notícias

Acervo municipal recebe obras de artista plástica e fotógrafo iratienses

Artista plástica Elvira Kiatkoski Barroso e seu neto, o jornalista e fotógrafo Leonardo Schenato Barroso, fizeram a doação de duas obras de arte ao acervo municipal

Da Redação, com reportagem de Sidnei Jorge e informações e fotos Assessoria 
Uma cerimônia realizada na sede administrativa da Secretaria de Cultura, Patrimônio Histórico e Legado Étnico, marcou a entrega de duas obras de arte que passam a integrar o acervo municipal, no dia 17 de setembro. As obras são a pintura de óleo sobre tela, da artista plástica Elvira Kiatkoski Barroso, intitulada “Papoulas” e uma reprodução da fotografia “Outono no Parque Aquático”, feita pelo neto de Elvira, o jornalista Leonardo Schenato Barroso.
Ao discursar, o jornalista exaltou várias das ações tomadas pela Secretaria de Cultura na atual gestão, como as mudanças no Rodeio Crioulo de Integração e a retomada de projetos, como o Centro Cultural do Guamirim, o jantar “Valores da Nossa Terra”, a instalação de uma sede administrativa para a Secretaria de Cultura e o prosseguimento de outros projetos, como o concurso Irati em Imagens, os Sábados Literários, as aulas de bateria com o professor João Ademir Ribeiro (“Guaraná”), as aulas de música com o maestro Wellington Costa e outros projetos desenvolvidos em parceria com o Centro Cultural Clube do Comércio e a Associação Cultural Denise Stoklos.
O secretário municipal de Cultura, o ex-prefeito Alfredo Van Der Neut, ressaltou a importância de valorizar os artistas locais e expressou sua alegria de testemunhar a arte passar de geração para geração, o que, segundo ele, teria motivado Elvira e seu neto, Leonardo, a doarem os materiais produzidos por eles. “Acredito que o exemplo maior que sempre tive para desenvolver projetos dentro da arte foi minha avó Elvira. Não sei até que ponto isso pode ser genético, de sangue, ou se é uma inspiração, de ver a correria que minha avó fazia com as pinturas e os quadros. Ela morava em Curitiba, quando estava no auge da produção dessas pinturas e íamos a uma molduraria em São José dos Pinhais. Fazíamos uma viagem para ir atrás da moldura perfeita para ser realmente adequada àquele quadro que ela fez com tanto detalhismo. Ela era extremamente detalhista na pintura, no traço, no desenho e, depois que terminava, mantinha essa característica indo atrás de uma moldura perfeita”, relata Leonardo.
Segundo o jornalista, o convite e o estímulo para a doação partiram de Alfredo, durante a cerimônia de instalação da sede administrativa da Secretaria de Cultura, em meio às comemorações dos 112 anos de Irati.
Leonardo não sabe precisar com exatidão qual o momento em que se reconheceu como fotógrafo. No entanto, relata que o incentivo para tal veio desde a infância, quando ganhou a primeira câmera analógica. Já na adolescência, ganhou uma câmera digital e passou a compartilhar seus registros na internet, até que, em 2007, entrou na faculdade de Jornalismo. No curso, a produção de imagens faz parte de disciplinas como Fotojornalismo e Telejornalismo e Leonardo aprimorou suas técnicas, ao mesmo tempo em que o pai comprou uma câmera semiprofissional, que ambos compartilhavam. De lá para cá, as fotografias de Leonardo foram se aperfeiçoando, ganhando um estilo próprio e obtendo reconhecimento através de premiações, sendo a primeira delas uma publicação na revista Digital Photographer Brasil.
O prefeito Jorge Derbli falou de sua satisfação em poder prestigiar o trabalho de artistas iratienses que elevam o nome da cidade através das conquistas e da notoriedade que sua arte proporciona, em nível estadual, nacional e até internacional. Derbli ressaltou que, apesar de haver obras e investimentos significativos em todas as áreas da administração municipal, a Cultura é uma de suas prioridades.
A artista plástica Elvira Kiatkoski Barroso disse estar muito feliz pela ocasião e agradeceu pela realização da cerimônia de entrega das obras de arte, que precisaram ser adiadas por motivo de força maior. O município concedeu placas de homenagem aos artistas, como reconhecimento de seu trabalho. A vice-presidente da Academia de Letras, Artes e Ciências do Centro-Sul do Paraná (ALACS), Luiza Nelma Fillus, em nome da Academia, entregou uma orquídea para Elvira.