notícias

Câmara encerra período legislativo com outorga de títulos de cidadania

Em sessões solenes, foram concedidos três títulos de cidadania honorária e um de cidadania benemérita a moradores ilustres de Irati

Da Redação, com informações e fotos da Assessoria da Câmara
A Câmara de Irati realizou sessões solenes de outorga de títulos de cidadania a ilustres moradores do município na semana passada. A pastora Marcia Bueno Lourenço, da Comunidade Alcance; o professor Eurico Pereira e o senhor Orlando Schimalesky receberam títulos de cidadania honorária. O historiador José Maria Gracia Araújo, por sua vez, recebeu o título de cidadão benemérito.
A cidadania honorária é concedida àqueles que, pelo seu trabalho ou atividade social, conquistam o reconhecimento dentro do município, mas que não são naturais dele. A cidadania benemérita, por sua vez, é concedida a quem nasceu no município.
O título concedido à pastora Marcia foi proposto pelo vereador José Bodnar (PV). Ao lado do marido, o pastor Claudemir Barbosa, Marcia lidera a Comunidade Alcance há 16 anos. Barbosa recebeu a mesma homenagem há dois anos. A pastora nasceu em Santo André (SP), no ABC Paulista, e está casada há 33 anos com Claudemir, com quem tem dois filhos: Jonatan e Melissa.
Marcia reside em Irati desde 2002. No ano seguinte, passou a atuar como pastora na Comunidade Alcance. Antes de sua atuação evangelizadora, ela era professora de música, em São Paulo, na Escola Dókimos, até que ingressou no Ministério de Pastoreio. “Receber este título as vésperas de completar 17 anos nesta cidade é uma grande honra. Não me sinto digna desta honraria, mas pelo meu amor por Irati e pelo seu povo, este Título é um presente de Deus, que age através das pessoas para nos abençoar”, agradeceu.
Homenageado pelo vereador Alberto Schereda (PSDB), o professor Eurico nasceu em Rebouças, no dia 24 de dezembro de 1945. Formou-se, primeiro, em Ciências, em 1976 e, depois, em Matemática, em 1979. No ano seguinte, veio morar em Irati e passou a lecionar na Escola Nossa Senhora das Graças, onde trabalhou até sua aposentadoria. “De modo especial, agradeço aos meus ex-alunos que foram a chave mestre para que meu trabalho se realiza-se a contento. Com eles estabeleci uma troca de experiências e conhecimentos. São muitas lembranças no meu coração”, agradeceu o professor, que despertou o gosto pela Matemática em várias gerações de alunos.
Orlando Schimalesky teve o título de cidadania honorária proposto pelo vereador Rogério Luís Kuhn (PV). Nascido em Curitiba no dia 19 de junho de 1935, formou-se na Escola Superior de Agricultura e Veterinária do Paraná. Com a esposa, Magdalena, passou a morar em Irati no ano de 1959, a fim de assumir uma vaga como servidor no Ministério da Agricultura, onde trabalhou por mais de 30 anos. Em 1970, foi designado como supervisor regional da Comissão Estadual de Sementes e Mudas do Paraná. Na década seguinte, trabalhou como avaliador, prestando serviços ao Banco do Brasil e chegou a fazer mais de mil visitas em apenas um ano. Além dos feitos na região para o desenvolvimento do setor agrícola, Orlando é reconhecido pela sua atuação comunitária.
“Ver um pai receber uma homenagem é o sonho de todo filho, este é, sem dúvida, um momento de muita gratidão. Eu e meu irmão fomos criados por nossos pais com o sentimento de amor e respeito por esta terra, reconhecendo de maneira simples e generosa a sua gente, que recebeu aquele casal cheio de sonhos com uma convivência generosa, amizades profundas e alegrias duradouras. Nesta noite de luz e troca de afetos, registro a minha gratidão ao meu pai e a minha mãe pela vida que nos proporcionaram, pelos desafios que venceram e pelo exemplo de cidadania que empunham até hoje”, destacou a filha Ieda Schimalesky Waydzik, que discursou em nome do homenageado.
O historiador José Maria Gracia Araújo recebeu o título de cidadão benemérito, por indicação do vereador José Bodnar (PV). Nascido em Irati em 1º de dezembro de 1940, mudou-se para Guarapuava em 1957 e, sete anos depois, para Curitiba, onde trabalhou na Companhia de Desenvolvimento do Paraná (Codepar) e, posteriormente, no Banco de Desenvolvimento do Paraná (Badep). Formou-se em Arquitetura de Interiores na antiga Escola Técnica Federal do Paraná – hoje UTFPR – e exerceu a atividade durante muitos anos na capital. Em 1984, mudou-se com a família para Campo Grande (MS) e, seis anos mais tarde, voltou a Irati.
Em 1992, assumiu a Secretaria de Cultura de Irati e, desde então, exerceu diversos cargos em outras administrações. Ao longo de mais de 25 anos, desde seu retorno a Irati, Zeca Araújo executou uma série de obras artísticas e culturais no município: Monumento a Bíblia – Praça Magdalena Anciutti; Casa da Memória Étnica de Gonçalves Júnior; reforma e restauração da Igreja São Pedro e São Paulo de Gonçalves Júnior; reforma e restauração da Igreja do Taquari; entre outros.
“Eu amo Irati. Eu fico imaginando o que mais podemos fazer por nossa terra. Precisamos lutar no dia a dia para que nossa cidade seja reconhecida. O nosso Rotary Club está sempre em busca de projetos para o município. Hoje estou lisonjeado com este reconhecimento, só tenho a agradecer a todos, em especial ao José Bodnar”, afirmou o criador do personagem Nhô Pacífico, que ajuda a narrar a história de Irati.
Araújo também apresenta o programa “Irati de Todos Nós” na Super Najuá FM 92.5, que vai ao ar todos os domingos, às 14 h.