notícias

Exposição “Xavier em Fotos” retrata 44 anos de inauguração do colégio

Fotografias com ex-alunos, professores e funcionários estão expostas no Centro Cultural Clube do Comércio até o dia 31 de outubro

Paulo Henrique Sava
Fundado em 1975, o Colégio Estadual Antônio Xavier da Silveira está completando 44 anos de atuação. Para comemorar a data, a coordenadora do Centro de Memória da instituição, Andreia Przybiovic, organizou a exposição “Xavier em Fotos”, relembrando a história do colégio desde sua fundação até hoje. A abertura oficial aconteceu na última quarta-feira, 02. As fotos ficarão expostas até o dia 31 de outubro no Centro Cultural Clube do Comércio. O horário para visitação vai das 08 às 12 e das 13 às 17 horas, de segunda a sexta-feira.
Professores, alunos, funcionários e ex-integrantes podem ver um pouco mais do cotidiano da comunidade escolar do Xavier e conhecer sua história desde 1977 até 2018 (Fotos de 1975 e 1976 não foram encontradas). Entre os fatos registrados, está a Missa em comemoração ao Jubileu de Prata (25 anos) da instituição, celebrada em novembro de 1999.
O material vem sendo catalogado desde fevereiro. As fotos foram colocadas em murais e em pastas extras. Os visitantes também podem manusear livros de registro do colégio que guardam alguns trabalhos feitos por professores e alunos ao longo dos últimos 44 anos. Todo o acervo foi cedido por pessoas que passaram pelo colégio.
Andreia conta que, além de registrar a história do colégio, o objetivo do evento é valorizar o cotidiano e os “sujeitos” escolares, ou seja, alunos, professores, funcionários e aqueles que já integraram os quadros do Xavier. O professor e ex-diretor Alberto Ruteski auxiliou neste trabalho. “Eu agradeci publicamente ao professor e ex-diretor, que foi muito solícito e ajudou bastante na identificação de coisas que, se não houvesse esta orientação inicial, seria mais difícil encontrar a informação”, pontuou.
Depois da exposição, as fotos serão arquivadas no Centro de Memória, que fica ao lado da Biblioteca. No local, é possível encontrar outros objetos, como uma máquina de escrever que pertenceu ao patrono Antônio Xavier da Silveira.
A diretora Maria Amélia Ingles demonstrou orgulho por poder ajudar a contar um pouco da história da instituição e manter sua memória sempre viva. “As pessoas se reconhecem: temos alunos, professores e funcionários que se reconhecem nas fotos, e isto é muito positivo. O objetivo é mostrar para a sociedade iratiense que a memória do Colégio não se perdeu e que ela pode transformar as gerações que virão”, frisou.
O professor Alberto Ruteski, que dirigiu o colégio de 1992 a 2011, lembra com muita saudade de suas realizações no período em que ocupou o cargo. “Foram eventos, participação em jogos, contribuindo para o engrandecimento da escola e de Irati. Vi sua construção em todas as etapas, a participação nos governos estaduais e municipais. Tudo isto vem de encontro com o que a gente prega na educação, que é você fazer a história, participar de uma comunidade e dar a todos a oportunidade de crescimento”, destacou.
Marcelo Chociai, chefe do Núcleo Regional de Educação (NRE) de Irati, salienta que diversos profissionais iniciaram a formação no colégio. “O Antônio Xavier representa a formação de médicos, professores, engenheiros, advogados, militares, administradores, dentistas, economistas, contadores e outras áreas do conhecimento. Ele representa uma força para o município e tem um talento que deve ser sempre valorizado”, comentou.
O professor aposentado Raul Adão Luitz também atuou no Xavier. Ele lembra com saudade da época em que o colégio iniciou seus trabalhos no Ensino Fundamental e no Ensino Médio. “O início do Ensino Médio foi no meu tempo, em que os alunos eram matriculados no Colégio São Vicente e eu cuidava deles no Xavier. Posteriormente, com o aumento das salas, foi possível torná-lo um colégio”, comentou.
Nos últimos anos, além do Ensino Fundamental e do Ensino Médio, o Xavier passou a oferecer o curso de Formação de Docentes integrado ao Ensino Médio, com duração de 4 anos. A aluna Shara dos Santos, de 16 anos, considera maravilhoso poder ajudar a construir a história do Colégio. “É a história de todas as pessoas que passaram aqui, que não estão mais no colégio ou continuam como eu. É muito bom encontrar pessoas que eu nem sabia que tinham estudado no colégio, reconhecer cada pessoa”, comentou.
O prefeito Jorge Derbli opina que o Xavier vem dando uma importante contribuição para o crescimento da cidade nos últimos 44 anos. “É uma escola muito boa, ficamos contentes com esta comemoração. Esta exposição de fotos retrata a história do Xavier em 44 anos como a maior escola de Irati em termos de alunos. É uma escola que dá exemplo para todo mundo e nos dá orgulho dizer que ela tem um alto nível”, finalizou.