notícias

Campanha da ACIAI visa incentivar uso de máscara e distanciamento

Apoiadora da iniciativa, prefeitura de Irati se comprometeu de patrocinar quatro outdoors para divulgação da arte da campanha. Município também deve distribuir 5 mil máscaras para a população

Rodrigo Zub


Campanha publicitária é estampada pela influencer digital, Bhel Dietrich, que é filha do Designer, Silton Dietrich, autor da arte. Foto: Divulgação
Quem Ama Protege. Protejam-se! Mantenha distância. Esses são os objetivos da campanha lançada pela Associação Comercial e Empresarial de Irati (ACIAI) com apoio de instituições parceiras como a Prefeitura, Câmara Municipal, Coordenadoria das Associações Comerciais e Empresariais da Região Centro-Sul (Cacesul), Associação dos Municípios Centro-Sul do Paraná (Amcespar), e Ordem dos Advogados do Brasil (OAB)- Subseção de Irati para conscientizar a população sobre a importância de utilizar Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), como máscaras, além de respeitar o distanciamento de pelo menos dois metros entre as pessoas em filas de banco e estabelecimentos comerciais e correta higienização de mãos e ambientes de trabalho para evitar o contágio de coronavírus (Covid-19).

O presidente da ACIAI, Elias Mansur, diz que a ideia de realizar a campanha surgiu há alguns dias numa reunião na sede da entidade, que teve participação de diretores da associação e da imprensa local. Depois disso, os empresários Oscar Muchau e Marciello Mazzochin convidaram o Designer, Silton Dietrich, para que ele pudesse criar uma arte e divulgar a campanha de uma maneira inovadora. Silton não cobrou pelo trabalho, segundo Elias. A arte será exibida em outdoors da cidade e também no painel eletrônico da ACIAI, que fica em frente a panificadora Irati, na rua XV de Novembro esquina com a Coronel Emílio Gomes.

Para expandir a campanha e fazer com que ela tenha um alcance maior, o prefeito de Irati, Jorge Derbli, se comprometeu de disponibilizar o material em quatro outdoors adquiridos pelo município e distribuir 5 mil máscaras para a população.


“É uma campanha bonita, campanha de amor, não é uma campanha de agressão, use máscara. Campanha diz para manter a distância, usar a máscara, porque assim nós evitamos o contato e a propagação do vírus. A campanha não tem limite. Será enquanto durar Covid-19”, enfatiza o presidente da ACIAI.

A reunião de apresentação da campanha aconteceu na quinta-feira, 16, na sede da ACIAI. Segundo Elias, todos que participaram do encontro gostaram da iniciativa e pretendem contribuir para que ela tenha adesão da população. “ [A campanha] Foi criada no sentido de promover o amor entre as pessoas porque o povo já está cansado de ouvir para usar máscaras, fique em casa, não saia de casa, essa campanha é diferente de amor, ela terá sucesso, acredito nisso”, complementa.

A finalidade é atingir entidades, prefeituras, associações comerciais e empresários de toda a região. Ela tem o sentido de despertar o amor e cuidado entre as pessoas, destacando a imagem de um coração na arte principal, representando uma máscara de proteção. A filha de Silton, a influencer digital, Bhel Dietrich estampa a arte. Ela é casada com o jogador de futebol, Bruno Henrique, que atua no Palmeiras. Ambos estão publicando as imagens da campanha em suas redes sociais, que juntos contam com mais de 500 mil seguidores.

O juiz de direito de Rebouças, James Byron Weschenfelder Bordignon, e o presidente da Amcespar, Júnior Benato, que é prefeito de Inácio Martins, participaram da reunião de lançamento da campanha. Eles pretendem mobilizar moradores de suas cidades e da região para se juntarem a iniciativa.

Uso de máscaras

O uso das máscaras diminui a chance de contágio pelo novo coronavírus, segundo especialistas da área de saúde. A recomendação já havia sido feita pelo Ministério da Saúde e pela Organização Mundial da Saúde (OMS). No início, as máscaras eram recomendadas somente para pessoas com sintomas e profissionais de saúde, como médicos, enfermeiros e técnicos de enfermagem. Porém, o Ministério da Saúde mudou as recomendações, e a OMS admitiu que, apesar de não serem a solução ideal, os acessórios podem ser uma boa estratégia. Os dois órgãos também ressaltaram que é importante usar máscaras caseiras, para que não falte aos profissionais de saúde. No início da pandemia, a corrida pelas máscaras e outros itens – como álcool gel – fez com que esses itens ficassem em falta para as equipes de saúde.