxima semana

As nove Secretarias Municipais de Saúde terão disponíveis, em pequeno lote, a princípio, os testes rápidos para detecção do SARS-CoV-2

Edilson Kernicki, com reportagem de Jussara Harmuch e informações da AEN


Governo federal iniciou distribuição de testes rápidos de coronavírus no início de abril. Imagem G1
As nove Secretarias Municipais de Saúde da 4ª Regional começam a receber, a partir da próxima semana, o primeiro lote de testes rápidos para a detecção do novo coronavírus (SARS-CoV-2). O chefe da instituição, Walter Trevisan, recebeu a confirmação do envio desse lote na manhã desta quinta (16). Sem precisar a quantidade de testes, ele salientou que “não é um grande volume, nesse primeiro momento, mas que já vai servir para atender às necessidades de cada município”, disse o chefe da Regional, mencionando que a quantidade se aproxima de pouco mais de mil testes.

Segundo Trevisan, a quantidade de testes que cada município vai receber é determinada por critério populacional. A aplicação dos testes vai adotar o protocolo usado pela Vigilância Epidemiológica, que tem priorizado os pacientes com sintomas de síndrome respiratória aguda grave (SRAG).
Todos os testes continuam sendo feitos; nos casos suspeitos, são coletados. Esses testes continuam sendo encaminhados para o Lacen [Laboratório Central], que é o teste PCR. [A coleta de amostra] depende muito do critério que é verificado pelo profissional médico, pela equipe de Epidemiologia também, que faz todo o levantamento, junto com o médico e, se há, hoje, uma necessidade de investigação, se é um caso suspeito, é coletada. Quem decide se é coletada ou não, é o profissional médico, que faz o acionamento da Vigilância Epidemiológica, que tem que adotar os critérios técnicos e saber o protocolo para poder ser coletado o material. Não está sendo negada a coleta do material, explica Walter Trevisan.

O chefe da 4ª Regional justifica que pacientes monitorados em casa, em estado gripal, mas sem manifestar sintomas mais graves, não geram necessidade de fazer a coleta de secreção para exame. A situação muda quando o paciente apresenta tosse ou dificuldade para respirar.

Por ter resultado imediato, o teste rápido deve ser aplicado, prioritariamente, em profissionais de saúde que tiveram contato com possíveis casos de coronavírus.
Precisamos preservar, nesse momento, a saúde dos nossos profissionais, diz. 

O teste rápido também pode vir a ser aplicado em familiares de pacientes que tiverem resultado positivo. Como a 4ª Regional de Saúde é a única no Estado que ainda não teve casos confirmados para Covid-19, a quantidade de testes rápidos que serão enviados nesse primeiro lote é menor do que para regiões onde a incidência tem crescido.



Trevisan ressalta a importância de observar todas as recomendações de etiqueta respiratória, de higiene das mãos e das superfícies, do isolamento e do distanciamento social, pois, apesar de não haver nenhum caso positivo nos nove municípios da região, o novo coronavírus “é um inimigo invisível”.

Estima-se que 80% dos infectados são assintomáticos e, mesmo sem apresentar os sintomas, já transmitem o vírus.
A qualquer momento, podemos ter uma surpresa, de começar a acontecer vários casos. A aglomeração tem que ser evitada. Verificamos, agora, no início desta semana, uma busca ao sistema financeiro, às agências bancárias do nosso município, que nos preocupou muito, porque vimos filas enormes e as pessoas estão levando a vida como se nada estivesse acontecendo no mundo, alerta.