notícias

Cleonice decreta medidas preventivas ao Covid-19 em Fernandes Pinheiro

Município se baseia em normativas já publicadas pelo Governo Federal e pelo Governo Estadual

Da Redação, com reportagem de Jussara Harmuch 
Imagem do Lago da Prainha, em Fernandes Pinheiro. Foto: Jussara Harmuch

A prefeita de Fernandes Pinheiro, Cleonice Schuck, decretou medidas preventivas ao Covid-19 em Fernandes Pinheiro, que seguem as normativas já estabelecidas por decretos federais e estaduais. “Estamos, nesse momento, muito apreensivos, mas, com cautela, procurando respeitar as normativas do Governo Federal e do Governo do Estado do Paraná, para que possamos traçar ajustes de conduta alinhados, dentro da legalidade, e também procurando não criar pânico entre nossa população”, frisa.
Cleonice reforça o pedido de compreensão e de colaboração dos munícipes para que não saiam de casa nem permaneçam em bares. “Estamos tendo bastante dificuldade no interior do município, porque as pessoas não querem ficar em casa e acabam se aglomerando nos bares. Não proibimos o comércio principalmente porque nosso comércio no interior trabalha como mercearia. Mas que seja apenas para atendimento de necessidades da nossa população. Que a pessoa vá, compre, retire e volte para seu lar. Não é permitido que as pessoas fiquem em bar e se aglomerem para jogos de sinuca ou de baralho”, adverte.
A prefeita observa que o interior de Fernandes Pinheiro é muito grande e tem muito ar puro e recomenda aos moradores que aproveitem esse espaço e permaneçam em casa, nas suas propriedades e pede que não se aglomerem nos bares. “Em caso de muita insistência, a Polícia Militar está autorizada a interditar o local, o que vai muito da consciência do comerciante, de não permitir que as pessoas ali permaneçam”, enfatiza.
Bares onde também funcionam mercearias podem abrir normalmente para a venda de gêneros alimentícios. O que a medida restringe é a venda de bebidas alcoólicas no balcão, pois esse comportamento favorece a permanência dos clientes e a consequente aglomeração de público.
A norma também é válida para a sede do município. “O comércio está liberado, está aberto, desde que, no máximo, cinco pessoas permaneçam, principalmente em supermercados, desde que não permaneçam mais do que 15 minutos e que haja consciência tanto do comerciante quanto do consumidor que está lá indo comprar”, diz.
Cleonice pede que a população tenha muita cautela e que aguarde para ir mais tarde no ponto comercial se perceber que o local já está movimentado, a fim de evitar aglomerações e exposição desnecessária ao risco de contágio. “O vírus está em todo lugar. Fernandes Pinheiro já é o segundo lugar [dentro da 4ª Regional] com mais casos suspeitos, já temos cinco casos suspeitos. Precisamos ter consciência. As pessoas têm que entender que agora é hora de se cuidar”, reforça.
Quanto às crianças, que tiveram as aulas dispensadas, a prefeita afirma que compreende que é difícil mantê-las dentro da residência, mas pede aos pais que as mantenham mais próximas de suas casas. Ela também recomenda que seja delimitado um espaço para as crianças brincarem ao ar livre, aproveitando o sol dentro do que é considerado prudente, desde que não se reúna um grande grupo de crianças. Cleonice também pede que as vizinhas não se reúnam para tomar chimarrão nesse momento e que os maridos que estão em casa não se reúnam com os amigos para tomar cerveja e jogar conversa fora. “Vamos fazer alguma atividade em casa, dormir, brincar com as crianças, mas cada um no seu território, cada um no seu espaço, para que evitemos aglomeração”, acrescenta.
Aos jovens que costumavam se reunir para fumar narguilé, a prefeita avisa que a Polícia Militar vai passar e desfazer as aglomerações. “Precisamos de consciência das pessoas. Não é a Prefeitura, não é a Polícia que vai fazer com que esse vírus saia e que as pessoas se salvem. Nós precisamos fazer nossa parte. A partir do momento que desrespeitamos, a contaminação aumenta e vai chegar uma hora que nós mesmos não vamos ter espaço no hospital. E aí, como vai ficar? Depois que a doença bate, não adianta nos desesperarmos. Temos que fazer a prevenção”, enaltece Cleonice.
“Nossa administração está muito alinhada com a Secretaria de Educação, com a de Assistência Social, de Saúde, Agricultura. Peço aos nossos funcionários públicos, que possam ajudar, principalmente os da Saúde, que tenham conhecimento na área, que não se acovardem. Estamos vendo funcionários não só em nosso município, como em outros, procurando atestados tentando fugir da situação”, diz. A prefeita pondera que as pessoas que hoje fogem de suas responsabilidades e negam atendimento, podem precisar de atendimento em Saúde mais tarde, logo que se agrave a proliferação do Covid-19.
Cleonice reforça o pedido para ninguém faça ou receba visitas e que orientem aos familiares que moram em outras cidades que não venham passear. “Não é hora de fazer visitas. Quem está em Curitiba, fique em Curitiba; quem está em Irati, fique em Irati; quem está em Fernandes, fique em Fernandes”, diz.

Vacinação H1N1 em domicílio

Sobre a vacinação contra o H1N1, a prefeita explica que a Secretaria de Estado da Saúde está encaminhando as doses em pequenos lotes. Nessa primeira etapa de imunização, que abrange os idosos e os profissionais de saúde, estão sendo priorizadas as pessoas que estão acamadas e aqueles que são mais idosos.
“A Secretaria [de Saúde] estará indo nas casas para aplicar essa vacina. Vamos comunicar as pessoas com calma. Tenham paciência, que a vacina vai chegar à sua casa. Vai ser sempre priorizado o grupo de risco”, explica.