notícias

Dedé renova contrato com Prudentópolis

Treinador iratiense conduziu equipe ao acesso à Série Prata do Futsal no ano passado

Edilson Kernicki, com reportagem de Tadeu Stefaniak, Ademar Bettes e João Maria Rodrigues 
técnico do Prudentópolis Futsal, o iratiense André Demczuk (Dedé), renovou contrato para a temporada 2020, em que o time vai disputar a Série Prata do Paranaense. No ano passado, a equipe ficou em 3º lugar na Série Bronze e garantiu o acesso.
“Foi pelo respeito que às pessoas têm por quem está à frente desse projeto que hoje ele conseguiu atingir essa grandiosidade. Esperamos que, neste ano, na Chave Prata, consigamos fazer um bom trabalho, como fizemos, no ano passado, na Bronze”, avalia o técnico, sobre o desempenho da equipe em 2019 e a recepção que ele teve em Prudentópolis.

Ouça a entrevista completa com Dedé no fim do texto

Dedé comenta que, ainda que a renovação do contrato tenha sido publicamente oficializada nesta semana, já se sabia há um mês da intenção do Prudentópolis Futsal em manter o contrato. Em 2019, a equipe trabalhava com uma folha de pagamento de R$ 11 mil mensais e, para 2020, na Série Prata, a estimativa é de que fique entre R$ 20 mil a R$ 21 mil, incluindo atletas e comissão técnica. “Praticamente dobramos o investimento. Nunca trabalhei com esse montante. Nunca tivemos esse investimento aqui na região. Trabalhei aqui, trabalhei em Ivaí e em Imbituva. Mesmo em Ivaí, quando trabalhamos na [Série] Ouro, não tínhamos esse montante. Claro que as coisas são diferentes. Estive em Ivaí em 2013 e o investimento era entre R$ 16 mil a R$ 17 mil e conseguíamos fazer um determinado trabalho”, comenta.
“Hoje, o futsal cresceu muito e sabemos que para montar uma equipe competitiva o custo é elevado. A equipe de Laranjeiras, que nos eliminou na semifinal na Bronze, já investia R$ 30 mil”, compara Dedé, que foi campeão da Série Prata de Futsal em 2012 pelo Ivaí.
A comissão técnica também é formada pelo preparador físico Ivan Rech e pelo professor Dino Carniel. Ambos integram a Secretaria de Esportes de Prudentópolis e são cedidos pela Prefeitura. “Temos um aporte da Prefeitura com relação a isso. Alguns integrantes da comissão técnica são profissionais que trabalham na Prefeitura e são cedidos à equipe, para apoiarem o projeto. O único contratado de fora sou eu”, explica.
Na formação de uma equipe, o técnico aponta que há uma via de mão dupla: da mesma forma que a comissão técnica busca referências sobre os atletas a serem contratados – com ex-técnicos e com atletas conhecidos – os próprios jogadores buscam referências sobre os clubes antes de aceitarem propostas. Eles querem saber sobre a estrutura da equipe, campanhas anteriores, salários – se paga em dia – entre outras condições que podem convencê-los a fechar contrato ou não. O Prudentópolis, segundo Dedé, quer transformar “apostas” em “revelações” do futsal paranaense.
“Temos uma coisa muito importante a nosso favor, que é a estrutura e a seriedade. O mês, em Prudentópolis, tem, rigorosamente, 29 dias. Não tem 30. Lá se paga um dia antes de vencer [o salário]. O atleta procura muito isso. Às vezes, se oferece um caminhão de dinheiro, mas termina com três meses de salários atrasados. E ali oferece-se o que se tem. A estrutura é boa, tem um bom ginásio; no ano passado, os atletas ficavam no alojamento dentro do ginásio, neste ano, já será diferente, com uma ou duas casas do Atleta, em que eles irão se dividir”, detalha.
A equipe para pré-temporada e início da temporada já está fechada, assegura Dedé. Entre os que foram mantidos, estão o pivô Luan, o ala Hugo o ala fixo Bechinho (Mateus Becher) e o goleiro Henrique. Todos eles são da cidade de Prudentópolis. Também renovaram contrato: o ala/pivô Vagnão; o pivô Valeta e o capitão Biro.
Entre os novos contratados, estão o ala Robert Silveira Neri, que veio do Siqueira Campos; o ala/pivô Dudu, de Ponta Grossa, que tem passagens pela Seleção Brasileira de Futsal e vem do Minas Tênis Clube, onde jogou na Liga Nacional 2019; o goleiro Wellington Neném, que foi campeão pelo CAD de Guarapuava (2010) e, nos últimos três anos, esteve na Romênia e o fixo Otávio, que veio da ACBF, de Carlos Barbosa (RS).
Na comissão técnica, além do técnico Dedé, o Prudentópolis Futsal terá o atendente Divonei Neves, o auxiliar técnico Dino Carniel e o preparador físico Ivan Rech.

Confira a entrevista com o treinador Dedé