notícias

Casa da Economia Solidária reabre em novo local a partir desta terça-feira

Artesãos de Irati não contavam com espaço próprio para comercializar seus produtos desde que a antiga Casa da Economia Solidária foi cedida para a ARAI

Da Redação, com reportagem de Rodrigo Zub e Paulo Henrique Sava 
Artesãos vão comercializar seus produtos em espaço cedido pela prefeitura na rodoviária
A Casa da Economia Solidária reabre em novo local, a partir desta terça-feira (19), às 10h. Ela passa a funcionar em um espaço da Rodoviária Municipal José de Andrade Leite.
Criada em 2014, a Casa da Economia Solidária funcionava na Rua da Liberdade, ao lado do Ginásio Agostinho Zarpellon Junior (Batatão), no local que costumava abrigar a Casa do Papai Noel até então.
Com o passar dos anos, a Prefeitura decidiu ceder o espaço à Associação de Representantes e Árbitros de Irati (ARAI) e os artesãos ficaram sem esse espaço para a comercialização do artesanato. Na transição de gestões, muitos deles acabaram deixando os grupos, que se reduziram. “Sobrou um grupo pequeno, mas que estava disposto a continuar com as atividades, porque a Economia Solidária e a Associação dos Artesãos são mais do que atividades culturais do município, são atividades econômicas, que geram renda e emprego, ainda que informal”, observa a diretora da Associação dos Artesãos, Milene Aparecida Padilha Galvão.
Segundo Milene, foi difícil encontrar um novo local, pois a pasta da Economia Solidária, lotada na Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, está vaga, sem um diretor. “Mesmo assim, o [ex-]secretário Emiliano [Gomes] não fechou as portas para nós e nos recebeu e entende o que é a Economia Solidária e sua importância, como outra forma de se pensar a economia”, acrescenta.
Para a retomada da Economia Solidária e da Associação dos Artesãos, o CNPJ da antiga AIA (Associação Iratiense de Artesãos) foi fechado e criado um novo. Assim, para essa nova associação foi cedida uma sala da Rodoviária, onde também ficará o ponto ECOSOL de Irati.
“A Secretaria da Cultura tem a obrigação de dar apoio para essas iniciativas, principalmente ao artesanato, em que poucas pessoas acabaram ficando, no decorrer do tempo, talvez por falta de apoio ou até mesmo por falta de um espaço definitivo. Saíram de um local, pretendiam ir para outro, que era destinado para a Cultura. Era uma preocupação de que pudesse não dar certo em nenhum, mas encontramos o melhor espaço possível, porque eles precisam para vender seus produtos, tanto da Economia Solidária quanto do artesanato”, aponta o secretário Alfredo Van Der Neut.
Para ele, a Rodoviária funciona como um local estratégico para a instalação da Casa da Economia Solidária, tanto pela localização central quanto pela grande circulação de pessoas de Irati e de outros municípios. Especialmente no que diz respeito ao artesanato, a localização potencializa a oportunidade de que os visitantes adquiram lembranças para si e para presentear. Além do artesanato, o local vai oferecer produtos congelados (massas), pão e bolo.
Presidente da Associação Iratiense de Artesãos, Isabel Matilde Galvão, secretário Alfredo Van Der Neut e diretora da associação, Milene Galvão
“Procuramos não só oferecer a loja, mas também ajudar na organização, desde a criação do CNPJ e esperamos que, depois dessa nova abertura, aquele local seja prestigiado pelas pessoas de Irati. Quem quiser adquirir artesanato, terá um local onde são vendidos produtos elaborados por artesãos daqui da cidade”, acrescenta Van Der Neut.
Milene conta que membros da Incubadora de Empreendimentos Solidários (IESOL), da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), participarão da solenidade de abertura da nova Casa da Economia Solidária para passar um termo de comodato de equipamentos que ficavam no antigo espaço, ao lado do Batatão. “Agora, vão ficar em comodato para a Associação Iratiense de Artesãos – Artes e Sabores, também para que os grupos e os empreendimentos de Economia Solidária façam uso, coletivamente, desses equipamentos, porque é para o benefício de grupos, não para benefício individual. O princípio da Economia Solidária é coletivo: você cresce a partir do momento que tem um grupo organizado onde todo mundo possa crescer da mesma maneira”, pontua.
“É muito importante que os grupos que tiverem o interesse de retomar suas atividades de Economia Solidária, os artesãos que se sentirem à vontade vão lá conversar e se inteirar sobre como ingressar na Associação Iratiense de Artesãos, vão lá e nos procurem. Todos os dias a sala vai ficar aberta, das 9h às 17h, de segunda a sexta-feira”, convida Milene.
Artesãos interessados em fazer parte da nova associação podem entrar em contato com a presidente, Irene Matilde Galvão, pelo WhatsApp (42) 9-9914-4097, ou pessoalmente na Casa da Economia Solidária, no horário de expediente. No momento, a associação conta com nove associados, ao todo, sendo que seis deles integram a diretoria. Um novo regimento foi elaborado para a nova associação de artesãos. Cada associado deve contribuir com uma mensalidade para a cobertura de despesas da entidade.
Sala cedida pela prefeitura de Irati fica próximo dos guichês das empresas de ônibus