notícias

Indicadores apontam pico de transmissão do coronavírus entre 15 de abril e 15 de maio

Chefe da 4ª Regional de Saúde espera que sociedade entenda que isolamento social é necessário

Walter Trevisan, chefe da 4ª Regional de Saúde
Da Redação

Para Walter Trevisan, chefe da 4ª Regional de Saúde, que compreende os municípios da região Centro-Sul, é necessário que a sociedade entenda a necessidade do isolamento social.
Os indicadores apontam que [o número de casos confirmados] deverá começar a subir em torno do dia 10 e 15 de abril e deverá se estender até 10 ou 15 de maio, mais ou menos neste período que teremos um agravamento deste pico epidemiológico. A gente espera que a sociedade entenda e que se mantenha no seu isolamento deixando para sair no momento correto, e estamos acompanhando monitoramento epidemiológico. Felizmente nenhum caso positivo na nossa região, aponta.
A respeito dos testes, Walter explica que são importantes para o controle epidemiológico, mas por enquanto, a despeito da fala do Ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, sobre a compra de 8 milhões de testes, nada ainda chegou nos municípios.
Fora do país isso [testes] estás sendo consumido de forma muito grande, agora o Tecpar [Instituto de Tecnologia do Paraná] está começando a produzir, mas são exames destinados aos profissionais de saúde e não é tão eficiente, possui somente 40% de eficácia, conta, informando que o PCR, exame que detecta o vírus, continuará sendo feito para os pacientes em leito hospitalar e destaca que as coisas mudam, numa pandemia é dinâmico, para não sermos surpreendidos.

Os encaminhamentos de casos com sintomas da doença Covid-19, a princípio, serão para Ponta Grossa, onde o estado possui uma rede implementada, mas está aberto a possibilidade também no Hospital do Rocio, em Campo Largo. Esta semana, o secretário estadual de Saúde, Beto Preto, anunciou a liberação de 317 leitos de UTI além dos 3.600 contabilizados antes, também mais de 731 leitos de retaguarda para clínica médica.
Primeiro haverá um represamento onde já existe uma estrutura organizada, onde existem leitos de UTI e para onde existam também, junto a estes, outros 3 leitos de isolamento em retaguarda, informa.
Quanto à possibilidade de internamento em Irati, vai depender da gravidade da situação.
Hoje seriam encaminhados, mas se chegar em estado grave, dependendo do estágio, toma atitude aqui mesmo de entubá-lo e deixa-lo em UTI aqui mesmo em Irati, disse.
O prefeito Jorge Derbli lembrou que daqui alguns dias o município poderá contar com a UPA da Vila São João para estes atendimentos e que foram adquiridos dois respiradores novos e em outros seis aparelhos, foi realizado manutenção.