notícias

Hélio de Mello questiona dívida da Prefeitura com o CAPSIRATI

Dívida do Executivo com o caixa da previdência dos servidores chega a R$ 2,5 milhões. Vereador questiona se os pagamentos estão sendo feitos em dia
Paulo Henrique Sava
Vereadores José Bodnar, o Zequinha (PV), e Hélio de Mello (PV) falaram sobre a situação do CAPSIRATI. Foto: Paulo Henrique Sava
O vereador Hélio de Mello (PMDB) questionou o Executivo sobre o parcelamento da dívida do Executivo iratiense com o Caixa de Aposentadoria e Pensão dos Servidores Municipais de Irati (CAPSIRATI). O pedido de informações foi feito na sessão do dia 18 de fevereiro. Na oportunidade, o parlamentar questionou se as parcelas do repasse patronal estão sendo pagas em dia ou não. O município tem até a próxima quarta-feira, 18, para enviar as informações.
Conforme o vereador José Bodnar, o Zequinha (PV), o Executivo destinou recursos oriundos dos royalties do petróleo, na ordem de R$ 1,7 milhão, para o CAPSIRATI. Com isto, o valor devido pelo município está na casa dos R$ 2,5 milhões. A informação foi dada pelo secretário de fazenda Juarez Miguel da Silva durante uma Audiência Pública. “Hoje a dívida está em torno de R$ 2,5 milhões com o CAPSIRATI, fora o que é repassado mensalmente dos descontos do funcionalismo e da parte patronal (Prefeitura). Serão encaminhadas informações junto com o que está aqui que o Hélio solicitou. Todos os vereadores apoiaram por unanimidade este parcelamento”, frisou Zequinha.
Hélio explica como é feita a composição da arrecadação de recursos do CAPSIRATI. “O Caixa de Seguridade é o dinheiro descontado do funcionário público e guardado para que, quando ele vier a se aposentar, poder retirar. Dentro disto, tem uma obrigação patronal, do prefeito, de depositar um devido valor, e há algum tempo não vinha sendo feito este depósito. O prefeito confessou, através de um pedido de parcelamento, que havia a dívida. Acreditando na possibilidade do pagamento e entendendo a dificuldade da prefeitura em pagar, eu votei favorável ao parcelamento”, comentou.
Parcelamento
O vereador questionou se o parcelamento e os repasses mensais feitos ao CAPSIRATI estão em dia. “Vivemos um advento político, em ano eleitoral, e o que vai ficar para o próximo prefeito? O que nós, vereadores, fizemos? Estamos fiscalizando, cobrando e precisamos, no mínimo, que a pessoa que está à frente da administração pública municipal, contribua e cumpra os deveres que ela tem para com o Caixa da Seguridade dos Servidores Públicos de Irati”, frisou.
Apesar do valor alto, o município conseguirá arcar com os pagamentos mensais, uma vez que não há possibilidade de um novo parcelamento da dívida. “São valores que a Prefeitura pode diluir com certeza, se economizar em alguns setores. Tenho certeza que ela vai conseguir cumprir, tanto que não pode ser pedido reparcelamento. O próximo prefeito vai continuar pagando esta conta e tem mais o valor atual que ele tem que continuar contribuindo para garantir que os profissionais que trabalharam no serviço público de Irati recebam o seu pagamento, o seu ganha-pão do dia a dia, quando estiverem aposentados. 
Apesar do valor alto, o município conseguirá arcar com os pagamentos mensais, uma vez que não há possibilidade de um novo parcelamento da dívida. “São valores que a Prefeitura pode diluir com certeza, se economizar em alguns setores. Tenho certeza que ela vai conseguir cumprir, tanto que não pode ser pedido reparcelamento. O próximo prefeito vai continuar pagando esta conta e tem mais o valor atual que ele tem que continuar contribuindo para garantir que os profissionais que trabalharam no serviço público de Irati recebam o seu pagamento, o seu ganha-pão do dia a dia, quando estiverem aposentados. A parte dos funcionários foi retirada, o que faltou foi a contribuição por parte do Executivo”, finalizou o parlamentar.