notícias

Programa Ecotroca retoma atividades

JARDIM DA PAZ
Troca de materiais recicláveis por alimentos acontece a cada duas semanas nos quatro pontos de coleta, que ficam nos bairros Pedreira, Fragatas, Vila Matilde e Vila Raquel

Lenon Diego Gauron, com edição de Edilson Kernicki


Troca de materiais recicláveis por alimentos pode ser realizada a cada 15 dias nos postos de coleta. Foto: Secretaria de Comunicação da Prefeitura de Irati


O programa Ecotroca, da Secretaria Municipal de Agricultura, foi retomado no início do mês, após o término do recesso de fim de ano. O secretário Raimundo Gnatkowski (Mundio) e o engenheiro agrônomo responsável pelo programa, Marcelo Campello, explicaram como ele funciona e quais os critérios para a troca de material reciclável por alimentos em participação no programa “Meio Dia em Notícias” da Super Najuá.

Conforme o secretário, a pausa no fim do ano já é prevista no programa para que as atividades sejam retomadas logo após o Carnaval. O atendimento foi retomado nos bairros Pedreira e Fragatas e, depois, na Vila Matilde e na Vila Raquel, os quatro postos de troca disponíveis.

“São três quilos de material reciclável para um quilo de alimento. A pessoa não precisa fazer cadastro, ela pode chegar lá com o material dela... Só limitamos a 60kg de material reciclável por vez que aí ela tem direito a 20 kg de alimento. No mais, ela chega, pega o ‘ticket’ e, depois de 14 dias, ela troca pelo alimento. Anotamos o quanto ela tem que receber, ela leva um valezinho... São 50 variedades de alimentos, incluímos ovo também. O programa está indo bem, retornou normal com o pessoal participando”, detalhou o responsável pelo Ecotroca.

Os agricultores, selecionados via licitação, devem cumprir alguns requisitos para estarem aptos a fornecer os alimentos nos postos de troca. “O programa tem várias linhas de intuito. Um é educacional, na questão da reciclagem, que aconteça sempre nos bairros, limpando sempre o meio ambiente. Então, você está trazendo benefício para si mesmo. Também tem o intuito de ajudar o nosso agricultor”, comentou Mundio.

A comunidade do Guamirim venceu a licitação para fornecer os alimentos neste ano. “Eles se dividem, cada agricultor em um bairro. Então é dessa forma que é feito: por licitação e preço. Ainda é informado a eles que precisa ter pelo menos uma variedade de 50 produtos e não pode ter menos que dez variedades em cada Ecotroca”, explica.

Entre os alimentos disponíveis nos postos do Ecotroca, é possível adquirir leguminosas, tubérculos, batata doce, mandioca, batata salsa, feijão, entre outros. Neste ano, a variedade de alimentos será maior que em anos anteriores. “Esse ano, já programamos direitinho e teremos todas as frutas do município, ou seja, lá por setembro vai ter pêssego, ameixa, uva. Vai ter o mel e alho”, destaca Campello.

O Ecotroca procura priorizar os produtos da época para oferecer uma maior variedade ao consumidor. “Procuramos trazer sempre aqueles da época, para que o produtor tenha essa opção de comercialização desses produtos. Chega um determinado momento que aparece a poncã, a laranja, a mexerica, o pinhão. É uma coisa favorecendo o nosso agricultor e melhorando a alimentação das pessoas dos bairros, colaborando com o meio ambiente e com a cooperativa e a associação onde trabalha o pessoal com os produtos recicláveis em Irati”, frisa Mundio.

Esse ano, o programa terá um custo de R$ 260 mil aos cofres públicos. "Você faz toda a licitação no valor e depois divide por mês para que seja feita a entrega. Quem está fazendo tudo isso é o contribuinte, seja lá do agricultor, que paga imposto, até as pessoas da cidade. Tudo isso é levado para a educação das pessoas, para que cuidem mais do meio ambiente, para uma melhor alimentação das pessoas, então é um trabalho muito interessante que nós demos continuidade e, com isso, Irati não vai perder nunca”, analisa o secretário.

Mundio alega que, no momento, não é possível expandir os postos do Ecotroca, devido às limitações financeiras do município. “Não adianta querer fazer demais e depois ficar dívidas para outros prefeitos, o que não é interessante”, justifica.

Contudo, ele demonstra interesse em firmar parcerias com órgãos, inclusive governamentais, para que o programa possa, futuramente, ser expandido para outras regiões de Irati.

O que pode ser trocado

São aceitos como produtos recicláveis, em troca dos produtos oferecidos pelo programa Ecotroca de Irati, itens como arames, canos de PVC, ferros, fios, fogão, garrafas, geladeira, latas, livros, óleo de cozinha, papel, papelão, peças de ferro de veículos, embalagens pet, plásticos e vidros.

Não são aceitos artigos como baterias, palha de aço, embalagens de salgadinhos industrializados, embalagens de veneno, entulhos de obras, madeiras, lixo eletrônico, produtos orgânicos, papel higiênico, peças plásticas de veículos, pilhas, pneus, remédios, roupas e tecidos.

A Ecotroca em Irati acontece a cada duas semanas em cada bairro, sendo um ponto na Vila Matilde, um na Vila Raquel, um no Bairro Pedreira e outro no Bairro Fragatas.

Segundo a Prefeitura, em média, a cada mês, o Programa Ecotroca recolhe mais de 12 toneladas de materiais recicláveis, somados os quatro bairros atendidos pelo projeto, revertendo em aproximadamente quatro toneladas de alimentos e outros produtos da cesta básica.

Mais informações sobre o Ecotroca de Irati podem ser obtidas pelo telefone (42) 3132-6172.

Para ter direito a um quilo de alimento, população deve separar três quilos de materiais recicláveis