notícias

Apesar de reabertura do comércio, Rio Azul mantém barreira sanitária

Foram montadas barreiras móveis no acesso principal. Os acessos secundários – saída para o Rio Vinagre e para Mallet – estão fechados

Da Redação, com reportagem de Rodrigo Zub


Prefeito Rodrigo Solda também teve a temperatura corporal aferida na barreira sanitária de Rio Azul. Foto: Rodrigo Zub


Apesar da permissão para a reabertura do comércio e de outros estabelecimentos a partir de segunda (30), conforme o decreto municipal 89/2020, ficam mantidas as barreiras sanitárias das equipes de Defesa Civil e de Vigilância Sanitária, com obstáculos móveis, nas entradas e saídas de Rio Azul.

Veículos com registro de licenciamento ou ocupantes provenientes de outras cidades ficam proibidos de entrar. Excetua-se da restrição veículos em que o condutor seja morador de Rio Azul; os táxis; os veículos de transporte remunerado por aplicativo; o transporte intermunicipal de passageiros e o de cargas em geral e os serviços de natureza essencial, conforme o decreto federal 10.282/2020.
Ônibus e vans de turismo continuam proibidos de entrar no município. A exceção são passageiros que forem moradores de Rio Azul.

O prefeito Rodrigo Solda ressalta que não é um bloqueio, é apenas uma restrição do trânsito, com a permissão de circular desde que comprovada a necessidade. “Não é hora de passeios e de lazer”, diz.
Desde quarta-feira (25), foram montadas barreiras móveis no acesso principal à cidade, nas proximidades da indústria Schreiber. Outros dois trevos de acesso secundário – um na saída para o Rio Vinagre e outro na saída para Mallet – foram fechados. No primeiro dia de barreira sanitária, foram abordadas 640 pessoas e, na quinta (26), outras 900.

Os veículos estão sendo parados e todos os ocupantes têm a temperatura corporal verificada com auxílio de termômetros digitais com infravermelho, que dispensam a necessidade de contato. “Se der uma temperatura alta [acima de 37,8° C], orientamos o pessoal a procurar a Unidade de Saúde e a adotar todos os cuidados: permanecer em casa, não sair com criança”, explica Mareci de Lima, uma das servidores municipais que está trabalhando no local.

Quer receber notícias?

Questionário que é feito a todas que não residem em Rio Azul e passam pela barreira sanitária. Foto: Rodrigo Zub

Segundo Mareci, por enquanto, não surgiu nenhum transeunte com sintomas correlatos ao coronavírus, apenas dois idosos rio-azulenses com sintomas gripais, que foram orientados e encaminhados à Unidade de Saúde. Nos casos em que é aferida a temperatura alta, é solicitado que a pessoa aguarde algum tempo para que a temperatura seja novamente verificada; se não abaixar, é encaminhada para a Unidade de Saúde em frente ao Hospital São Francisco de Assis.

Douglas Vianna, que também atua na barreira sanitária, explica que, para quem chega à cidade, além de ser medida a temperatura, são feitas algumas perguntas, como o nome, de onde vem, o telefone, a finalidade da viagem a Rio Azul e o respectivo tempo de permanência na cidade. Também é verificado se a pessoa tem algum sintoma de gripe e quais sintomas se manifestam.

Conforme Vianna, além do trânsito de pessoas de Rio Azul, desde a instalação da barreira, foi observada a passagem de veículos vindos do Mato Grosso, do Rio Grande do Sul e do Paraguai.
“Infelizmente, alguns reclamam da abordagem, questionam e até têm até sido mal-educados conosco. Mas é nosso trabalho. Deixamos a família em casa e vimos aqui para fazer um trabalho que é para o bem deles mesmos. Hoje [quinta], havia muitas crianças e idosos, a família toda [nos veículos], para ir a supermercados. Pedimos às famílias para não sair com as crianças, não expor as crianças, nem os idosos. O pessoal está muito nervoso, mas vamos nos cuidar, por favor”, apela Mareci.

Em princípio, a barreira sanitária será mantida no final de semana e ao longo da próxima semana, conforme a secretária de Saúde, Rosane Popovicz Schirlo.

Portal de saída de Rio Azul para Mallet está fechado. Foto: Rodrigo Zub

Motoristas também não podem entrar na cidade pelo trevo do meio. Foto: Rodrigo Zub

Confira outras fotos da barreira sanitária