notícias

PC desvenda autoria de estupro em menos de 24 horas

Adolescente foi encontrada desacordada e com sinais de embriaguez. Policiais apreenderam um menor e prenderam um adulto

Da Redação, com informações da Difusora do Xisto 
A 3ª Subdivisão Policial (SDP) encerrou as investigações da autoria de um caso de estupro ocorrido na madrugada de sábado (14), no interior de São Mateus do Sul. Na ocasião, por volta de 3h40, o Corpo de Bombeiros comunicou à Polícia Militar que uma adolescente fora encontrada desacordada, sem identificação e com sinais de embriaguez, às margens da estrada do Paiol Grande.
A jovem foi levada ao Pronto Atendimento, onde foi apurado que ela foi retirada de um veículo e abandonada às margens da estrada. Os policiais acionaram o Conselho Tutelar para acompanhar o caso.
As investigações sobre autoria e localizações dos suspeitos começaram tão logo foi registrada a ocorrência de violência sexual contra a adolescente. A equipe composta pelos investigadores Marcos e Paluch, coordenada pelo delegado Michel Leite Pereira da Silva, titular da 3ª SDP, foi até o interior do município e localizou os suspeitos. Um menor foi apreendido e um adulto acabou sendo preso. Ambos foram conduzidos até a delegacia.
Segundo o delegado, os envolvidos teriam se reunido para ir a uma festa, de sexta (14) para sábado (15). “Isso culminou num suposto abuso sexual. Esses crimes são delicados e de difícil apuração. É complicado detalhar a situação, até por questões legais. Os supostos autores já foram individualizados e estão segregados cautelarmente. O caso é tratado com absoluta prioridade aqui na Delegacia de Polícia. Minha expectativa é de que a investigação seja concluída já nesta semana para que se possa dar andamento às próximas fases do inquérito e da fase judicial, que começa com o encaminhamento do inquérito ao Ministério Público e, posteriormente, ao Poder Judiciário”, detalha.
A menina foi conduzida ao Instituto Médico-Legal (IML) de União da Vitória para realizar exames e, depois, para o Pronto Atendimento, para procedimentos de emergência para evitar possíveis infecções sexualmente transmissíveis (ISTs), que não foram detectadas nos testes.
“Um dos envolvidos era maior de idade e o outro era menor. Eles teriam se reunido para ir a uma festa e acabaram mudando de ideia e foram para uma terceira localidade, onde o fato, em tese, se consumou. Ainda é precoce para se falar sobre isso, porque tudo está sendo investigado, as condutas estão sendo bem individualizadas até para podermos descobrir o que realmente aconteceu naquele dia. Esses casos são complicados, porque os autores podem não ser autores, se for uma situação consentida”, afirma o delegado.