notícias

Operação para retirada de caminhão de ribanceira na Serra da Esperança dura 7 horas

Caminhão retirado da ribanceira se envolveu em acidente com mais dois carros no dia 22 de janeiro. Na ocasião, três pessoas morreram e três ficaram gravemente feridas

Da Redação
operação para retirada do caminhão que caiu em uma ribanceira de 100 metros na BR-277, em Guarapuava, foi concluída na tarde de quinta-feira, 30. O trânsito foi liberado nos dois sentidos após às 15 h no km 307 da rodovia, que fica entre o Mirante e o limite dos municípios de Guarapuava e Prudentópolis. O trabalho realizado com um guindaste de grande porte teve duração de aproximadamente sete horas. Nesse período, a passagem de veículos pelo local foi realizada no sistema pare e siga com acompanhamento das equipes da Polícia Rodoviária Federal (PRF) e da concessionária Caminhos do Paraná. Segundo a PRF, os veículos eram liberados de 15 em 15 minutos em cada sentido. Por volta das 14 h de quarta-feira, 30, havia fila de cerca de dez quilômetros sentido Curitiba.
O caminhão retirado da ribanceira se envolveu em um acidente com mais dois carros no dia 22 de janeiro. Na ocasião, três pessoas morreram e três ficaram gravemente feridas. De acordo com informações divulgadas pela PRF no dia do acidente, o motorista de um caminhão ficou sem freio ao descer a Serra da Esperança. No quilômetro 307 + 200 metros da rodovia, o caminhoneiro perdeu o controle da direção, invadiu a pista contrária e colidiu contra um Fiat Palio Weekend, com placas de Dourados/MS. Em seguida, o caminhão atingiu uma caminhonete Ford Ranger, de Cascavel, e bateu num barranco. O caminhão ainda desceu uma ribanceira de mais de 100 metros de altura.
Duas vítimas do acidente estavam no Palio. O condutor Antonio Nelson Koslinski, 57 anos, e sua filha Amanda Koslinski, 18 anos, residiam em Dourados/MS. Fernanda Machado Koslinski, também de 18 anos, que era irmã gêmea de Amanda, sofreu ferimentos graves. O terceiro óbito foi de Adriano Cesar Damian, de 53 anos, que morava em Cascavel. A esposa dele, Mirian Brenda Damian, de 57 anos, teve lesões graves. O caminhoneiro José Aparecido Penha de Oliveira, de 44 anos, também sofreu ferimentos graves.