notícias

Ribeirão de Cima receberá pavimentação poliédrica

Município de Teixeira Soares receberá R$ 800 mil a fundo perdido e vai investir contrapartida de R$ 450 mil em recursos livres para execução das obras

Da Redação, com reportagem de Rodrigo Zub e Paulo Sava 
A localidade de Ribeirão de Cima, no interior de Teixeira Soares, vai receber investimentos em pavimentação poliédrica. A contrapartida municipal, a ser aplicada em 2.780 metros de vias, será de R$ 450 mil, em recursos livres. A obra já está em processo de licitação, com data para o certame prevista para o início de fevereiro.
O município recebeu recursos do Estado, através do auxílio do secretário de Estado de Agricultura e do Abastecimento, Norberto Ortigara; e do secretário de Infraestrutura e Logística, Sandro Alex e por emenda do deputado estadual Alexandre Curi, da ordem dos R$ 800 mil a fundo perdido.
“Temos também garantida uma emenda empenhada para mais um trecho de pedras poliédricas, em torno de 2 mil metros, do deputado federal Pedro Lupion, no valor de R$ 800 mil. A hora que essa emenda for paga, totalizaremos, em pedra poliédrica, do Ribeirão, até Teixeira Soares, 4,5 km a 4,7 km do montante de oito km. Temos registrado, através do SICONV [Sistema de Convênios- do governo federal], todo esse trecho”, diz o prefeito Lula Thomaz.
Segundo ele, o marco de sua gestão junto à vice-prefeita Juliana Belinoski é o asfalto na ligação do município de Teixeira Soares com a BR-277. “O projeto está feito, de Teixeira Soares até a 277, porém, será particionado. Neste momento, já está com data a concorrência pública, que ocorrerá no final de fevereiro. São praticamente R$ 5 milhões a serem investidos”, destaca. A obra terá contrapartida municipal de 5% do valor do projeto, de quase R$ 300 mil.
A empresa Arena, de Ponta Grossa, venceu o processo licitatório para executar recape asfáltico no quadro urbano de Teixeira Soares. “Pedras sextavadas, que foram retiradas da avenida que vai até o Centro de Eventos, onde já está concluído o asfalto, serão reutilizadas no bairro Blumenau”, comenta o prefeito.

Barracão Industrial

Lula salienta que os vereadores da base – Emerson Vidal dos Santos, Maria Luiza Belinoski, José Carlos Damião Portela Sobrinho (Juca), Alvir Tomas e Marcelo Acordi – deram suporte ao Executivo para contrair um financiamento para ampliar o Cemitério (R$ 300 mil); R$ 1 milhão para pavimentação urbana – com obras já concluídas e mais R$ 500 mil para a aquisição de um terreno industrial.
“Nesta semana, a prefeita em exercício Juliana Belinoski vai assinar a escritura da aquisição do terreno. Porém, a política do emprego, a política da indústria, não faz da noite para o dia. Não vamos fazer como se fez anteriormente: montar Distrito Industrial e doar [terreno] por doar, e a pessoa não construir e não ter como reaver isso. Nós, através da Câmara, vamos pedir para reaver o Distrito Industrial antigo, que não está sendo utilizado. Mas temos mais R$ 1 milhão de recursos aprovados, graças aos vereadores da base, que acreditaram no projeto da geração de empregos. Vamos organizar o Distrito Industrial. Temos parceria com a Agência de Desenvolvimento do Estado do Paraná, que está nos dando suporte para fazer a política do emprego”, pontua.
O município já adiantou contato com empresas que gostariam de se instalar nos barracões industriais. “Mas temos que criar regras para que mais uma vez não distribuamos os lotes a pessoas que não produzem e que não gerem nem emprego nem renda”, assinala.
O Distrito Industrial possui área de 24 mil metros quadrados, próximo à Cooperativa Frísia, em frente à rotatória na PR-438.