notícias

Fernandes Pinheiro distribui 6 mil máscaras para a população

Cada habitante terá direito a uma máscara, como medida de prevenção à Covid-19

Edilson Kernicki

Foto: Imagem ilustrativa
A Prefeitura de Fernandes Pinheiro vai distribuir 6 mil máscaras reutilizáveis para a população, como medida profilática de prevenção à Covid-19, a exemplo do que já fez o município vizinho, Teixeira Soares. Cada morador terá direito a uma máscara. A população estimada, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, é de 5.646 habitantes.

“Mandamos fazer 6 mil máscaras e temos perto de 5.600 mil habitantes. É uma por habitante. Assim que for necessário, nos próximos dias, devemos comprar mais”, afirma a prefeita Cleonice Schuck.

Redução de salários

O Executivo de Fernandes Pinheiro definiu a redução em 50% dos subsídios da prefeita e em 20% nos do vice-prefeito Fábio Jacomel e dos secretários municipais. A medida, de acordo com Cleonice, não afeta os demais funcionários comissionados, que são 12. A economia gerada será de quase R$ 23 mil. “Pegaremos esse recurso, que vai passar de R$ 20 mil por mês, e vamos dedicar a essas necessidades da nossa saúde”, justifica. Cleonice sugeriu ao Legislativo que também adote a redução nos subsídios dos vereadores, uma vez que não houve sessões em março e em abril.

O valor dessa economia que não for usado pela Saúde será aplicado na compra de cestas básicas para ser distribuída em famílias em situação de vulnerabilidade ou que estejam com renda reduzida em função do isolamento social. As Secretarias de Educação, de Saúde e de Ação Social ficarão responsáveis por fazer um levantamento das famílias com necessidade. “Não estamos distribuindo cestas básicas para todos nesse momento, porque a necessidade pode ser maior daqui para frente. Vamos distribuir conforme houver necessidade na família”, explica.


Comércio e serviços

Cleonice recomenda que, no comércio, seja priorizada a venda de artigos essenciais – alimentos e medicamentos. Quanto aos serviços, como salões de cabeleireiros, a orientação é a de que os atendimentos sejam individualizados e a portas fechadas.

“Não queremos tomar atitudes drásticas de chegar a fechar e ter que lacrar um estabelecimento, porque sabemos que são a fonte de sustento das pessoas”, diz.

Em relação aos bares, Cleonice insiste que nada seja vendido para consumo no balcão, apenas para levar para casa, a fim de evitar aglomerações. “Se for flagrada aglomeração, teremos que lacrar o estabelecimento. Temos orientações do Governo Estadual e do Ministério Público e devemos segui-las. Quem pensa que está contrariando a Prefeitura ou as determinações da prefeita está enganado, pois está prejudicando a si mesmo”, acrescenta.

O toque de recolher instituído no município ocorre diariamente, a partir das 20h, e vale para dias úteis, sábados, domingos e feriados. Todo o comércio deve ser fechado a partir desse horário, inclusive os bares.