notícias

Estado reforça estrutura de assistência social em oito municípios da região

Imbituva, Irati, Mallet, Paulo Frontin, Prudentópolis, Rio Azul, São Mateus do Sul e União da Vitória serão contemplados com aumento de repasse para o setor

Da Redação, com informações da AEN 
164 municípios paranaenses serão contemplados com recursos para os CRAS e CREAS
Oito municípios das regiões Centro-Sul e Sul integram a lista de 164 beneficiados com o repasse de R$ 19 milhões, feito pelo Governo do Estado, na quinta-feira (10), para o aprimoramento dos Centros de Referência de Assistência Social (CRAS) e dos Centros de Referência Especializado em Assistência Social (CREAS). O Estado também confirmou a concessão de outros benefícios eventuais.
Das regiões Centro-Sul e Sul serão contemplados os municípios de Imbituva, Irati, Mallet, Paulo Frontin, Prudentópolis, Rio Azul, São Mateus do Sul e União da Vitória. O repasse foi formalizado em solenidade no Palácio Iguaçu, em Curitiba, pelo chefe da Casa Civil, Guto Silva, e pelo secretário de Estado da Justiça, Família e Trabalho, Ney Leprevost.
A transferência de recursos deve ajudar a aprimorar o trabalho nos CRAS e CREAS, que são os locais que atendem, nos municípios, a população de maior vulnerabilidade social, frisa Leprevost. “O Estado faz repasses contínuos para a assistência social e também está construindo mais estruturas em diversas cidades. São espaços fundamentais, porque trabalham na ponta com as pessoas mais pobres”, afirma.
A maior parte desses recursos – R$ 17 milhões – será destinada à qualificação do atendimento das famílias em situação de vulnerabilidade. Os recursos são oriundos do Fundo Estadual de Assistência Social (FEAS) e foram aprovados pelo Conselho Estadual de Assistência Social. Essa parcela do investimento poderá ser aplicada pelas prefeituras na aquisição de equipamentos ou veículos para o atendimento prestado pelo CRAS e pelo CREAS.
Os outros R$ 2 milhões serão reservados para a oferta de benefícios eventuais, para atender necessidades em situações de vulnerabilidade temporária, ligadas à ocorrência de perdas e danos, conforme objetivos e diretrizes firmados pela Política Nacional de Assistência Social, como as perdas materiais provenientes, por exemplo, de vendavais ou enchentes.