notícias

Letras/Espanhol da Unicentro obtém nota 4,65 em avaliação de recredenciamento do INEP

Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira adota escala de 1 a 5 para avaliar qualidade dos cursos

Edilson Kernicki, com reportagem de Rodrigo Zub. Fotos de atividades dos alunos do curso de Letras Espanhol/Unicentro
O curso de Licenciatura em Letras com Habilitação em Espanhol, do campus Irati da Universidade Estadual do Centro-Oeste do Paraná (Unicentro), obteve nota 4,65 na avaliação do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (SINAES) para renovação de reconhecimento. A nota atribuída, numa escala de 1 a 5, mede a qualidade dos cursos superiores. 
O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP) aplica o sistema de avaliação dos cursos superiores no País e produz indicadores de qualidade e o sistema de informações que subsidia o processo de regulamentação dos cursos, exercido pelo Ministério da Educação (MEC), e garante transparência aos dados sobre a qualidade do ensino superior. 
Dois instrumentos subsidiam a produção desses indicadores de qualidade: o Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade) e as avaliações in loco realizadas por comissões de especialistas. O Enade, que é o instrumento mais conhecido, é aplicado a alunos ingressantes e concluintes de cursos avaliados. A cada ano, mudam os cursos cujo desempenho é avaliado pelo Enade. Os alunos desses cursos selecionados fazem uma prova de formação geral e formação específica. 
Já as avaliações feitas por comissões de avaliadores designados pelo INEP são caracterizadas pela visita in loco aos cursos e instituições públicas e privadas. Os avaliadores analisam as condições do ensino, especialmente as relacionadas ao perfil do corpo docente, as instalações físicas e a organização didático-pedagógica. 
De acordo com o professor Tadinei Daniel Jacumasso, do Departamento de Letras, a graduação em Letras/Espanhol passou por uma “peritagem” ao longo do segundo semestre letivo de 2019. O avaliador enviado pelo MEC analisou toda a estrutura física do curso e seu corpo docente. “O perito ficou uma semana em Irati e pôde comprovar que o trabalho ofertado pelo curso de Letras/Espanhol é de excelência. Ele fez entrevista com os alunos, com os docentes, com a parte administrativa do curso e da universidade e pôde visitar as instalações, a biblioteca e os laboratórios. Fez uma vistoria total e plena de como ocorre o curso de Letras/Espanhol na Unicentro de Irati”, descreve.
“O resultado foi muito positivo. De uma escala de 1 a 5, o curso de Letras/Espanhol recebeu a nota de 4,65. Ou seja, quase a nota integral. Isso nos deixou muito felizes, muito contentes e com a grande responsabilidade de manter essa excelência”, destaca o professor. 
Essa avaliação é feita periodicamente e possui três tipos diferentes. A primeira é a de autorização: ou seja, para que a instituição possa abrir um curso. Dois avaliadores sorteados entre os cadastrados no Banco Nacional de Avaliadores (BASis) seguem parâmetros de um documento que orienta as visitas e os quesitos a serem avaliados. 
A avaliação de reconhecimento, nos mesmos moldes, é aplicada quando a primeira turma de um novo curso entra na segunda metade da graduação. Nessa avaliação, se analisa se foi cumprido o projeto apresentado para autorização. Essa avaliação é feita segundo instrumento próprio, com dois avaliadores sorteados no BASis, por dois dias. 
A avaliação de renovação de reconhecimento, pela qual passou o curso de Letras/Espanhol, é feita a cada três anos, conforme o ciclo do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (SINAES). Nessa avaliação, é calculado o Conceito Preliminar do Curso (CPC) e os cursos que obtiverem conceito 1 ou 2 são avaliados in loco ao longo de dois dias. Os cursos que não fazem Enade naquele ano, obrigatoriamente terão visita in loco para esse ato autorizado. 

Letras/Espanhol 

O curso de Letras/Espanhol é oferecido no campus Irati da Unicentro, em período noturno e tem duração de quatro anos. Desde o primeiro ano do curso, o graduando tem contato com o ensino de Língua Estrangeira (Espanhol) e de Literaturas de Língua Espanhola, com disciplinas específicas para o aprendizado do Espanhol e de preparação às práticas didáticas da formação docente. “Isso não equivale a dizer que o aluno poderá atuar apenas no ensino de Língua Espanhola. O campo de trabalho é bastante variado para um aluno que se forma em Letras, de modo geral, para trabalho em editoras, revistas, com tradução”, exemplifica o professor. 
Segundo Tadinei, algumas iniciativas visam ampliar ainda mais esse mercado, como as tratativas para aplicar o ensino de Espanhol na grade curricular das escolas da rede pública municipal. Alguns municípios já adotam o Espanhol nos anos iniciais da rede pública de ensino. O professor cita, como exemplo mais recente, a cidade de Apucarana, que vai passar a oferecer o ensino de Espanhol neste ano letivo. Em âmbito estadual, a Associação de Professores de Espanhol do Paraná (APEEPR) negocia, com o Governo Estadual, o aumento da carga horária e das turmas de Espanhol na rede estadual de ensino. 
O corpo docente do curso de Espanhol é formado por cinco professores efetivos (concursados), todos doutores. Além dos efetivos, o Departamento conta com alguns professores colaboradores, com contrato temporário por teste seletivo, também mestres e doutores. Os colaboradores são contratados para suprir a defasagem de professores enquanto não são abertos novos concursos, pois costuma ocorrer falta de professores nas instituições em decorrência de aposentadorias e licenças, por exemplo. 
“Outros professores do Departamento de Letras atuam no curso de Espanhol, ministrando outras disciplinas. O Departamento de Letras de Irati é um dos maiores da universidade, com cerca de 30 docentes”, destaca. Algumas das disciplinas são ministradas por professores de outros Departamentos, como a disciplina de Psicologia da Educação – ministrada por professora do Departamento de Psicologia; Didática – ensinada por professora do curso de Pedagogia; Filosofia da Educação – ministrada por professor do curso de História, entre outras. 
O curso oferece 14 vagas todos os anos: cinco para ingresso via concurso vestibular; duas, para o Programa de Avaliação Continuada (PAC) e sete via Sistema de Seleção Unificada (SISU), que aproveita a nota do Enem. 

Enade 2019 

O Enade de 2019 foi aplicado aos cursos de bacharelado: Agronomia, Arquitetura e Urbanismo, Biomedicina, Educação Física, Enfermagem, Engenharias (Ambiental, Civil, de Alimentos, de Computação, de Produção, de Controle e Automação, Elétrica, Florestal, Mecânica e Química), Farmácia, Fisioterapia, Fonoaudiologia, Medicina, Veterinária, Nutrição, Odontologia e Zootecnia. Nas áreas relativas ao grau de tecnólogo, foi aplicado dos cursos de Tecnologia em Agronegócio; em Estética e Cosmética; em Gestão Ambiental; em Gestão Hospitalar; em Radiologia e em Segurança do Trabalho. Nesse sentido, o curso de Letras, não contemplado pelo Enade em 2019, ficou sujeito à visita in loco.