notícias

Indústrias retomam atividades dia 1º; comércio no dia 6 em Irati

Decisão foi tomada em reunião com funcionários da secretaria de Saúde, empresários, integrantes da administração municipal e entidades representativas na manhã de sábado, 28

Da Redação

Derbli anunciou decisão de retomar atividades na indústria e comércio em entrevista coletiva realizada no Salão Nobre da Prefeitura logo após reunião com empresários, autoridades sanitárias e entidades no sábado, 28
Nesta segunda-feira, 30, o prefeito de Irati, Jorge Derbli, vai publicar um decreto determinando o retorno das atividades da indústria, construção civil, lojas de materiais de construção e clínicas veterinárias a partir da 0 h de quarta-feira, 1º. Já os comerciantes podem reabrir seus estabelecimentos a partir de 0 h de segunda-feira, 6.

A decisão foi tomada após reunião realizada na prefeitura de Irati na manhã de sábado, 28, que teve a participação de autoridades de saúde, empresários, integrantes da administração municipal e entidades representativas do município.

Derbli enfatiza que as empresas podem voltar a funcionar desde que respeitem todas as cláusulas restritivas de espaçamento, cuidados e critérios da Organização Mundial da Saúde (OMS) para evitar o contágio do coronavírus (Covid-19). Nos dois próximos dias, segunda, 30, e terça-feira, 31, permanece valendo o decreto anterior, que proíbe a abertura de indústrias e comércio, exceto os serviços considerados essenciais como área de saúde de urgência, emergência e internação, farmácias, postos de combustíveis, distribuidoras de água e gás, serviços funerários, mercados e supermercados, panificadoras e açougues, empresas de segurança, clínicas médicas e laboratórios, setor hoteleiro e indústria do setor de alimentos.

O prefeito ressalta que a decisão pode ser alterada a qualquer momento dependendo das condições sanitárias. No último boletim divulgado pela Secretaria de Estado da Saúde (SESA) no sábado, 28, Irati possuía 16 casos descartados de Covid-19 e nove pessoas estavam sendo investigadas. Derbli reforça o pedido para que as pessoas permaneçam em casa, principalmente idosos, que fazem parte do grupo de risco. “Precisamos achar um ponto equilíbrio entre saúde e economia. Necessitamos que os setores produtivos continuem a produção para que não haja desabastecimento em qualquer setor", afirmou o prefeito durante entrevista coletiva no sábado, 28.

Derbli disse que o retorno das atividades do comércio e indústria atende anseio dos empresários e funcionários para evitar demissões. As aulas continuam suspensas até o dia 13 de abril tanto na rede municipal como estadual. Para o enfermeiro, Agostinho Basso, essa medida é necessária, pois as crianças podem ser contaminadas e transmitir o vírus para outras pessoas. “Gestantes devem permanecer em casa, assim como imunodeprimidos (imunidade baixa). As pessoas que não tiverem necessidade laboral devem ficar em casa”, ressalta o enfermeiro. Segundo ele, as autoridades sanitárias indicam que o período crítico de contágio do coronavírus será entre 15 de abril e 10 de maio.

O chefe da 4ª Regional de Saúde, Walter Trevisan, solicita que todas as pessoas que apresentarem sintomas gripais entrem em contato com o setor de epidemiologia do município para requisitar uma visita domiciliar dos profissionais de saúde.


Atividades que continuam suspensas

Basso, que faz parte da equipe que está monitorando os casos suspeitos de Covid-19 em Irati, disse que a sala de situação de risco realizou uma reunião na sexta-feira, 27, com funcionários do setor de vigilância sanitária, epidemiologia, central de regulação e várias instâncias da secretaria de Saúde. Nesse encontro foi decidido manter suspensas as atividades em casas noturnas, realização de festas e eventos em geral, e circulação em parques, praças públicas e privadas. Salões de beleza, barbearias e atividades estéticas também estão impedidas de funcionar pela proximidade que o ofício exige entre clientes e profissionais. A mesma situação envolve as academias e similares, pois as pessoas que fazem o exercício físico utilizam os mesmos equipamentos.

Bares, lanchonetes e restaurantes podem funcionar com a modalidade delivery (entregas em casa).
O toque de recolher está mantido entre 21 e 6 h. Nesse horário fica proibida a circulação de pessoas no município exceto nos casos que os cidadãos necessitem se deslocar até o local de trabalho, que serão identificados e liberados.

Igrejas e templos religiosos poderão permanecer abertos somente para momentos de oração privada dos fieis. Segundo Agostinho, não é aconselhável realizar cultos, missas e outras celebrações com a presença de público.

Postos de combustíveis poderão trabalhar normalmente para abastecimento e afins. No entanto, lojas de conveniência deverão trabalhar somente na modalidade delivery, não sendo permitido o consumo no território do estabelecimento, ou seja, nos arredores e pátio, por exemplo. Uma das recomendações é realizar compras pela internet (E-Commerce) para que os produtos sejam entregues nas casas.

Posicionamento da indústria

O empresário Antônio Ferreira dos Santos Filho, conhecido como Tuco, proprietário da empresa Engeprócons e do Hotel Solievo, deu seu posicionamento sobre a decisão de Derbli de retomar as atividades da indústria a partir do dia 1º. Na coletiva, Tuco disse que o setor produtivo ainda estava se recuperando da crise econômica registrada no Brasil nos últimos quatro anos e meio. O empresário afirmou que as empresas e funcionários defendem a retoma das atividades comerciais de forma consciente para que não aconteça outra crise com demissões e aumento do desemprego. De acordo com ele, uma semana sem atividade em sua empresa pode ter impacto econômico durante um ano. Tuco também lamentou a falta de leitos e UTIs no Brasil e defendeu maior investimento na área de saúde no País.

Nenhum representante do comércio se pronunciou durante a coletiva de imprensa.

Lotéricas e cultos religiosos 

Na sexta-feira, 27, a Justiça Federal suspendeu a validade de dois decretos editados pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) que classificaram igrejas e casas lotéricas como serviços essenciais, o que permitia seu funcionamento mesmo com proibições de aglomerações em estados e municípios. A medida tem efeito imediato e vale para todo o Brasil.