notícias

Fernandes Pinheiro busca soluções para fornecimento de água no interior

JARDIM DA PAZ
Prefeitura está disponibilizando caixas d’água de 3 mil a 5 mil litros para socorrer alguns moradores que não tem acesso a água tratada

Edilson Kernicki

Imagem de rua pavimentada na sede do município de Fernandes Pinheiro. Foto: Letícia Torres/Hoje Centro-Sul
O município de Fernandes Pinheiro busca soluções para normalizar o fornecimento de água tratada para as localidades do interior. Um dos problemas foi verificado na comunidade do Florestal. No entanto, a Prefeitura precisa verificar se o problema fica na porção que pertence ao seu território ou se fica para além do limite com Irati.

“Temos alguns moradores, no lado esquerdo, que já são do território de Irati e ali não conseguimos perfurar poços, porque não é território do município [de Fernandes Pinheiro]. Teria que ser pela Prefeitura de Irati. Já fizemos contato com os moradores e alguns deles estavam vendo com uma empresa para perfurar o poço e nos colocamos à disposição para ajudar, com os canos”, esclarece a prefeita Cleonice Schuck (PSD).

Segundo ela, já foram levadas caixas d’água para outras localidades. O município aguarda resposta da Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar) para que haja um suporte, no mínimo, semanal de um caminhão pipa.


Conforme Cleonice, o município está usando um caminhão que transporta leite para a Anila Laticínios para transportar e atender a demanda de algumas comunidades. “Quando eles terminam a coleta de leite, eles lavam o caminhão, no dia que eles fazem a linha mais curta, enchem de água e vão abastecer as comunidades. Estão fazendo de forma gratuita, nos auxiliando”, justifica.

O poço perfurado na Comunidade de Borges também tem sido utilizado como fonte de abastecimento para outras localidades, como o Faxinal dos Mineiros, segundo a prefeita. “Estou vendo com a Sanepar, em Curitiba, para que venha um técnico de Ponta Grossa, que já está para vir, provavelmente nesta semana, para fazermos uma rede de água de forma emergencial, porque temos um poço perfurado no Bituva dos Lopes e já estamos com esse projeto desde o ano passado, mas é tudo muito burocrático. A Sanepar é um órgão que funciona, mas há muita burocracia e é tudo muito demorado”, acrescenta.

“Finalizamos uma rede de água e estamos para iniciar a [da Bituva] dos Lopes. Também estou pedindo a celeridade nisso, para que mandem o material e aí conseguimos colocar as máquinas e trabalhar. Porque, depois que está liberado pela Sanepar, em poucos dias, com a ajuda da comunidade, conseguimos fazer esse encanamento”, diz.

Se o técnico da Sanepar não vier, a Prefeitura deve adquirir materiais segundo a indicação da concessionária de saneamento e executar a obra por conta própria. “Precisamos agilizar essa rede de água”, diz.

“Quem está precisando de água procura a Prefeitura. Temos ido à propriedade, analisado a situação e vendo se mexer com a máquina ajuda ou se a vertente realmente não está dando conta, se o poço secou. Estamos levando caixas d’água de 3 mil litros e de 5 mil litros para um socorro imediato. Onde há condição de fazer essa rede de água, já estamos trabalhando com a Sanepar, para tentar viabilizar esses canos o quanto antes e fazer então essa rede de água, porque o poço já está perfurado”, enfatiza.